sexta-feira, 3 de junho de 2016

MACEDO - À CONVERSA COM RAQUEL SEREJO MARTINS (Na Poética às 16 horas,hoje,25 de Agosto)



Raquel Serejo Martins nasceu em Trás-os-Montes (Vilarandelo, Valpaços). É licenciada em Economia, vive em Lisboa. Colaborou com a Rádio Universitária de Coimbra e e com o Diário de Coimbra. Tem dois gatos, o Xana e o Ícaro, pratica ioga, e tenta escrever poemas, fados e outras canções. Comove-se com as palavras de Lobo Antunes, Joaquín Sabina e Chico Buarque, com as pinceladas de Paula Rego, e com o cheiro a terra molhada em entardeceres de verão.
Foto :Raquel Serejo e Júlia Guarda Ribeiro.



"O relógio, o chefe, os sapatos, as gravatas, o aspirador, o fogão, o mecânico de automóveis, o trânsito, a TV, o sofá, o café, o tabaco, as chuvas, as luas, as chaves, as portas, a rede, a sede, o jardim, o gato, o aquário onde demasiados morrem afogados para lá da linha do equador. Então, no limite da lucidez, ou talvez da inconsciência, as palavras transformam-se em interrogações, o que foi feito de nós. Onde está a pessoa que eu sonhei, que eu queria ser, ou simplesmente o eu que conhecia! Chamam inconstantes aos que fazem demasiadas perguntas, e é solitária a procura das respostas."
A Solidão dos Inconstantes, Editorial Estampa, Lisboa, 2009

No final do Verão, aí está uma estreia para ler: a de Raquel Serejo Martins e do romance ‘A Solidão dos Inconstantes’ (edição Estampa). Uma história de amor e dúvida com Lisboa e Buenos Aires em música de fundo. Na próxima semana.
IN Crónicas de Francisco José Viegas

Ver:
http://www.facebook.com/lelo.demoncorvo#!/events/345923458827076/348702981882457/?notif_t=plan_mall_activity

Reedição de posts desde o início do blogue 

Sem comentários:

Enviar um comentário