domingo, 5 de julho de 2015

Memórias do Camané

Sempre encontrei muitas semelhanças entre desenhar e fotografar, ao fotografar é exactamente isso o que acontece: o abandono do olhar sem ver, do olhar utilitário e automático por nós usado para nos movermos e actuarmos no mundo. Fotografar também impõe um olhar analítico, um olhar seleccionador, um olhar julgador e não um olhar distraído.
Tento desenhar desde menino, fotografar desde adolescente, (o vizinho, o Sr.º Francisco Garcia explicou-me os banhos reveladores e fixadores quando aparecia de bicicleta no seu laboratório vindo pelo telhado, e que ele me deixava ver essas técnicas utilizadas por ele, lembro-me

muito bem quando me dizia que havia duas regras básicas da boa fotografia: a proximidade ao objecto e a simplicidade) quem desenha, ou tenta desenhar, conhece bem o fenómeno de errar as proporções da coisa desenhada. Uma das razões é o olhar que não esta a ser usado analiticamente, e o desenho segue uma declaração interna do que seja o objecto, ao invés de seguir de facto a forma do objecto. A falta de análise, quando desenhamos algo que está na nossa frente, é a verdadeira responsável pelos erros de proporção. Não é errado dizer: aprender a desenhar é aprender a analisar as formas.
A mesma coisa acontece na fotografia, mas fica um pouco ocultada pelo facto da câmara “desenhar bem” naturalmente. De facto, qualquer fotografia feita em modo automático, por exemplo, apresenta um desenho convincente do objecto fotografado, correcta sob o ponto de vista da representação convencional.
Enquanto no desenho a disciplina do desenhista, o rigor de sua análise determinam a correcção da representação, na fotografia a correcção da representação é garantida desde sempre, é quase a plataforma mínima da fotografia.
Diversas estruturas formais da fotografia são estranhas à vista humana desarmada; desfoques, silhuetas, profundidade de campo, perspectiva rectilínea, nada isso é nosso, nada disso é parecido com o nosso olhar humano. Tudo isso é aprendido pelo uso da máquina ou pela contemplação do universo de imagens fotográficas circulantes no mundo. Aprendemos a fotografar vendo fotografias e entendendo sua forma de fazer.
A fotografia é feita de um objecto, mas constitui uma coisa própria, regida por leis próprias, e olhar fotográfico é análise formal, é tornar consciente a percepção visual, e aplicar essa consciência ao enquadrar o mundo no rectângulo.

 Camané

Carviçais - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda

Clique na imagem para ver maior
O «PAN - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda», no presente ano será subordinado ao título «Difícil» e realizar-se-à em duas vertentes geográficas: Morille, Salamanca, nos dias 17, 18 e 19 de Julho de 2015 e Carviçais nos dias 24, 25, 26 de Julho, do mesmo ano.
Teremos poesia, pintura, escultura, fotografia, livros, teatro e música.

Nordeste -EFEMÉRIDES (05/07)

Senhora do Coberto
05.07.1772 – Em reunião de câmara “elegeram para ermitão de Nossa Senhora do Coberto, para este tratar da lâmpada, acendendo-a e preparando-a, a Manuel Pinheiro, alfaiate desta vila, que sendo presente, aceitou”.

05.07.1793António José Vanine, do Vilarinho da Castanheira “lançou huma máquina aerostática, que se elevou até se perder de vista e foi cair a distância de mais de uma légua e meia”.

António Júlio Andrade

PRÉMIO NACIONAL DE POESIA G. JUNQUEIRO-ESCAPARATE ( XXXVI )

Click na imagem para aumentar.
Paginação elaborada por Luís Teixeira




Reedição de posts desde o início do blogue

RIO SABOR - SILHADES ,paredes

 





















Click nas imagens para aumentar.

