quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Nordeste Transmontano - Efemérides (05/01)


 Larinho
05.01.1726 – Francisco Domingues, do Larinho, depositário do dinheiro do rendimento de Santa Luzia apresenta-se em reunião da câmara de Moncorvo a prestar contas da receita e despesa do ano anterior. A receita foram 40 alqueires de centeio da renda da tomadia da mesma Santa, a preço de 200 réis, somava 8000 réis. A despesa continha várias rubricas: retelhar a capela, pagar missas e sermões…
Também nesta reunião foi denunciado que no Larinho havia fornos de cozer pão particulares, o que era prejuízo para a câmara e se pediam providências. Diligenciou-se e… alguns dos proprietários de fornos particulares apresentaram carta régia que os autorizava, outros não e foram mandados encerrar.
05.01.1727 – Deliberado em câmara de Moncorvo mandar fazer projecto para se reconstruir a capela de Santa Clara. Também nesta câmara se recebeu uma carta de D. Maria Luisa, Madre Regente do convento de S. Bento de Bragança que se oferecia para vir com 13 freiras a criar um convento de S. Bento em Moncorvo… no Recolhimento de S. António.
05.01.1866 – Exonerado do partido médico de Freixo de Espada à Cinta, o dr. Augusto Sebastião Guerra, por ter abandonado a vila quando ali se manifestaram os primeiros casos de cólera. Por razão inversa, foi louvado o médico do partido de Mogadouro, dr. Manuel Águedo de Miranda.
05.01.1905 – Notas extraídas do semanário “ O Trasmontano” publicado nesse dia em Torre de Moncorvo:
- AUTOMOBILISMO – Acaba de dissolver-se, por acordo, em Coimbra, a Empresa Automobilística Portugueza, de que era sócio e gerente técnico o sr. Dr. Tavares de Mello, o mais distinto sportman automobilista e decano dos chauffeurs portugueses.
- CHAVES - Hontem esteve esta vila em festa. A música dos Bombeiros Voluntários percorreu as ruas, acompanhada de bastante povo que, em vivas ao exº ministro das obras Públicas demonstrava o seu contentamento por ter sido assignado o decreto em que a linha férrea, da Régua a Chaves, tinha sido dotada com 40 contos de réis…
- FREIXO – Acaba de se fundar nesta vila um Centro Político …!!! Isto vai em progresso!
António Júlio Andrade


Reedição de posts desde o início do blogue
 

1 comentário:

  1. " havia fornos de cozer pão particulares, o que era prejuízo para a câmara"
    Onde há pão o poder ralha sem razão.Sem pão, o povo quando ralha, tem sempre razão.Metiam o nariz em tudo.Deviam fazer um livro destas aulas de história regional que são as efemérides.Bem-hajam.

    ResponderEliminar