segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

TORRE DE MONCORVO - A REVISTA DO CEPIHS

EDITORIAL

CEPIHS – Centro de Estudos e Promoção da Investigação Histórica e Social –, com sede em Torre de Moncorvo, recentemente fundado, pretende incidir a sua actuação nas regiões transmontana e alto-duriense. Este projecto convocou, desde logo, o interesse de conceituados especialistas de diferentes áreas do saber e de outros com responsabilidades culturais. Todos partilham da necessidade de desenvolver o conhecimento destas regiões à luz de uma análise conceptual e crítica do património cultural mas, também, dos processos e das potencialidades que se lhe associam.
Nesta acepção, o Centro de Estudos congrega recursos humanos e materiais, desenvolve parcerias locais e regionais, adopta práticas de trabalho colaborativo. Aos investigadores oferece uma grande variedade de campos temáticos, numa linha multi e interdisciplinar, e a fruição de um acervo acautelado pelos arquivos, museus e bibliotecas, públicos e particulares. O CEPIHS afirma-se, por isso, como um espaço privilegiado de pensar a cultura e os seus territórios, um espaço de referências e de diferenciação, um espaço gerador de dinâmicas e do equacionar de questões. O discurso crítico e argumentador, resultante dos vários e válidos contributos, traduzir-se-á, necessariamente, num amplo e rico leque de explicações e de representações.

O conhecimento assim construído, ampliado ou aprofundado, local e regional mas inserido na realidade nacional, ficará disponível através da sua divulgação, quer em encontros científicos, quer através de publicações como a que se apresenta – Revista do CEPIHS.
Centrado na Primeira República e enquadrado na celebração do centenário da sua implantação, este exemplar reúne um conjunto de artigos que fomentam uma importante reflexão sobre tal realidade, ao porem em jogo distintos ângulos de análise. Encontramos, entre eles, os que nos trazem a especificidade deste período histórico no concelho de Torre de Moncorvo, trabalhos que patenteiam uma pertinente abordagem das fontes locais, nomeadamente, da imprensa.
Destaca-se o facto de se terem recepcionado mais ofertas de colaboração do que era possível aqui incluir, pelo que farão parte do número seguinte as que não pudemos, agora, integrar. 
Endereça-se a todos os autores um particular agradecimento. 

A tarefa, que em comum partilhamos, de reflectirmos a nossa herança cultural – que se resguarda e lega –, advém da premência de preservarmos uma memória que dê um sentido de continuidade ao presente e consistência à produção futura. Ancoramos o CEPIHS neste ciclo temporal e figuramo-lo como a participação de construções e de modelos que se vão modificando ao sabor das interpretações de novos dados. Não há um saber último. 
A história das culturas, das civilizações, das ideias e sensibilidades que se foram sucedendo, tem na sua essência um constante fazer e desfazer ao classificar, interpretar e diferenciar os objectos e as matérias, que admite como os do seu estudo, numa tarefa para sempre interminável. Deste modo, e em última instância, o CEPIHS vislumbra um mais vasto pano de fundo – o encontro com a nossa própria identidade. 

Este primeiro número da Revista do CEPIHS, que inicia a actividade do Centro de Estudos e projecta os seus propósitos, logo, com um especial significado, é dedicado aos Senhores Professores Maria da Assunção Carqueja Rodrigues e Adriano Vasco Rodrigues. Ambos têm trilhado um precioso e fecundo percurso de investigação que marca a afirmação e a valorização cultural da nossa região. Esse percurso não se esgota aqui. Nele cabe uma relevante actividade científica alargada a diversas disciplinas e espaços, uma escrita literária impressiva, uma brilhante carreira pedagógica da qual sucessivas gerações de alunos beneficiaram, uma extensa bibliografia. Paralelamente, distingue-os uma presença modelar pautada, em cada momento, pelos mais estimados valores.

Somos conscientes de que o devido gesto de reconhecimento e de homenagem que registamos é muito modesto face à grandiosidade intelectual e humana dos Senhores Professores Maria da Assunção Carqueja Rodrigues e Adriano Vasco Rodrigues. Estamos certos, também, que dele partilham os incontáveis amigos e admiradores da sua obra, reveladora de aspectos capitais da Cultura Portuguesa. 

Adília Fernandes

Reedição de posts desde o inicio do blogue

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. CONTINUAÇÃO:
    Artigos

    António Pimenta de Castro
    O Projecto de Guerra Junqueiro para a bandeira da República

    Anunciação Matos
    As Imagens da República

    Carlos Sambade
    Radical mas não muito

    Carlos Seixas
    Em defesa da República

    Emilio Rivas Calvo e Carlos d’Abreu
    La instauración de la República Portuguesa bajo el prisma periodístico de la provincia limítrofe de Salamanca

    Fina d’Armada
    A Implantação da República: As Mulheres na Revolta do 31 de Janeiro

    Licínio Martins e Luís Rei
    Análise dos Livros de Recenseamentos da Freguesia de Torre de Moncorvo (1910 e 1921)

    Maria da Assunção Carqueja Rodrigues
    e Adriano Vasco Rodrigues
    Dissertação a propósito da implantação da República em Torre de Moncorvo

    Odete Paiva
    Faces da emigração portuguesa para o Brasil (Oitocentos e Novecentos)

    Ricardo Silva
    República e religião: ruptura ou continuidade?

    Virgílio Tavares
    A Sociedade Filarmónica Moncorvense na primeira década do século XX

    Nota: A apresentação da revista terá lugar na Escola Secundária dr. Ramiro Salgado,no próximo dia 4 de Março, pelas 18 horas.

    ResponderEliminar
  3. CONTINUAÇÃO:
    Autor: Vários
    Fora de Colecção - História
    Género: História
    ISSN: 21820252
    Ano: 2011
    Páginas: 252
    Dimensões: 16.0x23.0cm
    Fotografia da capa de Hernâni Carqueja

    ResponderEliminar
  4. Moncorvo foi e será sempre uma terra preocupada com a cultura.Mais um passo dado para melhor conhecimento de trás-os-montes.A lista dos colaboradores é uma garantia de qualidade.Parabéns doutora Adília.
    leitor agradecido

    ResponderEliminar
  5. Fiquei muito comovido quando li a dedicatória a Vasco Rodrigues e esposa.Reconhecer a sua obra, e o seu contributo, para um melhor conhecimento de todos nós é um gesto nobre que todos agradecemos.Doutora Adília ,agora com o CEPIHS, pode organizar uma exposição, seguida de um colóquio da obra destes dois GRANDES investigadores.
    LAG

    ResponderEliminar