Reedição de posts desde o início do blogue

sábado, 4 de julho de 2015

Freixo de Espada à Cinta - Município entronizado pela Confraria da Amêndoa

Clique na imagem para ver maior
Clique na imagem para ver maior

No passado dia 27 de Junho realizou-se em Freixo de Espada à Cinta o Capítulo de Verão da Confraria da Amêndoa do Douro Superior, que correspondeu ao V Capítulo organizado pela Confraria. A Confraria da Amêndoa do Douro Superior foi fundada em Maio de 2013 com o objectivo principal de promover a amêndoa enquanto produto gastronómico.
O V Capítulo da Confraria da Amêndoa do Douro Superior teve lugar no Auditório Municipal de Freixo de Espada à Cinta e contou com mais de 50 participantes. A sessão de abertura ficou a cargo da Presidente da Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta, Maria do Céu Quintas, que manifestou o seu enorme apreço e agradecimento pelo facto de o V Capítulo da Confraria da Amêndoa ser realizado em Freixo, mencionando ainda a importância e o peso que a amêndoa tem na economia local e regional. Maria do Céu Quintas disponibilizou-se ainda, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal, para “ajudar a Confraria no que poder, principalmente na divulgação da amêndoa”.
O Capítulo de Verão foi presidido pelo Vice Grão-mestre Joaquim Morais, que após a leitura da Acta do Capítulo anterior, e da leitura do relatório de contas, prosseguiu com a entronização de novos confrades. Nesta sessão foram entronizados nove confrades, cinco do concelho de Freixo de Espada à Cinta, a saber: Ulisses Carabau; Jorge Duarte; Edgar Antão; Pedro Martins, e o Município de Freixo, e quatro do concelho de Torre de Moncorvo a saber: Lurdes Caetano, Leonel Brito, Sílvia Dinis e Amândio Dias. Dos novos confrades fazem parte produtores de amêndoa, cobrideiras de amêndoa coberta de Moncorvo e vendedores de amêndoa.

Vila Nova de Foz Côa - Sarau Cultural da Escolinha de Artes

Clique na imagem para ver maior
No dia 21 de Junho, o Auditório do Centro Cultural de Vila Nova de Foz Côa recebeu mais um Sarau Cultural da Escolinha de Artes. As inúmeras actividades, como dança e ballet, karaté, pintura, cerâmica, órgão e viola, foram apresentadas a todos os pais e encarregados de educação.
Na primeira parte apresentaram-se as alunas de ballet num momento de dança artística, com movimentos soltos e ao mesmo tempo dinâmicos, onde estiveram presentes alunas de Vila Nova de Foz Côa e de Freixo de Espada à Cinta. Após a dança seguiu-se uma demonstração de karaté. A segunda parte teve início com a apresentação de um vídeo que ilustrou respectivamente as aulas de cerâmica e de pintura. Esta iniciativa terminou com dois momentos musicais.

Fonte:http://www.jornalaguarda.com/index.php/regiao/vila-nova-de-foz-coa/3285-sarau-cultural-escolinha-de-artes-em-vila-nova-de-foz-coa

Trás- os Montes - EFEMÉRIDES (04/07)

Regimento da Feitoria
04.07.1656 – Publicação do Regimento da Feitoria dos Linhos Cânhamos de Torre de Moncorvo e nomeação de Mateus de Sá Pereira para superintendente da mesma Feitoria.
04.07.1846 – Episódio da Patuleia noticiado pelo jornal Estrela do Norte:
- Guerrilha de D. Chama – Esta guerrilha, segundo as últimas notícias, tinha-se retirado para o concelho de Alfândega da Fé (…) A Guarda nacional de Fozcôa tinha passado o Douro para se unir com a de Moncorvo para onde concorriam os nacionais de Freixo, Poiares, etc. Estas forças iam partir incessantemente contra a guerrilha de D. Chama que, acossada e perseguida por todos os lados, deve estar a esta hora dispersa ou aniquilada.
04.07.1911 – Reunião extraordinária da câmara de Moncorvo com o objectivo de “resolver a atitude a tomar perante o estado de inquietação geral derivado da conspiração planeada no reino vizinho por alguns traidores e secundada ou auxiliada por vários outros que ainda se encontram no País…”
António Júlio Andrade

