segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Freixo de Espada à Cinta - 15 AGOSTO // Encontro dos Freixenistas

Clique na imagem para ver maior
No próximo dia 15 de Agosto, aquando das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Montes Ermos, tem lugar o anual Encontro dos Freixenistas.
Este ano o Encontro conta com a Apresentação do livro "Margarida Guerra Junqueiro - O Mundo começa em Freixo de Espada à Cinta" de Isabel Gomes Mota.
Após a apresentação do livro vão ser visionados os filmes promocionais de Freixo de Espada à Cinta.
O almoço convívio, pelas 13 horas, vai ser servido na Congida.
Ao final da tarde tempo para a Inauguração do Museu da Seda.
As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no Posto de Turismo, pelo telefone: 279 653 480 ou pelo e-mail: turismo@cm-fec.pt.

Preço:
Crianças dos 0 aos 6 anos - 0 euros
Crianças doas 6 aos 12 anos - 7,50 euros
A partir dos 12 anos - 15 euros

Programa
11h00
Recepção de boas vindas e Porto de Honra
11h15
Apresentação do Livro “Margarida Guerra Junqueiro, O mundo começa em Freixo de Espada à Cinta” da autoria da Dona Isabel Gomes Mota.
11h45
Visionamento de filmes promocionais do Município.
13h00
Almoço - Almoço dos Freixenistas- na Congida
17h00
Inauguração do Museu da Seda.

DISTRITO DE BRAGANÇA - EFEMÉRIDES (03/08)

03.08.1647 – Carta régia dirigida ao Cabido de Miranda para se não darem benefícios aos padres de ascendência judaica.
03.08.1756António José de Escobar obtém o título de nobreza e fidalguia em razão dos serviços prestados em prol da indústria sericícola transmontana.
03.08.1890 – Nota da Caderneta de Lembranças: - foiçe embora, e deixou o partido, o sr.Doutor Braz (…) veio o snr. Doutor Trigo, do Porto e logo tomou poçe do partido.
Senhora da Esperança
03.08.1895 – Do programa das Festas em honra da “Senhora da Esperança que se venera na sua capela ao Cuco” consta que “às 6 horas da tarde, sairá a Virgem da igreja matriz desta vila para a sua ermida em procissão. À noite haverá grande iluminação de perto de mil luzes e grande quantidade de balões venezianos. Duas bandas marciais tocarão toda a noite nos seus coretos, que estão primorosamente adornados. As bandas encarregadas são as de Moncorvo e Vila Flor. Um fogueteiro de Chaves sustentará toda a noite o arraial com lindo fogo, de ar, fogo preso e de vistas. Haverá também uma linda cascata, muitos balões aéreos e de variado gosto”.
03.08.1907 – O rei D. Carlos visita Mirandela.
António Júlio Andrade


TORRE DE MONCORVO - FELGAR

Fotografia eenviada por Teresa Malburet

Reedição de posts desde o início do blogue

No Trilho da Seda ,por Virgínia do Carmo

Depois de abrir a imagem, clique no endereço que se encontra no canto inferior esquerdo para a ampliar.

Ver: http://lelodemoncorvo.blogspot.com/2011/05/macedo-de-cavaleiros-escaparate-xxi.html

Reedição de posts desde o início do blogue

domingo, 2 de agosto de 2015

Prémio Literário Nortear

Estão abertas as inscrições para o Prémio Literário Nortear, uma iniciativa conjunta da Direção Regional de Cultura do Norte (Portugal), da Consellería de Cultura, Educación e Ordenación Universitária – Xunta de Galicia (Espanha) e do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza - Norte de Portugal
O prémio tem como objetivos promover o aparecimento de novos escritores, estimular a produção de obras inéditas no domínio da ficção e incentivar a criatividade literária entre os jovens escritores, residentes na Galiza e no Norte de Portugal.
O vencedor terá direito a um prémio monetário no valor de 2000 euros e a “publicação de um mínimo de 500 exemplares da obra”, com o custo total assumido pelos impulsionadores desta iniciativa, que se responsabilizam igualmente pela “realização de ações de divulgação das obras premiadas, a partir de lançamentos programados em equipamentos culturais da Galiza e do Norte de Portugal”.
Podem submeter as candidaturas aos prémios Nortear todos os jovens com idades compreendidas entre os 16 e 36 anos, residentes, nascidos ou registados na região Norte de Portugal ou na Galiza.
As inscrições estão abertas até dia 30 de setembro e permitem o envio de um máximo de duas “obras literárias que se enquadrem no género narrativo, subgénero conto”.

