quinta-feira, 18 de junho de 2015

Núcleo Museológico da Fotografia do Douro Superior

 A imagem da máquina fotográfica que todos observam pode, acho que deve, ser postada nos Farrapos. E, deve, por dois elevados factores:

1º É um símbolo do material fotográfico;
2ª Foi-me oferecida, no dia 1 de Abril, pelo nosso amigo Leonel Brito.
Esta sua atitude revela o quanto quer de bem ao Núcleo Museológico da Fotografia do Douro Superior. Ofereceu-a com tamanha felicidade que não resisto a contar o sucedido. No dia referido, recebo um telefonema do Leonel a dizer-me que tinha uma coisa muito pesada para o Núcleo. Combinámos o encontro e, ao abrir a porta da bagageira da sua viatura, pede-me para tirar o conteúdo de uma caixa preta. Não era nada pesada e tão pouco de muito volume. Concluí que o pesado significava coisa distinta. A responsabilidade de ficar com ela, imaginei eu, tinha a carga tão importante como a que o Leonel queria que ela tivesse. Na verdade, é uma peça ímpar por estas regiões transmontanas. Está no lugar certo e faz companhia a cerca de cem mil imagens a partir de 1894 e a uma diversidade de alfaias fotográficas muito significativas no contexto nacional.
Pois bem, a fotografia do que me foi oferecido tem um enquadramento simples. Foi tirada onde inicialmente foi colocada na presença do Leonel. A força que ela emana é pulverizada como que se a prata metálica fosse sensibilizada. Os raios que nascem na objectiva poderiam ser os necessários para sensibilizar o filme e, assim, registarmos esta completa fotografia. Não que o fotógrafo valha tamanha proeza, mas, como é timbre na fotografia, uma só determina o olhar atento da luz enviada do infinito.
Para concluir, o seu conteúdo poderia ser pertença de qualquer Manual da Fotografia e a atitude do Leonel a melhor leitura comportada na dimensão e perspectiva da fotografia de paisagem: largura, altura e profundidade ( muita profundidade).
Obrigado
 Arnaldo Silva
Nota:Toda a informação sobre o Núcleo Museológico da Fotografia do Douro Superior em:
http://www.fotonucleodourosuperior.net/
http://videos.sapo.pt/QDmNz96w405EVowzZRJK
http://noticiasdonordesteultimas.blogspot.com/2011/04/torre-de-moncorvo-projecto-de-arquivo.html

Reedição de posts desde o início do blogue

6 comentários:

  1. Ao Leonel, quero expressar a minha emoção ao ler esta notícia da sua generosidade e entrega ao que se dedica: A TERRA DE MONCORVO E AS SUAS GENTES; não sei mais o que lhe posso dizer. gostei, e muito, deste gesto tão grandioso.Obrigada
    Arinda Andrés

    ResponderEliminar
  2. Bonito o gesto do Leonel;bonitas as palavras de gratidão do Arnaldo.Como à Tininha,estas atitudes também me emocionam.

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  3. Um gesto de grande generosidade! São gestos e acções desse tipo que ajudam a preservar a nossa história. Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Abraços para o Leonel e o Arnaldo. Bom exemplo. J. Andrade

    ResponderEliminar
  5. Ora aqui está o ex. de uma actividade cultural que devemos sempre de realçar, tanto mais que é uma iniciativa 100% privada a que um carola, contra muitos ventos e marés, deitou mãos.

    Já fui várias vezes ao NMFDS sempre acompanhado do amigo Arnaldo e cada vez que lá vou sempre me fascina no R/C aquela fresquíssima sala e aquele belo painel fundeiro e no 1º andar, mesmo para quem não aprecie espaços museológicos, bastaria aquele terraço e as suas soberbas vistas para justificar sempre uma ida ao dito Nucleo.

    Ainda há uns 3/4 dias tornei a lá estar pois o Arnaldo fez questão de me mostrar umas preciosidades que tinha descoberto no caixote do lixo e, confesso-o agora, foi com uma pontinha de inveja, por a mim não me calharem dessas preciosidades assim encontradas,e que o Arnaldo me mostrou e eu vi do seu contentamento, como continuo a ver o seu contentamento pela obra que edificou e pelo espaço aberto ali criado.

    Pena é que o Municipio nem sequer o divulgue no seu site da cultura, se calhar por não pertencer á confraria.

    Ainda bem que nos vale este blog para se saber que ali no castelo tb. existe um espaço que merece ser visitado.

    Parabens ao Arnaldo e àqueles que contribuem, como o Leonel,com modestos, mas importantes, contributos para a salvaguarda da nossa memória.

    Rex

    ResponderEliminar
  6. Eu estive presente na inauguração e gostei muito do projecto.. Conhecia perfeitamente o local, pois vivi nas traseiras dessa casa que é a rua nova. Também tirei fotografias no "cabeças", quando era miúda. E penso que o meu primeiro bilhete de identidade tinha uma fotografia tirada por esse senhor. O Arnaldo lutou e conseguiu. Felicidades para ele e para o seu projecto.

    ResponderEliminar