TORRE DE MONCORVO - ANO LECTIVO 1936/37

Click na imagem para aumentar.
Colégio Campos Monteiro

Reedição de posts desde o início do blogue

A Joana e o cão Damião e o gato Damiau por Júlia Barros Ribeiro

A Joana e o cão Damião e o gato Damiau

A Joana foi brincar para o parque com outras meninas e meninos da sua escolinha.
Também foram duas professoras.
Havia no parque muitos mais meninos e meninas que andavam de balouço, andavam no escorrega e também andavam a correr , a jogar às escondidas e a jogar à bola.
As professoras vigiavam para que nenhum caísse nem se magoasse.
A certa altura a Joana viu um cãozinho pequenino, com um focinhito muito lindo, mas muito triste.
A pequerrucha deixou o balouço e veio fazer uma festinha ao cachorrinho.
Uma professora disse:
- Cuidado, Joaninha, que o cão pode morder.
A Joana respondeu:
- Ele ainda é pequenino.
Então o cachorrito lambeu a mão da Joana e fez:
- Béu, béu !
- Que engraçado - disse a Joana para a professora – o cão disse que se chama Damião.
A professora sorriu e outros meninos e meninas vieram brincar com o Damião que voltou a fazer :
- Béu, béu !
A Joana disse então para os amiguinhos:
- O Damião diz que anda perdido.
- Béu, béu ! Béu, béu ! – repetiu o Damião.
- E diz que não sabe do seu amigo .
- Quem é o teu amigo? - perguntou-lhe a Joana.
- Béu, béu !
- Ele diz que é o Damiau.
- E quem é o Damiau? – perguntaram os amigos da Joana.
O cãozinho respondeu :
- Béu, béu ! Béu béu !
- O Damião diz que o Damiau é um gatinho branco com quem ele gosta de brincar - explicou a Joana.
Os meninos e meninas começaram a procurar pelo parque o tal gatinho branco, enquanto iam chamando em voz alta:
- Damiau ! Damiau !
As professoras olharam uma para a outra e abanaram a cabeça, porque acharam muito estranho que só a Joana entendesse o que o cão dizia quando fazia : “Béu, béu” .
E então perguntaram :
- Ora diz lá, Joaninha, tu entendes mesmo o que o cão diz?
Antes da miudita responder, o Damião voltou a fazer :
- Béu, béu ! Béu, béu !
A Joana riu e explicou:
- O Damião diz que eu o entendo, porque ele me deu um beijinho na minha mão.
E lá vai ela correr e a chamar : - Damiau ! Damiau ! seguida do Damião com o seu - Béu, béu ! Béu, béu !
As professoras também correram e, rindo como as crianças, chamavam pelo Damiau.
E não é que nessa altura apareceu um gatinho pequenino, todo branquinho como um novelo de lã, com uns olhos grandes muito verdes, que correu direitinho para o Damião e, depois de um grande abraço, rebolaram ambos na relva muito felizes .
Depois levantaram-se e o Damião fez : - Béu ! Béu! .
O Damiau fez : - Miau ! Miau!
E a Joana disse:
- Agora vão para casa.
Então, as meninas e os meninos, as mães e os pais e avós e professoras, que estavam no parque e acharam muita graça ao Damião e ao seu amiguinho Damiau desataram a bater palmas.

Júlia Barros Ribeiro  (Biló)

Reeedição de posts desde o início do blogue

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Duzentos pilotos nas provas do Circuito Internacional de Vila Real


Cerca de 200 pilotos disputam as sete provas que integram o 45.º Circuito Internacional de Vila Real, que decorre de 10 a 12 de julho e marca a internacionalização do evento, anunciou hoje a organização.
Com as obras de adaptação e reforço de segurança praticamente concluídas, a cidade de Vila Real está pronta para acolher as corridas de automóveis, que este ano incluem uma prova da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o Mundial de Carros de Turismo (WTCC).
A apresentação do 45.º Circuito Internacional de Vila Real decorreu hoje, na cidade transmontana.
Francisco Vieira e Brito, elemento da Associação Promotora do Circuito Internacional de Vila Real, salientou que estão à volta de 200 pilotos inscritos nas sete provas que irão decorrer ao longo dos três dias.
A prova rainha é o WTCC, a qual vai ser disputada por 20 pilotos. A realização do WTCC em Vila Real está garantida até 2017, o que acontece depois de a Câmara do Porto ter decidido suspender a realização do Circuito da Boavista.
Os restantes competem nas provas nacionais Trofeo 500, Desafio Único, Legends Classic Cup, Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300, Campeonato Nacional de Velocidade e Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos.
A programação do evento arranca na quinta-feira, dia 09, com um desfile dos pilotos do WTCC pela cidade de Vila Real, o apadrinhamento dos mesmos ao Jardim Botânico da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e uma passagem dos concorrentes pelas antigas boxes do histórico circuito de Vila Real.
Nos três dias de prova decorre, a partir do final da tarde, uma mostra do melhor do Douro, entre gastronomia e vinhos, e há concertos pelos GNR, um tributo aos Queen e atuações de DJ.
As primeiras corridas no Circuito de Vila Real, criado por Aureliano Barrigas, realizaram-se em 1931 e foram incluídas no programa das festas da cidade.
Durante várias décadas, milhares de pessoas visitavam anualmente Vila Real para assistir às corridas de automóveis, que se tornaram um dos "maiores eventos de Trás-os-Montes e Alto Douro" até terminarem em 1991, depois da sucessão de vários acidentes graves.
O anterior executivo de Manuel Martins (PSD) retomou o circuito em 2007, com uma pista mais reduzida, mas o evento só se realizou até 2010 e, agora, de novo em 2014 pela iniciativa da equipa do autarca Rui Santos.