sábado, 1 de agosto de 2015

Vale da Vilariça

Foto JR

Torre de Moncorvo -Vista aérea

Foto de Henry Richard

Hino do Colégio Campos Monteiro


Carviçais Rock regressa de 06 a 08 de agosto

O festival Carviçais Rock, no concelho de Torre de Moncorvo, distrito de Bragança, regressa de 06 a 08 de agosto, com um programa musical "eclético" tendo como cabeças-de-cartaz os Quinta do Bill e os Amor Electro, além de uma aposta na promoção de bandas locais.
A organização do Carviçais está a cargo da Junta de Freguesia, Câmara de Torre de oncorvo e diversas associações culturais e desportivas daquele concelho do distrito de Bragança.
O festival de Música, que tem palco na aldeia de Carviçais, concelho de Torre de Moncorovo, distrito de Bragança, dirige-se a um público jovem e a emigrantes da região, mas "sempre de portas abertas" para outros entusiastas, sublinhou à agência Lusa o presidente da Junta de Freguesia de Carviçais, Francisco Braz.
"O nosso público vem essencialmente dos distritos de Bragança, Vila Real e Guarda, e da região transfronteiriça. Só uma pequena parte dos festivaleiros é oriundoade outros pontos do país porque, infelizmente, não podemos pensar num festival à escala nacional", acrescentou.
Para o primeiro dia do Carviçais Rock, 06 de agosto, está programada uma receção ao público, com atuação de um DJ no parque de campismo que dá apoio ao festival. Nesse mesmo dia e no centro da aldeia de Carviçais, haverá uma série de iniciativas músicas e outros divertimentos para proporcionar momentos "agradáveis aos visitantes".
Já no dia 07, sábado, subem ao palco os We Trus, The Walks, e Quinta do Bill.
No dia 08, domingo, é a vez de atuarem os Zona Zero, Terrakota, Ninga Kore e Amor Electro.

Fonte: http://www.impala.pt/detail.aspx?id=193395&idCat=2064


Mogadouro - Detido suspeito de violar mulher de 80 anos


Em comunicado, a Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real da PJ refere que os factos ocorreram no domingo, pelas 20:45, quando o desempregado se introduziu na casa da vítima, em Mogadouro, e, depois de manifestar, a violou, apoderando-se de "uma pequena quantia de dinheiro".

De acordo com a PJ, "em virtude da resistência da vítima, esta sofreu alguns ferimentos que exigiram tratamento hospitalar".
"Os factos ocorreram no dia 26 de Julho de 2015, cerca das 20:45, em Mogadouro, tendo para o efeito o arguido se introduzido na habitação da vítima, uma idosa de 80 anos. Após ter maniatado aquela, o arguido violou-a e apoderou-se de uma pequena quantia em dinheiro", descreve a PJ.
Aquela força polícial explica ter contado "com a colaboração dos militares do Posto da GNR de Mogadouro nas diligências efetuadas para a identificação do arguido".
De acordo com a PJ, o detido, "sem ocupação laboral, vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas".

Fonte: http://www.noticiasaominuto.com/pais/430036/detido-suspeito-de-violar-mulher-de-80-anos-em-mogadouro

NORDESTE TRANSMONTANO - EFEMÉRIDES (01/08)

Igreja da Misericórdia 
 Mirandela.(D.R)


01.08.1460 – Os concelhos de Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta e Mós estabelecem entre si um acordo de fixação das fronteiras.
01.08.1675 – O canteiro António Gomes arremata a obra de conclusão da igreja da Misericórdia de Mirandela.
01.08.1685 – Alvará régio autorizando os moradores de Carviçais a cultivar as terras regalengas do sítio da Resenha sendo os frutos dessas culturas para a Confraria das Almas.
01.08.1850 – Os jornais referem o caso de um lavrador de Freixo de Numão obrigado a homisiar-se em Murça porque os Marçais “assassinavam a esmo Realistas e Juntistas”.
01.08.1936 – O Presidente da República Óscar Carmona visita Mirandela.
António Júlio Andrade

Por Terras de Riba-Côa



Reedição de posts desde o início do blogue









Click nas imagens para aumentar.
No passado dia 23 de Setembro, decorreu um encontro intitulado "Percursos por Vilas Medievais fortificadas no Parque Arqueológico do Vale do Côa e Parque Natural do Douro Internacional", organizado pelo ACÔA e PAVC.
A recepção ao encontro foi feita no Museu do Côa, com uma visita a Vila Nova de Foz Côa, seguindo-se Castelo Melhor, o Solar de Almendra, Castelo Rodrigo e terminado com uma visita guiada ao Convento de Sta. Maria de Aguiar.

