quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Visita ao Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

As Comissões Executivas das Especializações em Hidráulica e Recursos Hídricos e em Geotecnia promovem, no dia 18 de Novembro de 2011, uma Visita ao "Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor”.

Este Aproveitamento reveste-se de uma importância fundamental para o sector eléctrico nacional, devido à sua localização, no Douro Superior, a montante da cascata do Douro Nacional, e às suas características, com grande capacidade de armazenamento e grupos reversíveis, a que acresce o facto de poder também ser encarado num quadro de fins múltiplos, na medida em que gera outras valias que extravasam claramente o âmbito do sector eléctrico.
As obras do Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor tiveram início em Agosto de 2008 estando a entrada em serviço prevista para Agosto de 2014.

Para saber mais, veja em DESTAQUES :Visita ao Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

Reedição de posts desde o início do blogue

3 comentários:

  1. Barragem do Sabor
    Cimento transportado
    por via-férrea

    O transporte de cimento entre os entrepostos de Maia, Godim e Pocinho cresceu 20%
    com a construção, em curso da barragem do Sabor. A informação é da CP Carga, que
    tem levado mais comboios ao Pocinho, onde está o entreposto de cimento da Cimpor que abastece a barragem do Sabor. E, segundo a empresa, a respostaàs solicitações da obra só não é maior por estar limitada pela capacidade de armazenagem dos entrepostos de mercadorias. Esta é uma realidade que poderá ser alterada, caso se concretizea intenção de investimento de multinacionais nas minas de ferro de Torre de Moncorvo. Este interesse nas minas levou ontem vários autarcas da região a pedirem a reabertura da Linha do Sabor. Na Linha do Douro, o troço Régua-Pocinho
    constava da lista de troços aencerrar entregue à troika, maso acréscimo de passageiros quevem registando e a importânciado tráfego de mercadorias até aoPocinho salvaram-no, por ora.
    Público • Domingo 23 Outubro 2011

    ResponderEliminar
  2. ..Ordem dos Engenheiros Organiza Visita ao Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor engenhariacivil.com — As Comissões Executivas das Especializações em Hidráulica e Recursos Hídricos e em Geotecnia da Ordem dos Engenheiros organizam, no dia 18 de Novembro de 2011, uma Visita ao Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor. A Barragem do Baixo Sabor tem uma importância fundamental para o sector eléctrico nacional, devido à sua localização, no Douro Superior, a montante da cascata do Douro Nacional, e às suas características, com grande capacidade de armazenamento e grupos reversíveis
    engenhariacivil.com

    ResponderEliminar
  3. A "Saltos del Duero" foi a empresa encarregada de construir o aproveitamento hidroelétrico do rio Douro, e deu o nome ao conjunto de barragens instalado no torço internacional. Foi constituída em Bilbau em 3 de julho de 1918.

    Após observar o imenso potencial energético da zona, o governo espanhol aprovou a concessão global para o aproveitamento hidroelétrico do rio Douro e seus afluentes Esla, Tormes e Huebra, em 23 de agosto de 1926. Porém, ao tratar-se do troço internacional, foi só em 16 de agosto de 1927 que se assinou o acordo hispano-luso que fixou as condições da sua utilização, outorgando as concessões à Saltos del Duero.

    O troço atribuído à Espanha foi o situado entre a foz do rio Tormes e o lugar onde se construiu a barragem de Saucelle, com comprimento de 54 km e desnível aproveitável de 201 m, enquanto que a Portugal foi atribuído o troço compreendido entre o lugar onde o Douro começa a ser fronteira entre ambos os países e a foz do Tormes, com comprimento de 52 km e desnível aproveitável de 195 m, bem como outro troço a jusante da barragem de Saucelle.

    O primeiro projeto começou a ser feito em de 1929 quando começaram as obras do Salto de Ricobayo que regularia o caudal do rio Esla e administraria eletricidade ao norte de Espanha. Colocou-se em funcionamento em janeiro de 1935 com uma potência instalada de 100 MW, aumentando em 1947 para 133 MW.

    Em meados de 1942, iniciaram-se as obras do Salto de Villalcampo, que foi a primeira barragem construída no leito do Douro. A barragem começou a funcionar regularmente em 1949 com 96 MW. Em 16 de setembro de 1944, acordou-se a fusão da Saltos del Duero com a Hidroeléctrica Ibérica, criando-se a Iberduero. Com o aumento da procura energética produzida nessa época, a Iberduero começou a construção do Salto de Castro em 1946, que começou a produzir energia em 1952, com potência instalada de 80 MW.

    Em 1948 começaram as obras do Salto de Saucelle que constituiu a última barragem do Douro em território espanhol. Entrou em funcionamento em 1956 com uma potência de 240 MW.

    Em 1958 foi iniciada a construção do Salto de Aldeadávila que foi a central hidroelétrica de maior potência da Europa Ocidental. Começou a funcionar regularmente em 1962 com 718,2 MW - o que implicou dobrar a capacidade de produção da Iberduero - e em 1986 foi aumentada a potência em mais 421 MW, o que a converteu na mais importante do panorama hidroelétrico espanhol com os seus 1203,2 MW. Em 1970 inaugurou-se o Salto de Villarino.

    Finalmente, em 1991, o Conselho de Administração da Iberduero decidiu pela integração com a Hidroeléctrica Española mediante um processo jurídico de fusão por absorção, que teria a Iberduero como absorvente de igual para igual com a Hidroeléctrica Española. Em 12 de dezembro de 1992 foi assinada a escritura de constituição da Iberdrola.

    ResponderEliminar