segunda-feira, 13 de junho de 2016

Feira do livro de Montalegre com vasta programação cultural

O município de Montalegre organizou mais uma edição da Feira do Livro entre os dias 1 e 5 de junho. O certame literário serviu igualmente para promover encontros culturais entre as várias instituições do concelho e apresentar o prémio literário Bento da Cruz.

www.cm-montalegre.pt__src17O primeiro dia da XVII Feira do Livro de Montalegre ficou marcado pelo anúncio público do prémio literário Bento da Cruz. Desaparecido em 2015, o maior vulto das letras do concelho passa a receber novo reconhecimento. A decisão foi comunicada pelo presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, que explicou como esta ideia, “cozinhada” ao longo dos últimos meses, ganhou forma: «é um projeto que já está em marcha e que vamos levar a cabo com muito empenho porque é uma outra forma de dar visibilidade ao território barrosão». Nesse prisma, é «uma forma de competirmos com os grandes prémios literários do país», defendeu.

Saído do orçamento municipal, a verba irá rondar os 20 mil euros. O valor exato ainda não está definido bem como o júri, para já, em período de auscultação. Contudo, acentua Orlando Alves, «queremos que façam parte dele os grandes nomes da literatura nacional», daí que o autarca não tenha dúvidas que «será muito participado» porque «o prémio é tentador». Esta decisão, remata, «irá apoiar a literatura portuguesa, dar visibilidade ao território e perpetuar o nome do maior escritor barrosão de todos os tempos que foi Bento da Cruz».


No segundo dia da Feira do Livro, o Centro de Recrutamento da Força Aérea realizou uma sessão de esclarecimento sob o tema “Força Aérea Portuguesa – Um futuro a ponderar”. Uma palestra destinada aos alunos do 11º e 12º anos do Agrupamento de Escolas Dr. Bento da Cruz. Antes da apresentação, atuou a turma de música do 6.º ano com um repertório tradicional do Barroso.

Durante o certame foi ainda inaugurada uma exposição denominada “Ferreira de Castro – Viajante, Jornalista, Escritor – Da origem à eternidade”. Trata-se de um conjunto de trabalhos que sintetizam a vida pessoal, literária e profissional de Ferreira de Castro, escritor nascido em Oliveira de Azeméis, e que passou pelo concelho de Montalegre, onde escreveu o romance “Terra Fria”. A iniciativa foi reforçada com a exibição de um documentário realizado pelo conhecido jornalista Mário Augusto. Ainda neste particular, destaque para a presença, entre outros, de António Ponte, rosto máximo da Direção Regional da Cultura do Norte, que explicou o objetivo desta iniciativa.

«Este documentário insere-se num projeto chamado Escritores a Norte, de valorização do território através de grandes nomes da literatura. O documentário sobre Ferreira de Castro foi construído em parceria com a Câmara de Oliveira de Azeméis mas que atinge outros municípios aos quais o escritor tem ligações. Este projeto é composto pela edição de nove vídeos, um livro e uma página na internet onde constará toda a informação sobre os escritores. É um projeto de turismo cultural e de dinamização socioeconómica do território».

Ao nível literário foram apresentados os livros “Respira…Respira comigo”, de Irene Silva, natural de Solveira, e “A Educação que vem – Entre a Performatividade e a esperança” da autoria de Eusébio Machado.

Integrado também na feira, subiu ao palco do auditório municipal a peça de teatro infantil “A Princesa e o Dragão”, de Óscar Branco e a peça do barrosão Abel Neves “El Gringo”.

Fonte: http://diarioatual.com/?p=251746

Sem comentários:

Enviar um comentário