LEGENDAS
1- Foto tirada à entrada de Castelo Melhor. Ao centro, Dr. Paulo Dordio Gomes (especialista convidado), proferindo algumas palavras introdutórias e actualmente a terminar a tese de Doutoramente intitulada: "Os castelos da raia".
2- Foto tirada no interior do Solar de Almendra. Ao centro, seguindo para a direita, o Dr. Martinho Baptista (Director do Parque Arqueológico do Vale do Côa), Arq. Chiappa (proprietário do Solar), e por fim, a Dra Alexandra Lima (Directora do Parque Natural do Douro Internacional).

Nordeste Transmontano - 1974



Reedição de posts desde o início do blogue









Click nas imagens para aumentar.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Estágios internacionais remunerados: candidaturas até 30 de Agosto

Estão abertas, até 30 de Agosto de 2015, as candidaturas para o Programa INOV Contacto – Estágios Internacionais para Jovens Quadros, uma boa oportunidade para quem procura uma carreira internacional.
Os bons resultados obtidos com os estágios INOV Contacto levaram o Governo a renovar, mais uma vez, a sua continuidade.
Este projecto tem como objectivo apoiar a formação de jovens com qualificação superior através de estágios internacionais.

Fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/2015/07/30/estagios-internacionais-remunerados-candidaturas-ate-30-de-agosto/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Trancoso - Protocolo pretende promover o reforço da cultura do castanheiro no concelho

Clique na imagem para ver maior
A Câmara Municipal de Trancoso e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) assinaram um protocolo de colaboração que tem por objectivo promover o reforço da cultura do castanheiro no concelho de Trancoso.
A cerimónia estava marcada para ontem, 29 de Julho, no Pavilhão Multiusos de Trancoso, com a presença do presidente da Câmara de Trancoso, Amílcar Salvador, e do Vice-Reitor da UTAD, Artur Fernando.
Este protocolo pretende fomentar a implementação de práticas de cultivo conducentes à melhoria da produtividade do castanheiro no concelho de Trancoso, mediante a realização de um conjunto de acções de experimentação em soutos disponibilizados para o efeito, bem como através da transferência de conhecimentos quer para o Gabinete Técnico do Município, quer directamente para os produtores.
O protocolo tem a duração de 36 meses e tem como eixos principais de intervenção a Instalação de uma unidade de demonstração num souto adulto, pertença de um produtor do concelho, e actividades de extensão com grupos de produtores, visando sensibilizar para a adopção das práticas culturais mais adequadas às variedades de castanheiro e às especificidades climáticas e de solo da região. Proporcionará ainda a realização de uma tese de mestrado tendo como objecto de estudo a produção de castanha no concelho e sua melhoria, a concepção e edição de um livro sobre melhores práticas de cultivo e a efectivação de jornadas técnicas anuais sobre as problemáticas da fileira da castanha.
Com esta colaboração com a UTAD, a Câmara de Trancoso pretende desenvolver, melhorar e aumentar a produção de castanha no concelho, inserindo esta acção no eixo estratégico de desenvolvimento que representa o reforço das actividades agrícolas.
A castanha representa no concelho de Trancoso um produto agrícola de importância económica fundamental. O concelho é responsável por cerca de 5% da produção nacional de castanha, gerando um rendimento para os produtores de cerca de 3 milhões de euros anuais.

Fonte: http://www.jornalaguarda.com/index.php/regiao/3533-protocolo-pretende-promover-o-reforco-da-cultura-do-castanheiro-no-concelho-de-trancoso

Carrazeda de Ansiães - Atelier de Verão no Museu da Memória Rural

Durante os dias 2 e 3 de Agosto, das 15h00 às 18h00, o Museu da Memória Rural vai promover um atelier de jogos para os mais novos. Se queres aprender a lançar o pião, a jogar ao rapa, ou construir um moinho de vento vem ao museu e participa em mais esta iniciativa.

