sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

BILHETE POSTAL

Felgar e Urros 17-4-53

Bilhete Postal descoberto na caixa dos sapatos – arquivo das famílias simples.
Fico a imaginar os detalhes e as vidas de então.
Se havia telefone, seria caro e reservado a assuntos mais graves.
O Bilhete Postal servia na perfeição para dizer que nos 23 os tapetes não estariam prontos, para desejar saúde, para enviar lembranças e um abraço!
Os 23...
Tanta informação em dois dígitos. Nem era necessário falar em dia de feira. Era implícito.
O resto, deixo à imaginação dos descobridores. 

Reedição de posts desde o inicio do blogue

5 comentários:

  1. As vezes uma simples caixa pode guardar grandes tesouros.

    ResponderEliminar
  2. Muito postal eu escrevi para avisar de uma viagem,uma chegada,uma notícia rápida´.E só custava cinco tostões,mais barato do que o selo ,o envelope e o papel da carta.

    Ainda viverão as senhoras de Urros e do Felgar?S

    Maneldabila

    ResponderEliminar
  3. A senhora do Felgar - Zulmira Teixeira - emigrou para o Brasil onde constituiu família com outro felgarense: Acácio Rodigues. Tiveram três filhos. Gozam agora o privilégio de ver crescer os netos.
    Já voltaram a Portugal diversas vezes. A família mantém contactos regulares.
    Quanto à senhora de Urros não sei responder.
    A. Manuel

    ResponderEliminar
  4. Quem é a senhora de Urros,Tininha?
    Um bj

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  5. A minha mãe chamava-se Maria Zulmira Matias, e por momentos, cheguei a pensar que este postal lhe teria sido endereçado. A minha mãe era originária da aldeia de Felgueiras, mas deu instrução primária no Felgar nos primeiros anos da sua carreira (há cerca de 50 anos atrás)e, infelizmente, faleceu há 12 anos. Gostaria de saber se haverá algum registo fotográfico dos alunos e profesores dessa altura.
    Obrigada,
    Cecília Matias

    ResponderEliminar