quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (04/01 Actualização)

Câmara Municipal - 2013.Foto do Camané.
4 Jan 1670 – Acta da reunião da câmara: - (…) Assentaram que, porquanto a obra do capitel da igreja estava ao tempo imperfeita, que tem grande danificação, com a mais obra que se arrematou a António Lopes de Sousa, cuja obrigação de estar acabada é finda há muitos meses, por onde, pedindo recurso, se lhe concedeu um mês pelos oficiais da câmara passados, que acaba a 15 deste mês, que seja notificado que, passado este termo e não tendo a obra perfeita e acabada, se procederá contra ele e seus fiadores e seus bens, com o rigor que parecer justiça… A obra em causa era o coroamento da torre da igreja, com uma meia esfera de metal culminando com um ferro ao alto e nele a figura de um corvo ligado ao relógio e cujas horas marcava batendo as asas. Por meados do século seguinte aquela estrutura foi derretida por acção de um raio e então se construiu o varandim de granito com que hoje termina a torre da nossa igreja.

4 Jan 1752 – Arrematação da obra do Retábulo da Capala Mor da igreja matriz de Moncorvo pelo entalhador bracarense Francisco da Silva.
4 Jan 1901 – Sátira publicada no semanário progessista “Torre de Moncorvo”:
Sem luz, já nós vivemos,
Sem dinheiro, não tardará,
Sem carne, já nós estamos,
Sem pele, quem ficará…?
4 Jan 1905 – Correspondência do administrador João José Alves Hipólito informando que demitiu os funcionários regeneradores Fernando João de Campos, António Joaquim Campos Lapa e Francisco António Macedo, e os substituiu pelos progressistas João José de Seixas, Alfredo de Jesus Sá e António José Meireles. Na mesma correspondência para o gov. civil o mesmo administrador envia o auto de investigação a que procedeu contra o auditor administrativo Abílio da Costa Pontes pelo facto de ter pedido votos na eleição camarária recentemente realizada nesta vila.



António Júlio Andrade


Reedição de posts desde o início do blogue
 

3 comentários:

  1. Falando da igreja, em 1706, Carvalho da Costa escreveu: - Uma soberba torre que se finaliza em varandas de pedraria e nos quatro ângulos pirâmides com bolas; remata-se em um zimbório coberto de chumbo, uma esfera e por remate uma cruz com sua grimpa mostradora dos ventos...

    ResponderEliminar
  2. A quadra reflecte muito bem os tempos de hoje.E assim vou conhecendo melhor a minha terra.

    ResponderEliminar
  3. Conceição Ferreira : Gosto muito destas notícias antigas (re)publicadas no 'nosso' dia que lhes corresponde :) Não podia deixar de salientar aqui a notícia do dia 04 de Janeiro de 1901:
    «Sátira publicada no semanário progessista “Torre de Moncorvo”:

    Sem luz, já nós vivemos,
    Sem dinheiro, não tardará,
    Sem carne, já nós estamos,
    Sem pele, quem ficará…?»

    Isto soa-me muito familiar :) Quem diria que em 2011 ainda se estavam a 'cumprir' estas previsões!!... Parece-me que para muita gente, demasiada mesmo, já só falta cumprir-se o último verso...
    Parabéns, extensíveis ao António Júlio Andrade! Bom trabalho, o vosso!Continuem, sff!

    ResponderEliminar