António Edmundo nomeado Subdiretor-Geral da Direcção-Geral das Autarquias Locais

O ex-presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, António Edmundo, foi nomeado Subdiretor-Geral da Direcção-Geral das Autarquias Locais.
O Despacho do Gabinete do Secretário de Estado da Administração Local, publicado na semana passada em Diário da República, refere que o júri do procedimento concursal apresentou uma proposta indicando três candidatos, entre os quais António Edmundo, que foi escolhido para exercer o cargo de Subdiretor-Geral da Direcção-Geral das Autarquias Locais. Na sequência da nomeação, António Edmundo, que em 2013 perdeu as eleições autárquicas com o socialista Paulo Langrouva, deixou de exercer o cargo de vereador do PSD na Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo.
António Edmundo desempenhava actualmente o cargo de técnico da Autoridade Tributária e Aduaneira/Direcção de Serviços das Relações Internacionais e de docente de Administração Autárquica e de Planeamento Regional e Urbano no ISCSP - Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Entre 2014/2015 foi técnico especialista na Secretaria de Estado da Administração Local, com responsabilidades de coordenação do Programa Capacitar, e entre 2013/2014 foi técnico da Autoridade Tributária e Aduaneira/Representação da Fazenda Pública, na Direcção de Finanças da Guarda.

Fonte: http://www.jornalaguarda.com/index.php/regiao/figueira-de-castelo-rodrigo/3534-antonio-edmundo-nomeado-subdiretor-geral-da-direccao-geral-das-autarquias-locais

Editora Âncora lança três livros no Festival Intercéltico de Sendim - Miranda do Douro


É já amanhã, dia 1 de Agosto, que a Editora Âncora lança três livros no Festival Intercéltico de Sendim - Miranda do Douro.




Clique na imagem para ver maior

Clique na imagem para ver maior

Clique na imagem para ver maior

DISTRITO DE BRAGANÇA - EFEMÉRIDES (31/07)

“Mauser – Vergueiro”.

31.07.1700 – Na reunião da câmara “assentaram, porquanto estão desfeitas as casas do Rossio e está impedido o terreno com a muita terra e Manuel Alves de Sousa está obrigado a entulhar a obra do Lageado e lhe fica mui cómodo o valer-se daquele entulho, assentaram que fosse notificado o dito António Alves que, dentro de 8 dias entulhe o Lageado, para se continuar a obra e querendo valer-se da dita terra o faça, com cominação de ser preso.
31.07.1836 – Eleições gerais. Os deputados eleitos, porém, não chegaram a tomar posse pois, ao abrir a 1ª sessão de tomada de posse, aconteceu a Revolução de Setembro, promovida pelos deputados eleitos pelo círculo eleitoral do Douro.
31.07.1900 – Registo da patente da invenção de um dispositivo na culatra da espingarda Mauser por Alberto José Vergueiro, de Alfândega da Fé. Daí a denominação ainda hoje usada de “Mauser – Vergueiro”.
António Júlio Andrade

Os cacharozes da minha infância, por Arinda Andrés

Os cacharozes da minha infância,

acachados na minha meninice
a insinuar-se nas minhas ansiedades,
em cachos de juventude,
cibinhos de mimo azul
a roçar, em saudoso cochicho,
uma cachinha da minha liberdade
tão acachadinha numa cacha de sol,
migalho deste meu entardecer!



a.andrés

Reedição de posts desde o início do blogue

TORRE DE MONCORVO - CORREDOURA

Click na imagem para aumentar

Reedição de posts desde o início do blogue

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Museu de Arte e Arqueologia do Vale do Côa comemora 15 anos

Há cinco anos, no dia 30 de Julho de 2010, foi inaugurado o Museu de Arte e Arqueologia do Vale do Côa, 15 anos após os protestos de ambientalistas e especialistas em arte rupestre que ditaram a suspensão, pelo governo socialista presidido por António Guterres, da construção da barragem de Foz Côa.
O Museu é uma estrutura do Parque Arqueológico do Vale do Côa com implantação sobranceira à junção do rio Côa com o rio Douro, integrado numa paisagem de grande beleza natural.
O edifício foi concebido pelos arquitectos Camilo Rebelo e Tiago Pimentel, ambos do Porto. Tem quatro pisos, organizados por um sistema de circulações verticais e horizontais. A cobertura reúne circulações pedonais de acesso ao museu e faixas destinadas a estacionamento de veículos. Incorpora ainda áreas panorâmicas, dois elevadores e uma escada, que fazem a ligação directa ao átrio de entrada do museu.
O Piso 0, onde se situa a exposição permanente do museu e as salas de exposições temporárias, é estruturado pela rampa/corredor que percorre todo o corpo. “No fim do primeiro tramo desta rampa forma-se um nó de ligações”: para o interior do Museu, para a área administrativa, sede do Parque e Museu do Côa, para o piso inferior, onde se localiza o restaurante/cafetaria e o auditório.
O Museu foi instalado com todo o rigor científico, como mostra explicativa dos ciclos de arte rupestre do Baixo Côa e Douro superior que se iniciam no Paleolítico superior, há mais de 25.000 anos. Explana todo um catálogo de sensibilidades que se contêm na rudeza dos painéis de xisto que há milhões de anos moldam a geomorfologia regional.

