terça-feira, 23 de junho de 2015

Freixo de Espada à Cinta : Ciclo de Conferências Ilustres Desconhecidos – Augusto Moreno

A Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta está a organizar uma Conferência sobre o Dr. Augusto César Moreno, cujo objectivo é apresentar aos freixenistas um filho da terra que poucos conhecem mas que muito contribuiu para a evolução da capital de Distrito do Nordeste Transmontano, e para que melhor se fale e escreva em Português.
Augusto César Moreno nasceu a 10 de Novembro de 1870 em Lagoaça, concelho de Freixo de Espada à Cinta e faleceu no Porto em 2 de Abril de 1955.
Entre 1887 e 1890, Augusto César Moreno estudou e concluiu o curso na Escola Normal do Porto, onde recebeu vários prémios e altas classificações. Leccionou em Mogadouro e Aldeia Galega do Ribatejo (actual Montijo). Depois ingressou na Escola do Ensino Normal de Bragança.
Por iniciativa do vereador municipal major Teófilo de Morais, foi aprovada na Câmara Municipal de Bragança uma proposta para que a comissão administrativa se associasse à homenagem que o país lhe iria prestar e que tomasse a iniciativa de propor ao Ministro da Instrução Pública a concessão do grau de Oficial da Ordem da Instrução Pública, no dia da homenagem, em 5 de Outubro de 1933.


Foi Presidente da Comissão Municipal Administrativa em Bragança entre 04-01-1912 e  07-08-1913, de onde se destacam as suas obras de qualificação urbana e ambiental como a adjudicação definitiva do fornecimento de energia eléctrica destinada à iluminação pública e particular da cidade com modificações, a aquisição de vários tipos de árvores para arborização de estradas, largos e praças da cidade e a adjudicação das obras de saneamento. Na área social, económica e financeira destaque para o socorro dado às famílias pobres dos militares recrutas; manutenção, alimentação, vestuário e educação dos jovens internos no Asilo Duque de Bragança, bem como a promoção de uma exposição de gado suíno e lanígero das diversas espécies, atribuindo prémios pecuniários e menções honrosas aos melhores exemplares. A nível da educação, cultura e desporto, Augusto Moreno adquiriu artigos escolares para o Asilo Duque de Bragança; adquiriu equipamento escolar para a Escola Distrital desta cidade; e conseguiu autorização para que a banda do regimento de infantaria 10 actuasse na Praça Almeida Garrett todas as quintas-feiras e domingos.
Autodidacta e estudioso de grande mérito, entre as múltiplas línguas que estudou, falava, francês, o inglês, o alemão, o espanhol, o latim e o hebraico, pelo que era considerado um poliglota prestigiado, tanto em Portugal como no Brasil, onde chegou a afirmar ser mais conhecido do que na sua terra! Filólogo, gramático e pedagogo, foi também poeta e prosador. São inúmeras as obras e os textos que ostentam o seu nome. Colaborou em vários órgãos da imprensa regional e local e em revistas das quais se destacam a Gazeta Fiscal de Lisboa, a Arte e a Arte Livre, do Porto, e Nova Alvorada, de Famalicão. Colaborou ainda em várias publicações regulares e avulsas como a Revista Nova, de Trindade Coelho, a Revista Lusitana, de Leite de Vasconcelos, e a Tribuna, de Pires Avelanoso, tendo sido um valioso colaborador de Cândido de Figueiredo na elaboração do seu Novo Dicionário da Língua Portuguesa.
Como autor, publicou o "Glossário Transmontano", que se iniciou na Revista Nova e se concluiu na Revista Lusitana, e "Joio na Seara" com análise crítica a algumas obras do mestre Cândido de Figueiredo. Foi ainda autor dos "Dicionário Popular Elementar" e "Dicionário Complementar da Língua Portuguesa". Publicou "Moral e Educação Cívica", as "Lições de Linguagem" (4 vol.), "Lições de Análise, Fonética e Ortografia" (3 vol.), tendo sido colaborador presente no Jornal diário portuense "O Primeiro de Janeiro" onde tinha uma coluna denominada "Como Falar – Como Escrever", na qual dava resposta a inúmeras perguntas sobre temas, dúvidas e outras questões de linguagem – prosódia, ortografia e sintaxe – as quais lhe eram copiosamente formuladas e tinham as mais diversificadas origens, muitas delas oriundas do Brasil. Publicou ainda vários livros escolares: "Gramática Elementar", "Redacção, Geometria e Ciências Naturais" da colecção "Série Escolar de Educação". Além disso e em colaboração com António Figueirinhas, orientou e dirigiu o "Português Popular" sendo dois os volumes publicados sob este título.

Sara Alves

Fonte: Câmara Municipal de Bragança

2 comentários:

  1. Moreno em hebraico quer dizer professor.Da terra de judeus este nosso conterrâneo estava predestinado.Ainda bem que a Câmara se lembrou, a anterior com o pó do cimento não via nada à sua frente. Por isto e por outras foram corridos.
    Abílio G.

    ResponderEliminar
  2. Moreno em hebraico quer dizer professor.Da terra de judeus este nosso conterrâneo estava predestinado.Ainda bem que a Câmara se lembrou, a anterior com o pó do cimento não via nada à sua frente. Por isto e por outras foram corridos.
    Abílio G.

    ResponderEliminar