Fonte:http://desporto.sapo.pt/motores/artigo/2015/07/02/duzentos-pilotos-nas-provas-do-circuito-internacional-de-vila-real

Freixo de Espada à Cinta - Férias de Verão 2015

Clique na imagem para ver maior

De forma a colmatar a falta de actividades lúdico-pedagógicas para os mais novos durante as férias de Verão a Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta promove este ano, pela primeira vez e totalmente gratuitas, as Férias de Verão.
As Férias de Verão contam com várias oficinas, como por exemplo oficinas de fotografia, pintura, expressão plástica, expressão musical, expressão motora entre outros. As Férias de Verão têm como principais objectivos manter as crianças do concelho de Freixo ocupadas durante todas as férias do Verão, promover nelas o interesse pelo mundo das artes, da expressão dramática e da expressão motora, e ainda incutir nas crianças o espírito de camaradagem e de convivência em sociedade. 
As Férias decorrem durante todo o Verão no período da tarde, das 14 horas às 17 horas, no Multiusos Municipal, de segunda a sexta-feira. O transporte das crianças até ao Multiusos é garantido pelo autocarro da Câmara Municipal, e parte às 14 horas do Terminal Rodoviário de Freixo de Espada à Cinta em direcção ao Multiusos, regressando ao Terminal Rodoviário às 17 horas.
As inscrições para as Férias de Verão 2015 já estão abertas e podem ser efectuadas no Gimnodesportivo de Freixo de Espada à Cinta. 

Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta, 2 de Julho de 2015
Sara Alves 

Nordeste -EFEMÉRIDES - (03/07)

03.07.1829 – Falecimento do marechal José António Botelho de Vasconcelos, de Torre de Moncorvo, comandante da praça de Almeida quando se lançou o grito de revolta contra os Franceses e chefe miguelista entre 1823 e 1829.

03.07.1937 – Inauguração do novo Teatro Mirandelense.
António Júlio Andrade

TORRE DE MONCORVO - Registos de Passaportes (1930)











Reedição de posts desde o início do blogue

ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DOS ALUNOS E AMIGOS DO EX-COLÉGIO CAMPOS MONTEIRO DE MONCORVO

Conforme o programa anunciado, a Associação dos Alunos e Amigos do ex-Colégio Campos Monteiro de Moncorvo (AAACCM) realizou o seu encontro anual nos dias 28 e 29 do passado mês de Maio.
No primeiro daqueles dias, pela manhã, teve lugar a concentração de antigos alunos, colegas e amigos, no adro da Igreja Matriz, a que se seguiu a celebração de uma missa em memória dos professores e alunos falecidos. Decorreu, ao fim da manhã, no auditório da Biblioteca Municipal o acto de lançamento do livro «ANGOLA – O Conflito na Frente Leste», da autoria de Benjamim Almeida, antigo aluno do supra citado Colégio. Nesta obra o autor relata a sua experiência no cumprimento do serviço militar obrigatório, com destaque para a sua intervenção na guerra colonial na zona Leste de Angola, onde desempenhou, com a patente de capitão miliciano, as funções de intermediário entre as autoridades militares da região e a direcção do movimento de libertação, UNITA, com vista à manutenção do acordo de não agressão mútua em vigor na época.
O livro foi apresentado pelo Dr. João Manuel Alves de Oliveira, amigo e companheiro de armas do autor, que fez uma breve mas elucidativa exposição do seu conteúdo. Àquela cerimónia seguiu-se o já tradicional almoço nas instalações da Escola Secundárias Dr. Ramiro Salgado com a presença de 90 pessoas – associados e convidados - entre as quais o Director do Agrupamento de Escolas de Torre de Moncorvo, Dr. António Alberto Areosa.
Ao almoço e convívio seguiu-se a tarde de animação musical com a presença da Escola «SaborArtes», grupo de Torre de Moncorvo que interpretou peças populares revelando elevado nível de formação musical, o que constituiu para todos os presentes uma agradável surpresa. Como contributo adicional para a animação, os presentes tiveram ainda o ensejo de apreciar um pequeno mas excelente concerto de guitarra de Coimbra, apresentado pelo Dr. Luís Plácido, antigo estudante da respectiva universidade e particular amigo da AAACCM. Finalmente, tal como em anteriores momentos de convívio e animação, actuaram os Irmãos José e Manuel Pestana que, à viola e guitarra respectivamente, interpretaram fados de Lisboa, cantados pela esposa do Manuel e ainda fados de Coimbra, cantados por um amigo, membro do grupo «SaborArtes».
No dia 29 concretizou-se a visita, com a presença de cerca de 20 elementos, à antiga vila medieval de Mós. O grupo foi recebido e acompanhado pelo Presidente da Junta de Freguesia,
Senhor Paulo Bento, e teve como guia o Dr. Nelson Rebanda, arqueólogo e profundo conhecedor da riqueza histórica e arqueológica da nossa região, em particular de Mós. Aqui, o curto período reservado para a visita – uma manhã – apenas permitiu uma rápida e simples apreciação de alguns dos grandes valores do património local, mas suficiente para despertar em todos os presentes um sentimento de saudade e a vontade firme de um dia ali voltar.

