segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Portas e Janelas



Click nas imagens para aumentar

Ficam aqui  estas duas fotografias de algumas das lindas portas e janelas da vila de Torre de Moncorvo.
Poderá visualizar estas e outras portas e janelas da vila de Torre de Moncorvo no blogue "O Cantinho do Jorge - À Procura do Nordeste Transmontano", em:

- Torre de Moncorvo - Portas e Janelas (1)
- Torre de Moncorvo - Portas e Janelas (2)

Reedição de posts desde o inicio do blogue

8 comentários:

  1. A fotografia da direita é a porta da casa onde viveu Abilio Campos Monteiro durante 15 anos foi também a minha, há um pátio depois de passar esta porta, os meus irmãos e alguns amigos jogávamos á bola, ao pião e um jogo chamado “UVA” andávamos de bicicleta era o nosso lugar favorito, quando passávamos essa porta descíamos 1 escada nos lados estavam 2 quartos, ao fundo havia um quintal onde havia uma tangerineira e duas ameixoeiras, uma capoeira, uma despensa, havia uma escada no fim desse pátio que dava acesso ao 1 andar onde havia uma grande cozinha uma sala de jantar 6 quartos e uma casa de banho, meu pai pagava de renda 450$00, lembro-me de grandes obras que aconteceram nessa casa, no fim passaram a ser duas, na outra casa era vizinho o srº Hipólito, mas o nosso lugar de brincadeira da rua da misericórdia ou rua campos Monteiro (como é conhecida) ainda continuava a ser enorme
    camane

    ResponderEliminar
  2. Serão pequenas coisas, mas com grande beleza.

    Júlia

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Camané pela lembrança desse tempo , ainda me lembro da casa onde tu e os teus irmãos viveram e desse grande pátio, lembro-me do quintal e as saborosas tangerinas que saboria-va, foram tempos que passaram tempos felizes, tempos de um olhar de inocente que perdurara pela vida fora, eu que estou longe acompanho a vida da minha terra que um dia me viu partir, guardo na lembrança esses dias maravilhosos que nunca mais voltaram, com muita saudade

    do canada
    Carlos Alberto Machado Carlos

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Pois é! Como é que uma porta destas tão bela nos passava despercebida? Boas recordações... As cancelas, as portinholas com um cordel para abrirmos a porta (qualquer um o podia fazer - mas naquele tempo não havia ladrões). O pátio era lindo com pedras de xisto no piso. O quintal tinha ameixas brancas e vermelhas. A porta é linda... abraço mano e abraço Carlos Carlos.

    ResponderEliminar
  5. Olá Camané!
    Não se chamava Hipólito o nosso vizinho. Chamava-se Bernardo. Hipólito era o apelido da mulher dele. O Rui Manuel Hipólito Bernardo era o filho deles que ficou conhecido pelo Rui Hipólito.
    Abraço, LR

    ResponderEliminar
  6. Eu vivi na rua nova. Mas muitas e muitas das nossas brincadeiras passavam pela rua da misericórdia,, as traseiras da minha casa davam para um quintal dessa rua. Esse quintal também tinha uma tangerineira e ameixoeiras.. Seria esse? Quando jogávamos ao esconde esconde ate nos íamos esconder a rua da misericórdia. Grandes brincadeiras, grandes corridas , muita inocência e grandes amizades. Uma garota de 59 anos da rua nova.

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde amigos,
    Muito depois, aqui ficam as minhas lembranças.
    Uma casa dividida em duas, do lado direito a familia Ricardo e do lado esquerdo a minha.
    Nas traseiras um quintal dividido em dois por uma rede, que pulávamos para comer a fruta.
    As tangerinas e as ameixas eram do melhor. A vista para o Montesinho e para o Hospital. A rua Nova uns metros abaixo, com a familia Lapa na como vizinhos. Saudades.
    Rui Hipólito

    ResponderEliminar
  8. Grande grupo da garotada da rua nova que escrevo aqui alguns nomes: Teresa Menezes, Manuela Coelho, Mila, Tita, Teresinha, Manuela e Fizé, Dina, Lurdes, Fernanda e Fernando Pavão, Sãozinha e Zé Manel, Leonor, Lucinha e o seu irmão. Havia mais alguns mas já nao me lembro dos nomes. Peço desculpa. Saudade desse tempo, desses amigos e da nossa querida RUA NOVA.

    ResponderEliminar