terça-feira, 16 de junho de 2015

Pela Reabertura da Linha Pocinho-Barca D'Alva

No dia 23 de Abril de 2011, realizou-se um Passeio Pedonal pela Linha do Douro, entre o Pocinho e a Estação do Côa, organizado pela "Associação dos Amigos do Concelho de Vila Nova de Foz Côa", também designada por "Foz Côa Friends". Este passeio teve como principal objectivo a reabertura da Linha entre o Pocinho e Barca D'Alva, desactivada a 18 de Outubro de 1988.
A concentração dos participantes teve lugar em Foz Côa, na Praça do Município, onde foram dadas as primeiras informações do passeio por parte de um dos organizadores, e feita a distribuição de t-shirts a todos os participantes, as quais tinham estampada uma placa dos caminhos de ferro, com a inscrição: "REABERTURA DA LINHA POCINHO - BARCA D'ALVA OBRIGATÓRIO TRÂNSITOPELA LINHA". Eram 8:00 horas, quando partiram os autocarros, cedidos pela Câmara Municipal de Foz Côa, em direcção ao Cais do Pocinho, junto à linha onde se iria dar início ao passeio. Aí foram dadas novamente algumas informações e recomendações, e distribuídos panfletos, com os objectivos do passeio. Deu-se então início ao passeio, em que , participaram cerca de 200 pessoas. À frente seguia um elemento da organização, outro, no meio, e no fim, um outro, para assim ser garantida a segurança dos participantes e ter-se a certeza de que ninguém ficaria para trás, além de haver comunicação entre eles através de walkie talkie. Durante todo o passeio, houve apoio por parte de uma embarcação dos bombeiros e de uma outra da organização ao longo do rio Douro, vigiando sempre os participantes, não fosse necessário dar assistência em qualquer situação.
  Logo que começou o passeio, rapidamente se constatou o estado em que a linha se encontra: completamente abandonada, cheia de ervas, silvas e arbustos, entre as travessas e os carris, tornando-se, em certos locais, complicado caminhar por ela, tendo-se, mesmo numa parte do percurso, feito um pequeno desvio por uma vinha, até voltar a apanhar a linha, onde teve lugar uma pequena pausa. Retomou-se a caminhada até ao Vale de Vermelhosa. Alguns participantes continuaram o passeio, enquanto outros, com mais "coragem", talvez menos cansados e mais curiosos, subiram uma longa encosta, a fim de verem algumas gravuras numa rocha (Núcleo Neolítico da Vermelhosa). Aí foram fornecidas algumas informações e explicações por parte de José Constanço acerca das gravuras ali representadas. Voltou-se a descer até à linha, seguindo em direcção à Estação do Côa, onde já se encontravam alguns dos participantes. Às 11:30 já todos estavam juntos na Estação. Pelas 11:50 horas chegou o grupo de “Pantomineiros”, tocando e cantando: "E O POVO, PÁ? QUER O COMBOIO NESTA LINHA DE NOVO, PÁ!", em forma de protesto e reivindicando a reabertura da linha, ao mesmo tempo que empunhava alguns cartazes com os mesmos dizeres da canção.
Aguardou-se depois a chegada de um barco com alguns elementos da Câmara Municipal de Foz Côa, bem como da comunicação Social. Aquando da passagem do grupo pelo local da Estação, todos os participantes se viraram para o rio, fazendo um cordão humano e gritando pela reabertura da linha, ao mesmo tempo que outros seguravam um cartaz com a seguinte inscrição: "REABERTURA DA LINHA POCINHO - BARCA D' ALVA OBRIGATÓRIO TRÂNSITO PELA LINHA", a mesma inscrição que constava nas t-shirts. Seguiu-se um almoço volante, junto à estação.
Às 14:00 horas, deu-se início a intervenções por parte de alguns elementos da Organização/Associação dos Amigos de Foz Côa: José Ribeiro e José Lebreiro, bem como do Presidente da Junta de Freguesia de Foz Côa e do Presidente dos Bombeiros de Foz Côa, tendo sido apresentados os objectivos do Passeio:
1 - Reactivação do troço da linha do Douro, Pocinho - Barca D'Alva,
a) como via de interligação entre 4 patrimónios da Humanidade;
b) como meio de promoção do desenvolvimento regional, através da ligação Douro Litoral/ Douro Vinhateiro/ Castilha León;
2 - Reivindicação do cumprimento do protocolo de reactivação do troço da Linha do Douro Pocinho-Barca D'Alva, assinado em Setembro de 2009 no Pocinho;
3- Fortalecimento das relações entre amigos do Concelho de Vila Nova de Foz Côa residentes e não residentes no concelho.
Tendo sido apresentados os argumentos que sustentam a moção sobre a reactivação da linha, foi esta aprovada por unanimidade e assinada pelos presentes.
Às 15:00 horas, depois das intervenções, deu-se início à caminhada até à ponte do Côa; viagem de autacarro até ao Museu do Côa, inaugurado em Julho de 2010; visita guiada pelas diversas salas, onde estão expostos alguns materiais e réplicas de gravuras encontradas na região do Côa.
Depois da visita ao museu, regressou-se em autocarro à Praça do Município, onde os participantes se despediram.
Todos os que organizaram, apoiaram e participaram no passeio estão de parabéns, por se ter levado a cabo esta iniciativa.

