sábado, 13 de fevereiro de 2016

NORDESTE TRANSMONTANO - EFEMÉRIDES (13/02)


13.02.1667 - Realizou-se em Coimbra um dos mais famosos autos-de-fé promovido pela Inquisição. Prolongou-se a festa por 3 dias e foram justiçadas 273 pessoas, sendo 139 homens e 134 mulheres. Foram relaxados em carne 5 homens e 4 mulheres. Nele figuravam especialmente pessoas do Nordeste Trasmontano acusadas de judiaria e, em maior número, de Trancoso, Bragança e Vila Flor. Só destas povoações eram 120, quase metade dos sentenciados. 3 dos queimados na fogueira estavam ligados a Vila Flor e Torre de Moncorvo.”A província de Trás-os-Montes foi uma das mais assoladas pela Inquisição” – diz o cronista do auto e que continua: - “As famílias iam aos montes para os cárceres e os menores esperavam pelos 13 a 14 anos e para lá iam também, que nisto não tinha escrúpulo a Inquisição, pois até queimava raparigas de 17 anos”.
13.02.1780 – Alvará régio prorrogando a carta de mestre de ler, escrever e contar na vila de Moncorvo a Jerónimo Sarmento do Lago.
13.02.1919 – Fim da Monarquia do Norte. Nesse dia foi requisitada uma bicicleta ao dr. Augusto Duarte Areosa, para fins militares, pelo capitão das tropas que estavam em Moncorvo.

António Júlio Andrade

3 comentários:

  1. Nas suas "festas",não se pode negar ao Santo Ofício a prodigiosa capacidade de inventar os maiores requintes de malvadez só comparáveis ao que fizeram os nazis.Basta a Igreja pedir desculpas pelos crimes cometidos?Por estes e por outros: pedofilia,propagação da sida,etc.,etc.?
    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  2. As crianças encarceradas, à espera da morte na fogueira, fez-me lembrar o filme, baseado no livro de um escritor irlandês,"O rapaz do pijama às riscas",que recomendo vivamente.Em linhas gerais,trata da amizade entre duas crianças,uma judia,outra filha de um general nazi,que acabam por morrer juntas num forno crematório num dos campos de concentração de judeus,cujo responsável era esse mesmo general.

    Maneldabila

    ResponderEliminar
  3. Pois é:o feitiço vira-se contra o feiticeiro.O general responsável pela morte de judeus,acabou por,sem o saber, matar o próprio filho.Também vi o filme e gostei muito.Até chorei de raiva,de revolta,de impotência perante tanto ódio e tanto preconceito.

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar