sexta-feira, 13 de maio de 2016

Direção Regional de Cultura do Norte com 13 milhões para investir até 2018



A Direção Regional de Cultura do Norte afirmou esta segunda-feira que “espera concretizar um investimento total de 13 milhões de euros até final de 2018”, no âmbito das candidaturas ao Norte 2020.


Ao todo, são 13 milhões de euros para as candidaturas apresentadas ao Norte 2020 através da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), que procura, no processo, “descentralizar o investimento, alargando as suas ações a todo o território”.

O objetivo é criar um “plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, dioceses, autarquias e agentes culturais locais com os quais a DRCN estabeleceu já protocolos de colaboração”, refere a instituição em comunicado.

Segundo a DRCN, as candidaturas apresentadas refletem o “claro esforço de criação de sinergias” em toda a região Norte, o que pode trazer “claras repercussões ao nível das economias locais”.

Entre as candidaturas financiadas por fundos europeus estão a da Rota das Catedrais do Norte de Portugal, que visa promover um projeto nacional iniciado em 2009 e dar-lhe continuidade e consolidação no Norte, em conjunto com o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa.

Também a Mosteiros a Norte, focada no edificado de Arouca, Grijó, Rendufe, Tibães, Pombeiro e Vilar de Frades, terá um investimento total de 2,5 milhões de euros a concretizar até final de 2018.

Entre as outras candidaturas, estão a Museus a Norte e a Castelos a Norte, de igual função de promoção cultural, consolidação do edificado e desenvolvimento turístico de vários espaços em toda a região. Cada uma receberá igualmente 2,5 milhões de euros.


Restauro da Igreja de Santa Clara

Com menos financiamento está o projeto para a Igreja de Santa Clara, que receberá cerca de dois milhões de euros até final de 2018 para uma operação de “valorização e promoção deste Monumento Nacional”, uma “valiosa herança patrimonial que urge conservar e promover”.

O estado atual de degradação leva a que a operação incida sobre obras de reabilitação e restauro, além da criação de condições para que o monumento possa receber visitantes e atrair novos públicos.

Com 400 mil euros para cada projeto estão as candidaturas Artes no Território a Norte, que procura a dinamização cultural de mosteiros e castelos através da criação artística nestes espaços, e a Dias do Património a Norte, um “projeto de turismo cultural inovador, agregador e atrativo” que procura cativar mais atratividade turística e competitividade da economia regional através da programação cultural e da organização de uma experiência única para os participantes.
 
Fonte: http://www.porto24.pt/cidade/direcao-regional-cultura-do-norte-13-milhoes-investir-ate-2018/

Sem comentários:

Enviar um comentário