quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Sambade - Nasce Centro de Interpretação do Território

Centro de Interpretação do Território nasce em Sambade
fotoMunicípio de Alfândega da Fé escolheu esta aldeia com mais de 700 anos de história para perpetuar cultura e tradições do concelho
Dar a conhecer o concelho de Alfândega da Fé, as suas gentes, usos, costumes e tradições é o objectivo do Centro de Interpretação do Território do concelho de Alfândega da Fé, inaugurado no sábado. O local escolhido foi Sambade, uma aldeia com mais de 700 anos de história, já existindo mesmo antes do próprio concelho de
Alfândega da Fé.
A ideia deste centro surgiu com a criação de um museu na aldeia, a partir da doação de objectos tradicionais pela população que estão também expostos neste centro. A presidente do Município de Alfândega da Fé, Berta Nunes, explica que, mais do que mostrar estes utensílios, o objectivo é imortalizar aquilo que significam. “É importante que esta cultura que está a desaparecer seja preservada e interpretada. Estes objectos significam um modo de vida e uma cultura que está a desaparecer. Significam um modo de vida, uma cultura que está a desaparecer e que nós queremos preservar, de forma muito dinâmica, que permita aos visitantes perceber em que contexto é que eles existiam”, sublinha a autarca.
O Centro de Interpretação do Território (CIT) é um espaço museológico com recurso às novas tecnologias, com exibição de filmes e documentários que pretendem retratar a história e cultura locais, recorrendo também a experiências sensoriais. O CIT conta ainda com uma sala de exposições, onde, nesta altura está patente uma exposição fotográfica com 30 fotografias sobre o território. Uma das marcas do CIT é o túnel do pastor, com sons característicos da pastorícia. Há ainda a sala “Elogio ao Tempo e à Natureza”, a sala “Identidade”, onde o visitante interage com os elementos expostos, com recurso à realidade aumentada e pode conferir o significado de alguns regionalismos como: “Bô”; “Cibo”, “Cucha” ou “Refustedo”. Na sala “Sambade”, ganha lugar a etnografia , resultado de uma recolha de objectos típicos que ilustram o viver das gentes da freguesia de Sambade. Para além destes espaços, há também uma loja onde o visitante pode adquirir produtos regionais.

Agora que o centro foi inaugurado, a autarca sublinha a importância de o integrar numa rede que promova a divulgação de museus rurais, de forma a rentabilizar o espaço. “Nós temos uma ideia, que já não é de agora, de tentarmos criar uma rede de museus rurais centros de interpretação rurais ou do território, como é este caso. É importante haver uma complementaridade. Pretendemos criar, por exemplo, exposições que se complementem, e que possam percorrer estes espaços e que ajudem as pessoas a conhecer toda essa cultura e economia que estão a desaparecer”, revela Berta Nunes.
O Centro de Interpretação do Território do concelho de Alfândega da Fé foi instalado na antiga escola primária de Sambade. Resulta de uma candidatura efectuada com o objectivo de transformar esta localidade numa aldeia tecnológica e turística e que incluiu também a adaptação da antiga Casa do Povo no Centro Cultural Tecnológico.
A Casa do Povo de Sambade acolhe esta nova valência, que pretende servir de salão multiusos, prevendo-se a utilização do espaço para seminários e debates ligados a temáticas regionais ou a para acolhimento de festas e feiras. Os dois projectos representam um investimento de 350 mil euros, financiados em 85% pelo programa PROVERE. A inauguração dos novos espaços culturais inseriu-se no programa da segunda edição da “Festa da Montanha” que promoveu os produtos regionais, típicos desta época do ano. 
Fonte: http://www.jornalnordeste.com/noticia.asp?idEdicao=716&id=21588&idSeccao=6654&Action=noticia#.VlYbdOJST5s

Sem comentários:

Enviar um comentário