quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

DIA MUNDIAL DA MULHER - ESTEVAIS (2009)

Clik nas imagens para aumentar.
Fotografias de Leonel Brito
Reedição de posts desde o inicio do blogue

6 comentários:

  1. O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por "Pão e Paz" - por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.

    No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.

    Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.

    Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.

    1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres, mas também a discriminação e a violência a que muitas delas ainda são submetidas em todo o mundo.[1]

    ResponderEliminar
  2. No Dia Internacional da Mulher cantaremos também:

    Pão e Rosas
    James Oppenheim, 1911


    Enquanto vamos marchando, avançando através do belo dia,
    um milhão de cozinhas escuras e milhares de fábricas cinzentas
    são tocadas por um sol radioso que subitamente abre,
    e o povo ouve-nos cantar: Pão e rosas! Pão e rosas!

    Enquanto vamos marchando, avançando,
    lutamos também pelos homens
    pois eles são filhos de mulheres,
    e como mães os protegemos.

    Não mais seremos exploradas desde o nascimento até à morte
    os corações mirram de fome, assim como os corpos
    dai-nos pão, mas dai-nos rosas também !

    Enquanto vamos marchando, avançando,
    milhares de mulheres mortas
    gritam através do nosso canto o seu antigo pedido de pão;
    exaustas pelo trabalho, não conheceram a arte, nem o amor, nem a beleza.
    Sim, é pelo pão que lutamos, mas também lutamos por rosas!

    À medida que vamos marchando, avançando,
    trazemos connosco dias melhores.
    O levantamento das mulheres significa
    o levantamento da humanidade.

    Basta de agonia para o trabalhador e de ócio para o malandro:
    o suor de dez que trabalham para um que nada faz.
    Queremos compartilhar as glórias da vida: pão e rosas, pão e rosas!

    Não permitiremos a exploração desde o nascimento até à morte;
    os corações morrem de fome, assim como os corpos :
    Pão e rosas, pão e rosas!


    Este poema foi escrito em Dezº de 1911, por James Oppenheim, um poeta e activista filiado no sindicato IWW (Industrial Workers of the World ).

    ResponderEliminar
  3. Tudo muito interessante o que tenho encontrado neste abençoado "Farrapos de Memória" e fascinante o que tenho vindo a ler em "Os Judeus en Trás-os-Montes".Muitos Parabéns pelo seu excelente trabalho, Lelo Brito.
    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Por certo, estas duas mulheres transmontanas foram valorosas. Ainda bem que Alguém, neste caso Leonel Brito, lhes captou o tutano!

    Abraço,
    Isabel

    ResponderEliminar
  5. ♀ Homenagem a estas 2 Mulheres no Dia Internacional da Mulher!!!! E a saudade da minha Tia Graça que no ultimo dia 05 fez um ano de falecimento. ♥

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar