segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

II LENDA DE TORRE DE MONCORVO



          Gentil Marques, no volume 3 de "Lendas de Portugal", p. 43, descreve ao pormenor a Lenda de Torre de Moncorvo. Ou melhor a da etimologia de nascimento do topónimo Torre de Moncorvo. 


          O tempo em que decorre à volta de 1062, quando D. Fernando I, o Magno, rei de Leão, era inimigo dos Mouros. O espaço é a área da Serrra do Reboredo e da zona da Silveira/Portela, ex-concelho de Santa Cruz da Vilariça. Era aqui que vivia D. Mem Corvo, fidalgo também chamado por D. Mendo ou Menendo Corvo a quem o dito Rei de Leão deu o senhorio de várias terras daquela zona, com a condição de as defender dos Mouros, dada a sua bravura. Um dia, D. Mendo ter se á apaixonado por uma linda rapariga de nome Zaida, moura, raptada por Pêro Antunes e que lhe fora, à sua Torre, pedir auxílio por andar perdida da família. Acabou por catequiza-la e dar-lhe o nome de Joana, que havia sido o seu primeiro grande amor que a morte levara sem a ter esposado. Na véspera do dia marcado para o casamento de D. Mendo com Joana (Zaida), esta adoece, e nem o melhor Físico da Corte, mestre Afonso, lhe valeu, apesar de ter diagnosticado o mal: febres devidas à insalubridade do terreno onde se cultivava o linho quase em exclusividade (Vale da Vilariça). Na esperança de que Joana curasse, ele dera ordem para construir outra Torre nas terras vizinhas que lhe pertenciam e que eram mais saudáveis, pois tinham a serra a proteger os ares, para depois casarem e irem viver para aquelas faldas da Serra do Reboredo. Zaida acaba por morrer. Ele desafia a morte com a Espada e ficou perturbado na sua "razão". O seu criado ajudou o a acalmar aos poucos, e, quando a Torre que mandara construir estava pronta, mudou se para lá, mandando destruir por completo aquela onde morrera a Joana (moura) que amara. E foram muitas as pessoas que se mudaram com ele e passaram a viver em volta da Torre de Mem Corvo como lhe chamavam. Essa povoação transforma se em Vila e é a actual Torre de Moncorvo. (Esta é uma entre outras explicam a etimologia de Moncorvo).

Reedição de posts desde o início do blogue

1 comentário:

  1. As lendas de mouras encantadas, de tesouros guardados em fragas graníticas, de buracos entre rochas, cheios de mistério, de feiticeiras, de explicação toponímica e até da origem das terras de Moncorvo; lendas cuja origem não se consegue determinar nem no tempo, nem no local, povoam as terras do concelho de Moncorvo, e dão um bom volume literário e popular que alguém devia pegar em levar a cabo.

    ResponderEliminar