sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Nordeste Transmontano - EFEMÉRIDES (27/11)

27.11.1385 – O rei D. João I assina um decreto para que os mercadores de Torre de Moncorvo fiquem isentos do pagamento de portagem em qualquer parte do Reino.
27.11.1877 – Ofício do administrador de Moncorvo para o delegado do procurador régio:
 
Freixiel
- Às 11 horas da noite de 26 do corrente, fui prevenido que a oposição feita à lista governamental andava pelas freguesias de Felgueiras, Maçores, Urros e Açoreira assalariando gente para com ela se dirigirem à assembleia de Horta da Vilariça interromperem a eleição que ali se tratava e para fazerem nela desordens, para que a mesma fosse anulada e também para perturbarem a ordem pública nesta vila (…) Requisitei logo reforços (…) para manter a ordem pública na assembleia eleitoral desta vila que teve lugar nos dias 25 e 26 do corrente (…) que fiz colocar junto ao extinto convento de S. Francisco e adro de S. João, subúrbios desta vila. Pouco depois (…) um troço de mais de 40 homens da freguesia de Felgueiras ali compareceu, armados de paus e talvez armas que a escuridão da noite motivou a não serem conhecidos. Destes foram capturados 16 e depois um outro troço que vinha de Maçores, vindo na frente dois investigadores dessa freguesia que também foram capturados, evadindo-se os demais, sem que possa declarar a Vª Exª qual seria o seu número…27.11.1889 – Aprovada a invenção e registada a patente do “vinho euptético de Moraes”, fabricado por José António de Moraes, de Freixiel, vila Flor. Este “medicamento” gozou de muita fama na época e tinha muita venda.

 António Júlio Andrade


Reedição de posts desde o início do blogue.

1 comentário:

  1. Na freguesia de Freixiel, conserva-se ainda hoje a insólita, mas historicamente muito importante, silhueta da antiga forca, vestígio aparentemente único na Península Ibérica. Está implantada numa pequena elevação nos arredores da localidade, na vizinhança do campo onde, segundo a tradição, seriam sepultados os enforcados, a quem estaria vedado o enterramento em solo consagrado. O monumento é constituído pelos dois pilares verticais que sustentariam um elemento horizontal, sendo estes formados por blocos de granito toscamente aparelhados, com cerca de 3 metros de altura, rematados por singelos cones. O elemento horizontal em falta era geralmente a trave de suspensão do laço, embora a presente forca seja provavelmente de garrote. De facto, a distância a que os orifícios do topo ficam, quer do solo, quer do estrado de madeira que supostamente completaria o conjunto (conforme marcas de desbaste na base dos pilares), é insuficiente para o estrangulamento por suspensão. O estrangulamento por garrote foi, de resto, muito usado em toda a Península desde a Idade Média.
    Acessos: EN 314 de Vila Flor para Abreiro, cruzamento à esquerda para Freixiel. A forca fica fora da aldeia, numa pequena colina atrás da igreja
    http://aboutportugal-dylan.blogspot.com/2009/05/forca-de-freixel-vila-flor.html

    ResponderEliminar