sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Trás os Montes quer acabar com listas de espera até ao fim do ano

Arquivo Global Imagens
A Unidade Local de Saúde do Nordeste Transmontano quer acabar com as listas de espera nas especialidades de Oftalmologia e Ortopedia até ao final do ano. Uma operação que levará a ULS Nordeste a realizar mais 800 cirurgias extra.
O ministério da Saúde atribuiu à unidade um financiamento suplementar de 1 milhão de euros. Ortopedia e oftalmologia são as áreas mais críticas na população do distrito.

Trás os Montes quer acabar com listas de espera até ao fim do ano
Humberto Barreira tem 89 anos e há mais de quatro que fez uma cirurgia aos olhos, agora espera outra. "Aqui há tempos fui ao hospital. É capaz de haver um anito. Estou em lista de espera".
A idade também não tem ajudado a vista de Teresa Teixeira. Depois de há duas semanas ter operado o olho esquerdo espera por outra intervenção no direito. "Agora o senhor doutor já me disse que estava marcada para daqui a dois meses".
O tempo médio de espera na Unidade de saúde do nordeste para uma cirurgia aos olhos é de cerca de 2 meses e meio e para ortopedia um pouco mais. Agora e até ao final de Dezembro, a ULS compromete-se a acabar com as listas de espera com 700 operações aos olhos, 20 às hérnias discais e 80 às ancas. Patologias muito habituais na população idosa do distrito.
António Marçoa, diretor da Unidade diz que apesar de haver poucos especialistas vão dar conta do recado. "Vão conseguir! A nossa equipa de ortopedistas é de doze elementos mas a nível de oftalmologia só temos, neste momento, quatro oftalmologistas".


As 800 cirurgias serão realizadas nos hospitais de Mirandela e Macedo, onde estão concentradas estas especialidades, em horário noturno e ao fim de semana, acrescenta o responsável. "São feitas fora das horas de serviço, são feitas ao fim de semana. Não temos mais médicos, temos é mais horas de médicos por esse horário extraordinário. Logicamente não pagamos às equipas e depois pagamos o horário extraordinário. Mas é um facto que é feito em horário extra".
O governo comparticipa o plano com um milhão de euros.
O objetivo é entrar em 2016, sem listas de espera, nas duas especialidades que mais preocupam a Unidade Local de Saúde do Nordeste Transmontano: Oftalmologia e Ortopedia.

Fonte: http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=4737216&page=-1

Sem comentários:

Enviar um comentário