quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Vinhais - Mil diabos nas ruas de Vinhais no final das festas de inverno


Evento está associado à purificação e termina com a queima da morte. Quem quiser vestir a pele do diabo pode fazê-lo no próximo sábado, 13 de fevereiro, em Vinhais, e ser uma das mil imagens diabólicas que vão andar pelas ruas da vila, acompanhadas pela morte. Trata-se de um ritual que acontece pelo terceiro ano consecutivo e que está associado à purificação, à mudança para a estação clara e ao início do período de penitência. "O dia desta tradição é na Quarta-feira de Cinzas, esse é o dia em que os diabos e a morte saem à rua. Mas nós decidimos prolongar até ao sábado seguinte e fazermos o que acaba por ser o encerramento do ciclo das festas de inverno do Nordeste Transmontano", disse Roberto Afonso, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Vinhais. O evento tem início às 18h00 com a missa de Imposição de Cinzas, na igreja do Seminário, à qual se segue a procissão com mil diabos e uma morte de sete metros de altura, transportada num carro de bois. "Durante o percurso, os diabos capturam e enjaulam, em carros de bois, as raparigas que os desafiam a partir das janelas e varandas das casas. Depois, são levadas até à Pedra onde são julgadas e purificadas", explicou o vereador. Ao longo do trajeto, que termina no largo do Arrabalde, há representações teatrais – ‘Sete pecados mortais’, ‘A fuga do Inferno’, ‘O julgamento’ e ‘A Revelação do Rosto da Morte’ – com a participação de 50 atores que irão ajudar o público a perceber melhor a tradição. "No final, as raparigas chegam fogo à morte, figura construída pelos professores e pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Vinhais, permitindo às pessoas verem o que esconde um pano negro colocado no lugar do rosto. Esse momento significa o fim da escuridão", contou ainda Roberto Afonso. Diz-se por Vinhais que "quem para o rosto da morte olhar, por mais um ano a irá afastar".

1 comentário:

  1. Muito interessante .Como transmontana,gosto que todas as tradições sejam repescadas e divulgadas ,como tem estado a acontecer ,um pouco por todo Trás-os-Montes .Para tal ,muito têm contribuído alguns e bons transmontanos ,que com as suas pesquisas ,nos ajudam a conhecer melhor a História da nossa região : «O reino maravilhoso » ,como lhe chamava o grande transmontano ,Miguel Torga .Os meus parabéns e força para continuarem .

    ResponderEliminar