Fonte: http://capeiaarraiana.pt/2015/07/30/efemerides-2015-30-de-julho/

Distrito de Bragança - EFEMÉRIDES (30/07)

Adeganha
30.07.1791 – O corregedor da comarca, dr. José António de Sá, recebe as queixas dos povos e ordena que se tomem as seguintes medidas, entre outras: Que se concerte a Fonte da Ferrada, em Larinho; que se faça uma fonte no sítio do Couço, em Urros; Idem no sítio da Seara, em Estevais; idem ao pé da capela da Senhora das Neves, em Cabeça de Mouro; idem no sítio do Forno Telheiro, na Horta da Vilariça.30.07.1865 – Início de nova legislatura. Deputados Nordestinos – por Bragança – José de Morais Faria de Carvalho; Vinhais – Augusto César Falcão Fonseca; Mirandela – Carolino de Almeida Pessanha; Vila Flor – Lourenço António de Carvalho; Moncorvo – Manuel Guerra Tenreiro; Mogadouro – Manuel Paulo de Sousa
30.07.1902 – Exonerada a professora de Adeganha D. Ana Carolina da Mota, substituída por D. Cremilde Diomitila de Barros que se achava habilitada com o curso da Escola Normal do Porto.
30.07.1937 – Inauguração da Casa do Povo de Alfândega da Fé.
António Júlio Andrade


G.D.M. - FORMAÇÃO, INFANTIS

Fotografia enviada por Sílvio Carvalho

Reedição de posts desde o início do blogue

LINHA DO SABOR ( POCINHO - MONCORVO)













Click nas imagens para aumentar.

Reedição de posts desde o início do blogue

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Produção de vinho do Douro vai aumentar este ano

O aumento de produção de vinho no Douro pode chegar, este ano, a 30%, face a 2014, atingindo as 300 mil pipas. Para garantir estes números, é necessário, contudo, que o clima ajude, até Setembro. 21-07-2015 11:00 por Olímpia Mairos
Imprimir Enviar por E-mail Fonte Aumentar Letra Diminuir Letra
A produção de vinho na Região Demarcada do Douro (RDD) poderá crescer 20 a 30% face à colheita do ano passado. 
As previsões são da Associação de Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID), que aponta para uma produção "a rondar entre as 278 e as 300 mil pipas de vinho”. 
“Relativamente à produção do ano passado, o aumento é da ordem dos 20 a 30%”, avança a directora-geral da ADVID, Rosa Amador, advertindo, no entanto, que o resultado da próxi
ma vindima vai depender “das condições climáticas e fitossanitárias que se registarem até Setembro”.
“É fundamental que chova e que as temperaturas fiquem mais amenas para que se verifique uma boa colheita em termos de quantidade”, realça Rosa Amador. 
As previsões do potencial de colheita são efectuadas com base no modelo pólen, recolhido na fase de floração da videira, entre Abril e Junho, nas três sub-regiões do Douro: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior. 
A directora geral da ADVID diz ainda que em relação à qualidade “é cedo para fazer previsões uma vez que as uvas estão a pintar agora”, salientando que “não houve até agora factores que possam vir a por em causa a qualidade”. 
Relativamente às questões fitossanitárias, a reduzida precipitação no inverno e primavera contribuiu para uma baixa pressão da doença do míldio na região. 
Já a nebulosidade, oscilações da temperatura e elevada humidade relativa do ar, registadas em Junho, associadas ao rápido desenvolvimento vegetativo, proporcionaram condições favoráveis ao desenvolvimento do oídio.

