sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Nordeste Transmontano quer ser referência mundial das cidades inteligentes



O Nordeste Transmontano promove pelo segundo ano consecutivo o Smartravel, um evento com o qual a região quer afirma-se no plano internacional como uma referência das pequenas e médias cidade inteligentes.
Durante dois dias, a 04 e 05 de dezembro, são esperados cerca de 300 participantes nacionais e estrangeiros em comunicações e experiências no território com o propósito de discutir soluções inteligentes para o quotidiano das pessoas e promover a região além-fronteiras.
O evento representa um investimento de 42 mil euros resultado de uma parceria entre o Parque de Ciência e Tecnologia Brigantia Ecopark de Bragança, as associações de desenvolvimento local Corane e Desteque, que representam a maior parte dos municípios do distrito de Bragança, e a empresa ConteúdoChave.

O programa apresentado hoje, em Bragança, está dividido em dois dias, com o primeiro preenchido com conferências de oradores nacionais e internacionais que se têm destacado no conceito "smart" (inteligente) aplicado a áreas como a estratégia e planeamento urbano, sustentabilidade, eficiência e energia, mobilidade, criatividade, inovação e tecnologia, economia de partilha ou participação cívica.
O segundo dia está reservado a experiências temáticas que envolvem oradores, delegados do congresso, comunicação social e bloggers para mostrar o território e o seu património, paisagens, paladares, costumes e tradições ou sonoridades.
O formato desta edição é mais pequeno por que não haver fundos comunitários disponíveis e está focado nos problemas e desafios das pequenas e médias cidades, mas também nas oportunidades e responsabilidades na resolução dos problemas dos cidadãos, como indicou o presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias.
A discussão será feita com "oradores de excelência, pessoas que debatem estes assuntos e têm projetos nas comunidades que governam", acrescentou.
O autarca realçou que o conceito de "inteligência" em debate "não tem que necessariamente usar só novas tecnologias".
"É uma cidade que responde eficazmente aos problemas dos cidadãos, facilitando-lhes a vida. Uma cidade para que seja verdadeiramente inteligente tem de ter as pessoas no centro da sua atenção", realçou,
O autarca de Vimioso e representante da associação Corane, Jorge Fidalgo, sublinhou o objetivo comum de "promoção do território" que é alcançado também pela divulgação feita pelos participantes, nomeadamente nas redes sociais.
"É fundamental que as várias instituições estejam imbuídas do mesmo espírito, no sentido de não criar capelinhas, mas fazer uma grande catedral que é a promoção do território", defendeu.
Jorge Fidalgo observou ainda que com a experiencia deste evento "os técnicos das próprias autarquias e associações de desenvolvimento ficam mais habilitados".

Da primeira edição ficou um retorno "muito positivo", segundo o autarca de Macedo de Cavaleiros e representante de outra associação envolvida, a Desteque.
Duarte Moreno apontou como exemplo a integração das cidades de Macedo de Cavaleiros e Miranda do Douro na rede nacional de cidades inteligentes.
Outro elemento da organização, Vitor Pereira, da ConteúdoChave e distinguido como personalidade Smart Cities 2015, considerou que estão reunidas as condições para tornar o Smartravel " organizado no Nordeste Transmontano no "grande evento internacional das pequenas e médias cidades inteligentes.

Fonte: http://www.noticiasaominuto.com/tech/485118/nordeste-transmontano-quer-ser-referencia-mundial-das-cidades-inteligentes

Sem comentários:

Enviar um comentário