Ramiro Salgado

Nota: Click nas imagens para aumentar

Reedição de posts desde o início do blogue

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Freixo de Espada à Cinta - Natação Infantil – Bebés


A partir do dia 6 de julho vão ter lugar na Piscina Municipal da Congida as aulas de Natação Infantil – Bebés. As aulas de Natação visam promover a adaptação
dos bebés ao meio aquático, e destinam-se aos bebés com idades entre os 6 e os 36 meses.
As aulas de Natação Infantil – Bebés são acompanhadas pela professora Nélia Gaspar, e os pais tem de acompanhar os seus filhos na aula. Os pais que queiram participar nestas aulas com os seus bebés devem fazer a sua inscrição do Gimnodesportivo de Freixo. 
As aulas serão todas as segundas-feiras das 18 horas às 19 horas. 

Material necessário obrigatório: 
Fato de Banho/ fralda específica para a piscina; 
Toalha;
Brinquedos;
Chapéu;

Torre de Moncorvo: Escola Municipal Sabor Artes apresentou espetáculo de fim de ano letivo


Escola Municipal Sabor Artes apresentou espetáculo de fim de ano letivo.

Nos dias 26 e 27 de Junho os alunos da Escola Municipal Sabor Artes apresentaram dois espetáculos no Cine-teatro de Torre de Moncorvo. 
Na sexta-feira subiram ao palco os mais novos que interpretaram, tocaram e dançaram alguns temas musicais. Já no Sábado foi a vez de os adultos demonstrarem os conhecimentos adquiridos ao longo do ano letivo, que agora termina. 
Durante os concertos atuaram as turmas de violino, bateria, coro adulto, canto, coro infantil, formação musical, cavaquinho, guitarra, acordeão, piano de iniciação, prática de conjunto, dança de salão e ballet. A 
Após estes espetáculos a Escola Municipal Sabor Artes encerra para férias, regressando ao ativo após o Verão.



Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, 30 de Junho de 2015
Luciana Raimundo 

Convite: As Asas da Libelinha


Torre de Moncorvo : Foz do Sabor recebeu 6º Encontro de Idosos do concelho

Teve lugar durante o dia 26 de Junho, mais uma edição do Encontro de Idosos do concelho de Moncorvo. A iniciativa contou com a presença de cerca de 300 idosos das Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho e com uma Instituição da Cruz Vermelha de Vila Nova de Gaia. De destacar a presença do Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves, e da Vereadora do pelouro da ação social, Piedade Meneses. 
Do programa fez parte uma missa campal que contou com a participação das instituições e um almoço convívio entre todos. Durante a tarde, a festa foi animada com a atuação da Escola Municipal Sabor Artes, de algumas IPSS’s, um baile convívio e um lanche.


Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, 30 de Junho de 2015
Luciana Raimundo 

Traga-Mundos - Mostra de Saberes e Cultura de Vila Real


A Mostra de Saberes e Culturas de Vila Real é um evento regional que visa promover a participação ativa de todos os agentes locais empenhados no desenvolvimento económico e cultural, numa celebração de cidadania. Pretende-se que esta iniciativa seja um eixo do desenvolvimento local no contexto da região de Vila Real.
Estarão presentes associações de desenvolvimento local, produtores agrícolas locais, empresas apostadas no desenvolvimento local, artesãos e associações culturais. Os participantes expõem os seus produtos, em stands, partilhando experiências e saberes ou exibindo a sua arte e cultura.
Realiza-se em Justes, no dia 4 de Julho de 2015, no parque Nossa Senhora de Lurdes.


"Inverno Mágico", de António Pinelo Tiza


Nordeste Transmontano -EFEMÉRIDES - (02/07)

02.07.1713 – Acta da reunião da câmara municipal de Moncorvo:

