quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Rio Douro - Lá para os lados do Peredo













Fotos A.F.F.M.
Nota: Para abrir a página(ampliar as fotos), clique no lado direito do rato ;abrem as instruções, e depois clique em abrir hiperligação.


Reedição de posts desde o início do blogue

3 comentários:

  1. O nome do rio deriva do latim durius, ou seja, 'duro', atestando bem a dureza dos seus contornos tortuosos, e das paisagens que atravessa, nomeadamente as altas escarpas das Arribas do Douro, no trecho Internacional do rio, entre Miranda do Douro e Barca d'Alva (Figueira de Castelo Rodrigo)

    ResponderEliminar
  2. Onze sítios e bens da bacia do Douro classificados pela Unesco como Património da Humanidade integram o projeto da 1.ªrota turística Ibérica, que vai ser apresentado na quarta-feira, no Porto, no âmbito da Cimeira luso-espanhola.

    Denominada "Rota do Património Mundial Douro/Duero", esta iniciativa é da responsabilidade da Fundação Rei Afonso Henriques (FRAH) e foi lançada em dezembro de 2010, com o cofinanciamento comunitário do Programa Operacional Regional do Norte (ON.2).

    De acordo com a FRAH, esta rota "oferece uma nova organização do potencial turístico da região Norte de Portugal e de Castela e Leão, tirando partido do reconhecimento atribuído pela Unesco".

    Trata-se de "uma oportunidade para o desenvolvimento económico das regiões em causa, tendo por base a aposta numa identidade comum em torno do rio Douro", acrescenta a fundação.

    Este projeto transfronteiriço "surge com o intuito de conferir uma identidade e valorização próprias aos onze sítios e bens classificados".

    Em Portugal, esta rota integra os centros históricos do Porto e Guimarães, o Alto Douro Vinhateiro e sítios de arte rupestre do Vale do Côa. Já em Espanha, estão incluídos os centros históricos de Ávila, Salamanca e Segóvia, a catedral de Burgos, o sítio de arte rupestre de Atapuerca, Las Medelas e Siega Verde.

    Estruturar, consolidar e promover a rota do Património da Humanidade no espaço Douro/Duero, designadamente através de uma marca e uma estratégia de marketing que permita promovê-la junto dos mercados-alvo, bem como apoiar a valorização do património cultural e natural através de ações imateriais de salvaguarda, apoio à visitação e preservação são alguns dos objetivos deste projeto.

    A apresentação deste projeto na XXV Cimeira Ibérica "traduz o reconhecimento do caráter inovador" desta rota conjunta de promoção dos onze locais em questão, sustenta a FRAH.

    No âmbito da Cimeira, os chefes dos Governos de Portugal e Espanha visitarão uma exposição fotográfica alusiva aos sítios e bens que integram esta primeira rota turística ibérica.

    A apresentação deste projeto, "exemplo de excelência na cooperação entre os dois países", a Pedro Passos Coelho e Mariano Rajoy será feita pelo presidente da FRAH, José Silva Peneda, ainda antes do início da reunião plenária da cimeira.
    Lusa

    ResponderEliminar
  3. Ao natural até os olhos ficam lavados e, mesmo em fotografia, um encanto.

    Júlia

    ResponderEliminar