Fonte: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=194148

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (29/07)

Urros -2011
29.07.1769 – Registo da carta de formatura do bacharel José Dinis, de Urros, pela universidade de Coimbra
29.07.1902 – Notícia de que a Escola Seixas era frequentada por 13 alunos pobres.
António Júlio Andrade

RIO DOURO - OUTONO II

Click na imagem para aumentar.
O Douro junto ao Museu do Côa

Reedição de posts desde o início do blogue

TORRE DE MONCORVO - Registos de passaportes (1947)



Fonte: Arquivo Distrital do Porto

Reedição de posts desde o início do blogue

terça-feira, 28 de julho de 2015

Recordando Amadeu Ferreira


Recordando Amadeu Ferreira from Leonel Brito on Vimeo.
Lançamento do livro NORTEANDO de Amadeu Ferreira e Luís Borges no Corte Inglés.
Lisboa ,29 de Julho de 2014.

Douro Internacional - Freixo de Espada à Cinta

Praia da Congida

Miranda do Douro - Álbum de Família (1940)

Foto da família de Carlos Ricardo (Camané)

Torre de Moncorvo lançou Guia Turístico Móvel

A Câmara Municipal de Torre de Moncorvo tem, desde a semana passada, um Guia Turístico Móvel que tem como objectivo ajudar os turistas e p
otenciais visitantes a conhecer melhor o concelho.
Moncorvo 365, como se chama a aplicação móvel, apresenta os principais pontos de interesse, o que visitar, a gastronomia, as tradições, os percursos pedestres, as belíssimas paisagens naturais e o que de melhor tem Torre de Moncorvo para oferecer. Disponíveis estão também outras informações importantes como locais de alojamento e de restauração para quem pretende desfrutar em pleno deste concelho abrangido pela Região Demarcada do Douro e pela área classificada como Património da Humanidade, pela UNESCO.
A empresa responsável pelo desenvolvimento da aplicação foi Orbcom. De acordo com a empresa “esta é uma excelente ferramenta de marketing para todas as cidades portuguesas, que todos os dias recebem novos turistas à procura de pontos de interesse” e acrescentou ainda que “proporcionar algo simples, gratuito e intuitivo irá certamente resultar numa experiência positiva e memorável para os turistas, que irão certamente regressar”.
A aplicação móvel diferencia-se pelo facto de serem os próprios responsáveis pela hotelaria e restauração a introduzir a informação sobre o seu negócio, sendo posteriormente aprovada por técnicos do Município. Desta forma, os proprietários dos estabelecimentos de Torre de Moncorvo poderão divulgar o seu serviço de forma detalhada, as ofertas disponíveis, assim como os trajetos para que os visitantes cheguem mais facilmente aos locais pretendidos.
Sendo compatível com todos os Smartphones e Tablets (sistema iOS e Android), a aplicação está disponível para download nas lojas virtuais App Store e Play Store, na página online do Município e na Loja Interactiva de Turismo.
A aplicação é de acesso gratuito quer para os utilizadores quer para os empresários aderentes e vai estar disponível brevemente em vários idiomas (português, inglês e espanhol).


Fonte:http://www.publituris.pt/2015/07/27/torre-de-moncorvo-lanca-guia-turistico-movel/

DO RELINCHO DO CAVALO DE MAZOUCO, por Amadeu Ferreira

 
ou INTRODUÇÃO A UM TRATADO DE ESSENCIAIS INUTILIDADES
[Arte do Paleolítico Superior. Mazouco, Freixo de Espada à Cinta. 2013]