Casa do Concelho
- (…) Apareceu António Martins, de Bruçó, e disse que passava pelo limite desta vila com duas carneiradas que era para a cidade de Lisboa, a saber, uma de 550 carneiros e outra de 560, as quais iam uma atrás da outra e hão-de passar pelos sítios seguintes: entrarão pelo pinhal do seguro e irão por toda a encumia até descer a São Bento e Santa Leocádia e daí a Ribacavada e daí por toda a estrada até passar na Barca do Douro. E se obriga a pagar em dobro toda a perda que fizer em renovos ou propriedades por onde passar, do que ficou por seu fiador João da Costa, desta vila…
02.07.1797 – Em reunião de câmara foi decidido arrematar a “obra da nova casa que há-de servir para Cadeia dos Presos, debaixo da Casa do Depósito que arrematou o pedreiro Luís da Costa. – Apontamentos: Levará a casa que há-de servir de cadeia para os presos duas paredes e estas levarão quatro palmos de largura, feitas de alvenaria e se abrirá a porta que está tapada ao fundo das escadas da cadeia que sobem para ela e as ditas duas paredes serão também caiadas da parte de dentro e terão de comprimento o que vai da parede da cadeia correndo do nascente até ao ponte a dar na trave que divide a Casa do Concelho. E de largo no cimo o que for necessário até dar na parede da cadeia correndo para o sul…”
02.07.1909 - Telegrama enviado pelo Director do Minho e Douro da CP – “Exº Presidente câmara municipal Moncorvo. Não estão na minha alçada as providências que Vª Exª me pede. Abertura da Ponte do Pocinho tem de ser ordenada superiormente”.
02.07.1940 – Inauguração do edifício da câmara municipal de Alfândega da Fé.
António Júlio Andrade

Barco a passar na barragem do Pocinho (Vídeo)



Reedição de posts desde o início do blogue

Capela do Sagrado Coração de Jesus - Recuperação

 A capela do Sagrado Coração de Jesus pertencia ao já demolido solar da família Carneiro Vasconcelos, tendo sido erguida, ao que tudo indica, no decorrer da primeira metade do século XVIII. Certo é que o órgão remonta a ano de 1743.

O portal principal é formado por pilastras e encimado por frontão de volutas interrompido pelo Sagrado Coração de Jesus, ao qual a capela é dedicada. O século XVIII correspondeu, em Torre de Moncorvo, a um crescimento considerável da vila, quer em termos populacionais, quer em termos de superfície e de novos imóveis. Também o património religioso conheceu um crescimento, contando-se duas igrejas, um convento de frades, um recolhimento feminino, a igreja da Misericórdia, a capela do hospital e quinze capelas, oito das quais do padroado da câmara e sete de particulares (ABREU, p. 96). Estas, encontravam-se, como a capela do Sagrado Coração de Jesus, integradas nos solares setecentistas erguidos nesta centúria e que documentam o desenvolvimento da vila e da nobreza aí residente.

(Rosário Carvalho)
Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público
Decreto n.º 28/82, DR n.º 47, de 26-02-1982
Fotografias enviadas por Carlos Manuel Firmino Ricardo
Nota: A capela está a ser restaurada pelos seus actuais proprietários.

REGIÃO: Portagens no caminho de serem implementadas na autoestrada que liga Vila Real a Bragança

A votação na Assembleia da República é só amanhã, mas pela forma como ontem discursaram os deputados da maioria parlamentar (PSD-CDS) as portagens na Autoestrada Transmontana, entre Vila Real e Bragança, vão mesmo ser implementadas.
O Projeto de Lei do Bloco de Esquerda pelo fim das portagens nas antigas SCUT, e o Projeto de Resolução d'Os Verdes para que a Transmontana não seja portajada, reforçado com a Petição da Comissão de Utentes da A4 que reuniu seis mil assinaturas, não devem alterar a intenção do Governo.
Pedro Filipe Soares, do Bloco de Esquerda, insistiu na abolição das portagens nas ex-SCUT para garantir a mobilidade das pessoas sem terem de pagar onde não existem alternativas às autoestradas.
Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista Os Verdes, disse que as portagens na Autoestrada Transmontana vão dar cabo da região.
Ivo Oliveira, do PS, lembrou que as portagens, exceto nas variantes a Bragança e Vila Real, não estavam previstas na obra lançada no Governo de José Sócrates.
Jorge Machado, do PCP, destacou que a Autoestrada Transmontana com portagens vai dificultar o acesso a vários serviços.
Do lado da maioria parlamentar, Hélder Amaral, do CDS, defendeu as portagens, alegando que a região transmontana deve retribuir pelo investimento feito na autoestrada construída no Governo de José Sócrates.
Por seu lado, Paulo Cavaleiro, do PSD, que também defende o princípio do utilizador/pagador, disse que as portagens não serão para já.
O resumo das intervenções de ontem, na Assembleia da República, dos deputados dos vários partidos, no debate as portagens na Autoestrada Transmontana.
Universidade FM


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Freixo de Espada à Cinta - À Vista de Pássaro


Freixo - Voo de Pássaro from Leonel Brito on Vimeo.