Em breve estará disponível um vídeo com alguns momentos do passeio ao longo da linha, das intervenções de alguns elementos da organização e outros, bem como da visita ao Museu do Côa.

Reedição de posts desde o início do blogue

11 comentários:

  1. Ora vejam:
    http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13416462/1

    ResponderEliminar
  2. era bom que reabrixem a linha mas duvido mt.....

    ResponderEliminar
  3. Em setembro,mês das vindimas,podiam organizar um passeio pela Linha do Sabor.
    Leitor

    ResponderEliminar
  4. Ver:
    http://aeiou.expresso.pt/douro-troco-pocinhobarca-dalva-nao-pode-ficar-no-esquecimento-missao-douro=f645266

    BY GOOGLEMAN

    ResponderEliminar
  5. Link permanente: x

    Partilhe



    Vila Nova de Foz Côa, 25 abr (Lusa) -- O chefe de Estrutura de Missão Douro (EMD) defende que a reativação do troço da linha do Douro entre o Pocinho e a Barca d´Alva e o consequente prolongamento para Espanha não pode ficar no esquecimento.

    Ricardo Magalhães defende tratar-se de uma iniciativa de interesse regional e um projeto que não pode ser "arquivado" e muito menos "enterrado".

    "Admitimos que faz sentido reprogramar o projeto e reprogramar os investimentos públicos à luz da conjuntura económica que o país atravessa. Este projeto de recuperação do troço da linha do Douro continua a ser vital para a promoção do interior", acrescentou o chefe da EMD

    BY GOOGLEMAN

    ResponderEliminar
  6. Pocinho Barca D Alva
    http://slidesha.re/b9Y4XF
    Pocinho – Barca d’Alva pela linha férrea abandonada……

    BY GOOGLEMAN

    ResponderEliminar
  7. Cristiano Morais: obrigado por tanto interesse por esta bonita região.Todos os transmontanos devemos ajudar a promover a nossa região com fotos,nomes de serviços, restaurantes,eventos vários etc.

    ResponderEliminar
  8. 3ª Llamada a facendera “Ir de Ví(d)a” de la Asociación de Frontera
    Tod@Vía, 1º de mayo, a las 10 de la mañana en la estación de Hinojosa de
    Duero.*
    Adjunto os enviamos el texto presentación de la próxima llamada a
    facendera y el cartel anunciador, para darle difusión.
    La acción continúa….ahora: 1 de mayo, 10 mañana, estación Hinojosa de
    Duero!
    La tercera llamada a facendera “Ir de Vi(d)a” de la Asociación de
    Frontera Tod@vía, por una vía sostenible, se hará el próximo el 1º de mayo,
    a las 10 de la mañana en la estación de Hinojosa de Duero. Este día
    internacional del trabajo, si lo hay, será la celebración de una jornada de
    trabajo de facendera, sin dependencia de paga o salario. Muchos somos
    afortunados porque trabajamos en lo que nos gusta, otros están jubilados o
    en búsqueda de un trabajo remunerado, y también los hay con puesto de
    trabajo precario que los esclaviza. En esta nueva jornada de facendera,
    vamos a seguir trabajando de forma libre para ayudar a generar un
    proyecto común que genere riqueza social, patrimonial, natural y personal.
    Será la celebración del esfuerzo de ciudadanos libres que desean hacer
    crecer y mejorar nuestra sociedad, mediante la reutilización posible del
    Bien de Interés Cultural de la línea férrea de la Fuente de San Esteban a
    Barca D´Alva. La transformación ya ha empezado y esta forma de hacer, “Ir
    de Ví(d)a”, ha demostrado que la sociedad civil puede hacer posible lo que
    antes se creía una utopía.
    Se han descubierto los 8 primeros kilómetros, desde la estación de
    Lumbrales a la Hinojosa de Duero, ahora continuamos liberando otros 8
    kilómetros de vegetación que se ha apropiado de la caja de la vía hasta el
    puente del Froya. ¡Nada, nadie debería dormir ante esta línea desactivada!
    Somos muchos los que hacemos realidad este sueño, pero necesitamos ser
    multitud. Esta vez tu ayuda será en las trincheras y terraplenes del
    monumento, en pleno Parque Natural de Las Arribes. ¡Abriendo el camino
    imposible a Portugal!
    ¡Puedes faltar, pero sin ti, no será lo mismo!
    Saludos carrilanos,
    Asociación de Frontera Tod@vía
    www.todaviasostenible.org
    todaviasostenible@gmail.com

    ResponderEliminar
  9. Enviado por um amigo:
    http://www.sabado.pt/Opiniao/Alberto-Goncalves/Memoria-(e-esquecimento)-de-Serge-Gainsbourg-(1).aspx

    ResponderEliminar
  10. Douro - Linha Pocinho-Barca d'Alva desactivada e vandalizada:

    http://www.cafeportugal.net/pages/noticias_artigo.aspx?id=3377

    ResponderEliminar
  11. Na Linha do Sabor já existem cerca de 20 km transformados em Ecopista. Vai de Moncorvo a Carviçais. E não foi a REFER...!

    Bird.

    ResponderEliminar