[dedico este texto ao meu amigo Nelson Rebanda AF]
Ao delinear um quadro dependurado na sala do tempo, prende-nos o fotógrafo à nua respiração intemporal própria das obras de arte, que não têm qualquer sentido útil, mas apenas são por elas mesmas justificadas, resistindo a não aninhar a fotografia no aconchego das arribas nem a debruando com a moldura do próximo Douro:
- primeiro, foi-se o xisto acamando por milhares de milhões de anos, tempo da inenarrável gravidez da Terra e seu inassistível parto; depois, por muito, muito tempo, pincelaram os líquenes com seus ocres a lisa superfície da pedra; foi então a vez de os bacelos das paredes, as azedas, os fetos e outras ervas acenderem seus sorrisos verdes nas bocas que a rocha foi abrindo ao abraço do sol e do gelo, do vento e da água;
- porém, só há escassos milhares de anos alguém, talvez um jovem cansado e revoltado de tanto coçar feridas e dores, viu naquela superfície lisa uma tela de xisto e decidiu afrontar os falsos sábios que, já então, o céu reservavam aos que mais triunfam na luta por aconchegar a barriga – ganhar muito dinheiro como agora se diz! –, passando dias sem fim a dar vida a um inútil cavalo, que não galopa, não relincha, não acasala, nem sequer erva come: era um puro prazer que irrompia da luz do picotado, era a arte pela arte a inaugurar a história muito antes da escrita, pois foi aquela a primeira porta da dignidade que nos levou além de nós e nos fez vencer o tempo; só depois, lição ainda hoje não completamente aprendida, outros vieram contemplar aquele cavalinho, sorrindo ante o seu galope irrequieto, sonhando no esvoaçar da sua crina e da sua cauda, invejando a redondez dos seus músculos e ventre, enchendo-se da força do seu sexo, revendo-se na elegância do seu longo e nutrido pescoço, tentando acender o ignorado vulto humano que o seu focinho aquece e os elementos não param de esculpir, ouvindo o eco do tresloucado grito que acompanhou o último golpe da pedra na rocha: RELINCHA!!!, muito depois recriado por Miguel Ângelo com uma martelada no joelho do seu Moisés, e um angustiado PARLA!!!
- a lição do milenar escultor sobre o que é o património da humanidade continua viva no ensurdecedor relincho do cavalo de Mazouco, proclamando um tempo em que nos começamos a erguer à altura de nós mesmos, inutilidades com que nem arqueólogos e historiadores querem perder tempo.

Fonte: https://www.facebook.com/246368075500628/photos/a.246497565487679.1073741827.246368075500628/378458235624944/?type=1&theater

Convite - Apresentação do livro L’Eiternidade de las Yerbas dia 29 de julho em Lisboa

Clique na imagem para ver maior
Obra com poemas inéditos de Fracisco Niebro (pseudónimo de Amadeu Ferreira) e aguarelas de Manuol Bandarra, lançada dia 29 de Julho, no âmbito das celebrações do 65.º aniversário de Amadeu Ferreira.
O livro será apresentado por Ernesto Rodrigues, Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Director do CLEPUL.
A sessão terá lugar no próximo dia 29 de Julho, quarta-feira, pelas 18:30 horas, 
na Livraria Ferin, Rua Nova do Almada, 70, Lisboa.


SINOPSE
L’Eiternidade de las Yerbas | A Eternidade das Ervas, escrito em Português e Mirandês, foi um desejo de Amadeu Ferreira, com uma selecção de textos feita por si, entre as obras publicadas e inéditas, de Fracisco Niebro.
Os amigos fizeram algumas traduções em falta, e a organização dos textos, assim como das aguarelas que o seu irmão Manuol Bandarra fez para este livro, ficaram a cargo do filho de Amadeu Ferreira. 

Alfândega da Fé - Férias em ambiente rural e terapêutico para todos/as

Clique na imagem para ver maior
A Associação LEQUE, graças ao apoio do Movimento Mais para Todos, do Instituto Nacional para a Reabilitação, Quinta de Alvazinhos e Município de Alfândega da Fé, oferece neste Verão, férias para todos/as em ambiente rural e terapêutico. 
Decorreu esta semana a primeira etapa do Centro de Férias de Turismo Rural Inclusivo 2015, com a participação dos frequentadores da APPACDM (Mirandela), Centro Dom Abílio (Macedo de Cavaleiros) e CERCIMAC (Macedo de Cavaleiros), envolvendo no total 60 pessoas. As actividades decorreram em Alfândega da Fé, nas instalações da Associação LEQUE, nas Piscinas Municipais e na Quinta de Alvazinhos. 
Na próxima semana todas as actividades serão oferecidas aos frequentadores da Associação LEQUE, incluindo visitas à Praia Fluvial do Azibo, entre outras supresas, que serão reveladas ao longo da actividade.
No entanto, a edição do Centro de Férias 2015, culmina numa jornada com início a 15 de Agosto e término a 29 de Agosto. A actividade do Centro de Férias funcionará em Miranda do Douro, no Barrocal do Douro (Picote) e conta já com inscrições de todo os país. Mas fique atento/a porque em breve iremos divulgar parceiros e temos muitas, muitas surpresas! 
Mas para já fique com as fotos deste primeira semana. Clique aqui para ver
Por último queremos agradecer, a todos os parceiros (Movimento Mais para Todos, do Instituto Nacional para a Reabilitação, Quinta de Alvazinhos e Município de Alfândega da Fé) a confiança e dedicação ao projecto. 

