quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Nordeste Transmontano - Efemérides - (11/08)

11.08.1643 – Câmara de Moncorvo decidiu “que se compre ao licenciado Luís de Madureira Lobo desta vila o chão da casa que estava junto das suas, ao Rossio, para que fique o terreiro maior (…) por 18 mil réis, de que fará carta quando lhe pagarem, com condição que hão-de comprar ao sargento mor Paulo Botelho as suas casas do Rossio para nelas fazer na igualdade de cima a obra que se tem começada e que há-de tirar a escada e correr com a dita obra em todas as casas do dito Paulo Botelho até às de Francisco Gouveia Pinto por tirar do dito Rossio o recanto que a dita casa fazia e parecer assim bem a toda a gente nobre desta vila”.
11.08.1699 – Precatório para se construir uma ponte em Gralhós, aldeia anexa de Talhinhas.
11.08.1829 – Na sequência de uma queixa apresentada pela câmara de Moncorvo contra o presidente (juiz ordinário) da câmara de Fozcôa, o rei D. Miguel ordena ao provedor da comarca de Lamego “que vades sem demora à mencionada Vila Nova de Fozcôa aonde, convocando a câmara e o sobredito juiz ordinário, severamente os repreendais do abuso que praticaram, que declareis nula e sem efeito algum não só a posse que tomaram da referida Barca, mas igualmente a arrematação a que se procedeu, que obrigueis ao dito juiz ordinário a satisfazer por seus bens os rendimentos que é obrigado o rendeiro a pagar (à câmara de Moncorvo) e que desta, com o ofício e certidão de se ter praticado tudo o referido, fareis remessa ao provedor da comarca de Moncorvo e que igualmente façais registar na mencionada câmara a presente ordem”.
Freixo de Espada à Cinta
11.08.1900 – Nota da Caderneta de Lembranças: - é que butarão fora desta villa o snr. Antonio José Martins rei que tinha entrado no dia 8 de Maio de a877 por o ter nomiado a câmara regeneradora… agora era contra os que o tinham nomiado, foi bem feito.
11.08.1909 – O Clube de Caçadores de Bragança organizou um torneio de tiro aos pombos.
11.08.1914 – Terminou um processo-crime, algo intrincado. O comerciante e guarda-fiscal reformado António Francisco Saraiva Junqueiro, de Freixo de Espada à Cinta, juntamente com sua mulher e filha chamaram “garoto, pandilha, assassino, ladrão e conta-batadas” ao administrador Abílio Rodrigues. O irmão do administrador respondeu aos insultos com um tiro para o ar. Todos participaram. Todos foram absolvidos.

António J. Andrade

Sem comentários:

Enviar um comentário