quinta-feira, 30 de junho de 2016

NORDESTE TRANSMONTANO- EFEMÉRIDES - (30/06)

30.06.1828 – Dissolvida a câmara de deputados e convocada a reunião das Cortes pelo rei D. Miguel. Nestas, por Moncorvo, tiveram assento : Bernardo Tomás de Gouveia e Vasconcelos, por Moncorvo; Bernardo José de Sousa Fonseca, por Freixo de Espada à Cinta ; António Ferreira de Castro Figueiredo e José Inácio de Morais, por Bragança.
30.06.1834 – Os Liberais tinham finalmente derrotado os Miguelista, seguindo-se, logicamente, uma nova vaga de mudanças e remodelações em toda a vida política. Em Moncorvo, nesta data, o professor de primeiras letras Sabino Manuel de Barros foi preso e encarcerado em Lamego. Para o substituir “deitaram mão” do professor de Urros que estava refugiado em Moncorvo e que fora preso pelos Miguelistas, entregando-lhe a escola de Sabino pois era ali méis necessário que em Urros. Este professor chamava-se Francisco António de Azevedo Lima e deixou escrita uma interessante Caderneta de Lembranças que só em 1998 foi descoberta pelo saudoso Toninho Gil. Foi publicada em diversos números do jornal Terra Quente, em preito de homenagem a esse meu grande amigo e colaborador do dito jornal.
Freixiel- forca
Esta deliberação foi tomada na reunião da câmara do dia anterior dizendo-se, nomeadamente:
- Por se achar a residir nesta vila Francisco António de Azevedo (…) aqui refugiado pela perseguição que a este lhe faziam os sectários do Governo Usurpador.
Este é mais um nome a ter em conta na história do Liberalismo em Torre de Moncorvo.
Outra medida foi a nomeação na mesma data de Luís Cláudio de Oliveira Pimentel para o cargo de Sub-Prefeito de Trás-os-Montes.
30.06.1890 – Augusto dos Santos Morais, natural de Freixiel, morador em Vila Flor, procede ao registo da patente do “Vinho Eupéptico Nutritivo de Moraes”.
30.06.1895 – Por qualquer razão que eu desconheço, neste ano a câmara de Lisboa celebrou com inusitada relevância as festas em honra de Santo António. E convidou autarquias de todo o País. Também a de Bragança. Esta terá respondido que não podia annuir a tal convite visto não haver segurança para os forasteiros”. Noticiando o caso, o semanário O Moncorvense saído neste dia, teceu irónicos comentários de que copiamos o seguinte parágrafo:

Moncorvo (1898)
- Consta-nos que a câmara de Lisboa enviou immediatamente para Bragança alguns cães vadios para acompanharem nesta cidade durante os festejos os timoratos camaristas brigantinos e uma mensagem em verso, que termina assim: - Deu-te a tolice o porvir… Tens um lugar na história!
António Júlio Andrade

7 comentários:

  1. Muito obrigada ao António Júlio, por esta preciosa informação, que de uma maneira tão agradável, nos ensina preciosas coisas sobre as nossas terras, e que muitos de nós, de lá, desconhecíamos.
    Tininha, de Urros

    ResponderEliminar
  2. Margarida Lima Bom...roubei

    ResponderEliminar
  3. ...enviou immediatamente para Bragança alguns cães vadios...
    Eram cães de fora,pois.

    ResponderEliminar
  4. Forca de Freixiel

    Dominando a antiga vila de Freixiel, num pequeno promontório a nascente da povoação, encontra-se a Antiga Forca de Freixiel. É constituída por dois pilares de pedra granítica, de quase 3 metros, onde no topo assentaria uma trave em madeira. É Imóvel de interesse público ao abrigo do Dec. Nº 42 007, DG 265 de 6 de Dezembro de 1958.

    Acesso: EN 314 de Vila Flor para Abreiro, cruzamento à esquerda para Freixiel. A forca fica fora da aldeia, numa pequena colina atrás da igreja.

    ResponderEliminar
  5. hoje:http://tretas.org/VencimentoCargosPoliticos

    ResponderEliminar
  6. Seria bem interessante conhecer a Caderneta de Lembranças do Professor de Urros.
    Tininha

    ResponderEliminar
  7. Seria possível fornecer as fontes do artigo?
    Muito Obrigada
    M. Ribeiro

    ResponderEliminar