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (28/07)

Hospital do Espírito Santo
28.07.1796 – Nomeação do Dr. Manuel José Baptista Felgueiras para o lugar de juiz de fora de Moncorvo.
28.07.1808 - Carta da Junta de Salvação Pública de Moncorvo para o Provedor da comarca:
- Constando agora nesta Junta que o rendimento da Barca desta vila pertencia a Joaquim Saldanha, como donatário da Coroa, cujo direito e mercê ficou vagando para a mesma Coroa, por ter entrado voluntariamente ao serviço aleivoso da França, Vª Mercê mandará fazer sequestro da mesma Barca, pondo o seu rendimento em depósito para entrar nos cofres reais e proceder à arrematação do mesmo rendimento até ao fim deste ano, tomando contas ao actual rendeiro, do que tem vencido desde o mês de Abril em que o mesmo donatário passou para a França.- Quanto à Comenda desta vila e às mais desta comarca que se acham vagas, como o Tribunal da mesa da Consciência e Ordens não pode exercer a sua jurisdição, por existir na Capital, tomada pelo Inimigo, convém que Vª Mercê, sem perda de tempo, as ponha em Administração, sem embargo das providências que aquele Tribunal tenha dado. Deus Guarde Vossa Mercê! Tomás Inácio de Morais Sarmento, Presidente.
28.07.1865 – Publicação do decreto aprovando a fusão do hospital do Espírito Santo e da Santa Casa da Misericórdia de Moncorvo.

António Júlio Andrade

Pequenas Memórias - “estorinha ”(XVI), por Júlia Ribeiro

“Grande é a poesia, a bondade e as danças ... Mas o melhor do mundo são as crianças “

Fernando Pessoa

As estórias são como as palavras e as cerejas. Puxa-se uma e vem logo uma data delas atrás. Ainda na esteira da última estorinha , lembrei-me de uma outra.
O meu filho já andava na 2ª classe. Uma tarde chegou das aulas e foi dizer algo à irmã. Disse cá para os meus botões: “Mais um palavrão. E eu a pensar que já não havia mais nenhum”. Logo a miúda a gritar: “Mamã! O TóJú está a dizer uma asneira. Está a chamar ânus ao cu”.

Júlia Ribeiro

Reedição de posts desde o início do blogue 

G.D.M. - FORMAÇÃO, JUNIORES

Fotografia enviada por Sílvio Carvalho

Reedição de posts desde o início do blogue 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Freixo de Espada à Cinta - Apresentação do Livro "Margarida Guerra Junqueiro" a 15 de Agosto


Clique na imagem para ver maior
SINOPSE

Ao  segundo dia de Primavera de 1909, em Freixo de Espada à Cinta, nasceu Margarida Guerra Junqueiro. Cresceu feliz nesta vila das terras quentes do Douro, junto a Espanha, distrito de Bragança.
Educada num colégio do Porto, viajou pela europa e regressando a casa aprendeu com a sua mãe e tias a gestão de uma casa agrícola. Aos 26 anos casou com Manuel Sarmento Rodrigues, oficial de marinha com uma vida preenchida por numerosas missões no mar, elevadas funções de estado na metrópole e nas colónias.  Acompanhar e apoiar o marido em cenários tão diferentes daqueles em que tinha sido educada, pôs em evidência as qualidades desta menina de Freixo: serenidade, organização, simplicidade,  uma viva inteligência e prodigiosa memória, confiança e Fé, uma coragem sem limites. 
Com a mesma tranquilidade viveu em Lisboa, Funchal, Guiné, Moçambique, deu a volta ao mundo, viajou em canoas e paquetes, dormiu em palhotas e habitou palácios. Educou os três filhos,  viu partir o filho e os genros para a guerra, foi posta à prova por um grave acidente vascular cerebral do qual conseguiu recuperar com muita tenacidade.  Quem a conheceu recorda o seu doce sorriso, o seu desprendimento dos bens materiais, a sua palavra de consolo sempre pronta, o seu amor pela família, a sua firmeza e sobretudo a sua Fé que lhe permitiu aceitar  também o Inverno que caiu sobre a sua vida com a viuvez. Sentindo que a sua missão estava cumprida, viveu os últimos anos vendo crescer os seus netos e bisnetos. Repousa ao lado do seu marido no Campo Santo de Freixo de Espada à Cinta.
Uma biografia extraordinária em que, mantendo o rigor factual,  o olhar feminino nos conduz por diversos lugares e pela evolução dos costumes em Portugal ao longo dos principais acontecimentos do século XX.