quinta-feira, 18 de junho de 2015

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (18/06)

Ponte do Sabor (1961)
18.06.1703 – Abertura de concurso para a construção de guardas na ponte do Sabor que o rio levara. E como já por três vezes que tal acontecia, procurava-se fazê-las de forma mais resistente. O texto tem interesse para o estudo das técnicas de construção da época, nomeadamente da argamassa que se utilizava para fixar as pedras.
18.06.1783 – Criação da Roda dos Expostos de Torre de Moncorvo “a fim de que não tivessem o descaminho que até agora se tinha considerado”.
19.06.1839 – Exonerado o tenente-coronel comandante do batalhão da Guarda Nacional do concelho de Moncorvo Luís Cláudio de Oliveira Pimentel, ordenando-se a eleição de outro dentro do corpo da mesma Guarda. Havia tomado posse daquele cargo em 22.06.1838.
António Júlio Andrade

8 comentários:

  1. A roda dos expostos é noticia neste blog e sempre por más razões .Abandonar os filhos pela calada da noite junto à igreja da Misericórdia era o drama das mulheres que não podiam abortar e ainda não se tinha inventado o preservativo e a pílula. Que nome tinham estas crianças? Constantino ,o rei dos floristas ,foi um deles .Morreu famoso com 21 nome de famílias que queriam sair do anonimato e dizer nos salões ;era da família...Maldita moral de sacristia. Tem que haver ainda no concelho gente descendentes destes meninos .Que pensam eles? Marcados a ferro como os animais jamais se libertavam desta ignomínia.
    Estes sim, mereciam uma estátua no castelo.
    M.C.

    ResponderEliminar
  2. Ampliei a fotografia e vi um jeep a tentar passar.Sempre houve loucos na minha terra.

    ResponderEliminar
  3. Ao autor das efemérides,
    gostava de ler mais sobre este ilustre moncorvense (Luís Cláudio de Oliveira Pimentel).Desde já ,obrigado.
    Leitor

    ResponderEliminar
  4. Livros escritos por ele... foram muitos e sobre matérias muito variadas. Livros sobre ele... não existe nenhum especificamente, que eu saiba. Porém, a sua biografia aparece em qualquer dicionário biográfico, bem como nas Memórias do Abade Baçal. J. Andrade

    ResponderEliminar
  5. Esta foto é tão bonita!
    será pela emoção do texto sobre a Roda?

    Tininha

    ResponderEliminar
  6. A minha avó materna foi uma das muitas crianças colocada na Roda dos Expostos.
    O mais estranho é que, ainda depois de Abril de 1974, esse ferrete está claramente expresso na minha certidão de nascimento, pedida em Dezembro desse ano para poder inscrever-me como eleitora, uma vez que o meu nome não constava dos cadernos eleitorais antes de 25 de Abril de '74.
    Lamento não saber postar, pois tenho aqui a digitalização da referida certidão de nascimento.

    Júlia

    ResponderEliminar
  7. Como diz M.C. no primeiro comentário,estas crianças expostas mereciam bem uma estátua.Por que não na Corredoura ou à entrada do Asilo,uma vez que o largo em frente à igreja da Misericórdia é pouco espaçoso, e o Castelo já está ocupado?

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  8. Não era um "jeep"!
    Era um Mercedes 180 D, carro de aluguer - Letra A - pois não havia táxis na ocasião em Torre de Moncorvo, e o louco era o meu pai, que se preparou para o que desse e viesse e tirou apenas os sapatos; disse-me mais tarde que só (!!) tinha medo que no meio da ponte houvesse um buraco e o carro mergulhasse nele . . .
    Foi o único carro que passou e pouco depois as grade da ponte foram tombadas pela pressão do entulho acumulado que oferecia resistência à corrente.
    Louco, não, três vezes louco !
    F. Garcia
    Mirandela, 16.06.2011

    ResponderEliminar