>>>

sábado, 19 de Janeiro de 2013

Trás os Montes - Efemérides (19/01)

19-01.1827 – O brigadeiro Claudino Pimentel deixa o comando da divisão volante (corpo de tropas Liberais constituído com o objectivo de pacificar a província de Trás-os-Montes) para ir tomar posse do lugar de deputado para que fora eleito.
19.01.1862 – Nascimento de Carlos Almeida Pessanha, no lugar de Marmelos, Mirandela. Seguiu a carreira militar e foi deputado pelo partido progressista. Desempenhou também o cargo de governador na Guiné, de onde partiu para a Índia portuguesa. Suicidou-se em Diu, em14.9.1907.
19.01.1885 – Nascimento de Manuel António de Morais Frias, em Carrazeda de Ansiães. Formado em medicina, foi director do hospital de Santo António e da maternidade Júlio Dinis.
19.01.1905 – Nota do semanário Trasmontano:
- Fala-se da fundação de um lyceu em Moncorvo. Não é coisa que não possa ser, mas julgamos fabuloso tudo o que se possa dizer sobre tal assumpto. É a política que trabalha no caso, dizem, mas isto de projectos à realização de obras vae um passo muito agigantado. Veremos e depois falaremos.

Solar do Visconde do Banho (Almendra)
A notícia tinha sido dada pelo semanário progressista “Torre de Moncorvo” e era uma promessa de campanha do candidato a deputado Dr. Júlio César de Araújo e – dizia-se - do ministro Eduardo José Coelho.
 19.01.1919 – Revolta militar no Porto, com o objectivo de restaurar a Monarquia. Esta revolução ficou conhecida pelos nomes de Monarquia do Norte, Monarquia de Vinhais e Traulitânia. À proclamação no porto e formação de um governo provisório de que faziam parte Solari Alegro (originário de Vinhais) e o Visconde do Banho (de Moncorvo) seguiram-se uma série de manobras militares, essencialmente em Trás-os-Montes. Os combates decisivos entre Monárquicos e Republicanos viriam a acontecer na Ponte de Mirandela, com os trauliteiros acampados em Golfeiras, chefiados pelo major Guimarães, despejando bombardas sobre a vila e os republicanos instalados na vila de Mirandela. Foram 10 dias de intensos combates, com a vitória final dos republicanos. Para a história ficou um incidente militar menos honroso: a morte do alferes miliciano trauliteiro Costa Alemão quando atravessava a ponte sobre o rio Tua com uma bandeira branca na mão, solicitando tréguas.
António Júlio Andrade

2 comentários:

  1. dizem que houve na vila de Moncorvo um largo ou rua com o nome de HERÓIS DE MIRANDELA.O visconde do Banho que ligação tinha com Moncorvo?

    ResponderEliminar
  2. O 1º visconde do Banho nasceu em Torre de Moncorvo...
    O Largo dos Heróis de Mirandela era o antigo Largo do Seixo, hoje largo Balbino Rego... situado atrás da igreja e onde está a casa que foi do Barão de Palme e é hoje Museu do Ferro. J. Andrade

    ResponderEliminar