O  voo da águia

A águia, invisível mas sempre presente, vigia, flutuante, os lugares sagrados, habitados há milénios por homens que hoje vão desaparecendo.
 A sua visão, aberta e atenta, feita também do prazer de um mensageiro dos deuses, cativa a água límpida do Douro entre fragas que os séculos lavraram e pousa o seu remanso olímpico na vinha verde e vibrante, nos laranjais com suco de ambrosia, nos olivais cujas folhas consagravam  e coroavam os melhores e o azeite alimentava as candeias dos sábios gregos.
 A águia percorre o concelho de  Freixo de Espada à  Cinta, no seu voo de rainha, na sagração da Primavera, identificando aldeias e caminhos, casas, praças e pracetas. E a Torre do Galo como um marco e canto secular, berço e sentinela do destino de um povo poético e missionário. É o farol de granito nas tormentas da História.
 Mas sempre o Rio e as suas margens. A identidade de Freixo começa e acaba no Rio.
A geografia da água é intemporal.
Tudo cresce, nasce, morre e renasce.
 E o Rio, sempre o Rio entre pedras e o xisto que refulge nas casas e na paisagem.
 Do suor do Rio, misturado com o suor dos homens, escorre o vinho e o azeite, descasca-se a laranja e parte-se a amêndoa.
 Deste espaço sagrado, com a vigilância permanente do águia, do Penedo Durão às arribas abruptas de Espanha, que poderão dizer os deuses, senão, perplexos e invejosos, reconhecerem: o Olimpo está em Freixo de Espada à Cinta.
 E a águia em voo rasante, poesia e voz autorizadas pelas águas do Douro, pela pedra e pelo xisto, pelos olivais, laranjais e amendoais, como se fora uma oração à luz e ao pão, responde-lhes:

Ó deuses, eu não vos disse?

Rogério Rodrigues

Amílcar Paulo - Freixo de Espada à Cinta


Há cerca de dois anos fomos surpreendidos pela notícia do falecimento de Amílcar Paulo. 
Soubemo-lo tempo depois do seu trespasse. Chorámos o Amigo e Colaborador. Ao reatar-se o fio cortado de AMIGOS DE BRAGANÇA não podemos deixar de recordar a sua estatura voluntariosa que se impunha à própria doença que o minava. Profissionalmente delegado de propaganda médica para Trás-os-Montes e Beira interior, a sua inteligência arguta foi colhendo valiosa documentação sobre a raça judaica estabelecida há séculos nesta província, e daí o dedicar-se Amílcar Paulo à história do povo hebraico e suas vicissitudes. Estudioso e investigador, publicou várias obras como «Os Marranos em Trás-os-Montes — Reminiscências judio-portuguesas», «A inquisição no Porto — Achegas para a sua história», «Os Cripto-judeus», e colaboração abundante em AMIGOS DE BRAGANÇA, além de jornais corno «O Primeiro de Janeiro», a revista «O TRIPEIRO», e numerosas comunicações em Congressos de História. Foi Presidente do Instituto de Relações Culturais Portugal — Israel. Amílcar Paulo nasceu em Fornos (Freixo de Espada à Cinta), em 27 de Janeiro de 1929. Faleceu no Porto, onde residia, em 1983. Homenageando postumamente a sua memória extraímos da 2.8 série de «AB» um dos seus artigos sobre uma personalidade judaica nascida em Bragança no século XVII, com nome na toponímia da cidade. 

Fonte: Revista "Amigos de Bragança" - Outubro de 1984

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (01/07)

Monumento ao Bombeiro
(Camané)
01.07.1796 – Nomeação do dr. José Pedro Soares dos Reis e Vasconcelos para o lugar de corregedor da comarca de Moncorvo.
01.07.1902Antero Augusto Silva nomeado secretário da Administração do concelho de Moncorvo, por aposentação de Manuel António da Silva.
01.07.1911 – Acta da reunião da câmara municipal de Moncorvo:
- Foi em seguida lembrada a conveniência de se adquirir uma bomba de incêndios e organizar um corpo de bombeiros voluntários, atendendo às péssimas condições em que se encontra a vila para a extinção de um incêndio, se bem que da parte dos habitantes se tenha evidenciado o pronto socorro e mais louváveis esforços…

António Júlio Andrade


Casa do Benfica de Carviçais I




"Esta é a primeira aldeia do país a ter uma Casa do Benfica”, afirmaram os dirigentes locais, daquela estrutura benfiquista".
in RTP

Reedição de posts desde o início do blogue

TORRE DE MONCORVO - HOSPITAL (1955)


Reedição de posts desde o início do blogue

terça-feira, 30 de junho de 2015

Temporada do D. Maria II com homenagem a Eunice Muñoz

Teatro Nacional D.Maria II
O director artístico do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, fez ontem, dia 29, a apresentação pública da programação da temporada 2015/16, "com 21 espectáculos, muitos deles inéditos em estreia absoluta", e das linhas programáticas para o triénio 2015/18.
A apresentação, aberta ao público, decorreu na sala Garrett do Teatro, e, além de Tiago Rodrigues, contou com a presença do presidente do conselho de administração do TNDM, Miguel Honrado, e do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.
Barreto Xavier revelou que escolheu Tiago Rodrigues por "acreditar que faz sentido haver uma renovação geracional e de projecto" e porque o encenador "representa um desafio à política cultural", quanto a Miguel Honrado "porque acompanha esta perspectiva e desafio".
O nome de Tiago Rodrigues para suceder ao encenador João Mota na direcção artística do TNDM foi conhecido em Outubro do ano passado, tendo tomado posse do cargo em Janeiro deste ano.

