quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

TORRE DE MONCORVO - Registos de passaportes (1935)

Fonte : Arquivo Distrital do Porto

4 comentários:

  1. Maria Jose :Passaportes muito antigos, que contam histórias. Por vezes bem tristes, pois ter o passaporte era sinal de partida e a partida era saudade,saudade da terra, família, do cheiro da terra, dos animais.Bom trabalho, gostei muito:-)
    há alguns segundos · Gosto

    ResponderEliminar
  2. O trabalho da investigadora, a doutora Carina Teixeira é exemplar.Todos investigadores ,historiadores e arqueólogos deviam ter este sentimento de partilha e colocarem nos vários blogs de Trás os Montes os seus trabalhos.É assim que lentamente vamos sabendo um pouco mais de nós.
    Um leitor

    ResponderEliminar
  3. Totalmente de acordo com "um leitor".

    Maneldabila

    ResponderEliminar
  4. Arinda Andrés :Passa-porte, é letra de uma canção, triste canção de partir;passaporte é ilusão, é tempo de se evadir.É rosto fechado, amargurado, é letra fugidia incerta;é carta aberta é tempo de partir!

    ResponderEliminar