Freixo de Espada à Cinta - Vista Geral

Clique na imagem para ampliar

NORDESTE TRANSMONTANO- EFEMÉRIDES - (30/06)

30.06.1828 – Dissolvida a câmara de deputados e convocada a reunião das Cortes pelo rei D. Miguel. Nestas, por Moncorvo, tiveram assento : Bernardo Tomás de Gouveia e Vasconcelos, por Moncorvo; Bernardo José de Sousa Fonseca, por Freixo de Espada à Cinta ; António Ferreira de Castro Figueiredo e José Inácio de Morais, por Bragança.
30.06.1834 – Os Liberais tinham finalmente derrotado os Miguelista, seguindo-se, logicamente, uma nova vaga de mudanças e remodelações em toda a vida política. Em Moncorvo, nesta data, o professor de primeiras letras Sabino Manuel de Barros foi preso e encarcerado em Lamego. Para o substituir “deitaram mão” do professor de Urros que estava refugiado em Moncorvo e que fora preso pelos Miguelistas, entregando-lhe a escola de Sabino pois era ali méis necessário que em Urros. Este professor chamava-se Francisco António de Azevedo Lima e deixou escrita uma interessante Caderneta de Lembranças que só em 1998 foi descoberta pelo saudoso Toninho Gil. Foi publicada em diversos números do jornal Terra Quente, em preito de homenagem a esse meu grande amigo e colaborador do dito jornal.
Freixiel- forca
Esta deliberação foi tomada na reunião da câmara do dia anterior dizendo-se, nomeadamente:
- Por se achar a residir nesta vila Francisco António de Azevedo (…) aqui refugiado pela perseguição que a este lhe faziam os sectários do Governo Usurpador.
Este é mais um nome a ter em conta na história do Liberalismo em Torre de Moncorvo.
Outra medida foi a nomeação na mesma data de Luís Cláudio de Oliveira Pimentel para o cargo de Sub-Prefeito de Trás-os-Montes.
30.06.1890 – Augusto dos Santos Morais, natural de Freixiel, morador em Vila Flor, procede ao registo da patente do “Vinho Eupéptico Nutritivo de Moraes”.
30.06.1895 – Por qualquer razão que eu desconheço, neste ano a câmara de Lisboa celebrou com inusitada relevância as festas em honra de Santo António. E convidou autarquias de todo o País. Também a de Bragança. Esta terá respondido que não podia annuir a tal convite visto não haver segurança para os forasteiros”. Noticiando o caso, o semanário O Moncorvense saído neste dia, teceu irónicos comentários de que copiamos o seguinte parágrafo:

Moncorvo (1898)
- Consta-nos que a câmara de Lisboa enviou immediatamente para Bragança alguns cães vadios para acompanharem nesta cidade durante os festejos os timoratos camaristas brigantinos e uma mensagem em verso, que termina assim: - Deu-te a tolice o porvir… Tens um lugar na história!
António Júlio Andrade

Carrazeda de Ansiães - Verão com o Património

Com o objectivo de dar a conhecer o seu vasto património histórico-cultural a Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães, vai promover durante o verão, meses de Julho e Agosto, visitas guiadas aos principais pontos turísticos do concelho. Estas visitas realizar-se-ão mediante marcação prévia, na Loja interativa de Turismo ou através do email: lit@cmca.pt e estão condicionadas à participação mínima de 6 pessoas. Para além das visitas guiadas durante os meses de verão estará também funcionamento o Circuito Turístico do Castelo e dos Moinhos que conduz os visitantes inscritos num percurso com o seguinte itinerário: CICA, Centro Interpretativo do Castelo de Ansiães, Castelo de Ansiães, Miradouro da Rota do Douro, Senhora da Ribeira, Armazém da Quinta do Lobazim, Museu da Memória Rural em Vilarinho da Castanheira. Para mais informações, os interessados deverão contactar a Loja Interactiva de Turismo de Carrazeda de Ansiães através do número de telefone 278098507 ou do endereço electrónico lit@cmca.pt.

TORRE DE MONCORVO - Registos de passaportes (1929)



Click nas imagens para aumentar.
Fonte: Arquivo Distrital do Porto

Reedição de posts desde o início do blogue