sexta-feira, 31 de julho de 2015

Os cacharozes da minha infância, por Arinda Andrés

Os cacharozes da minha infância,

acachados na minha meninice
a insinuar-se nas minhas ansiedades,
em cachos de juventude,
cibinhos de mimo azul
a roçar, em saudoso cochicho,
uma cachinha da minha liberdade
tão acachadinha numa cacha de sol,
migalho deste meu entardecer!



a.andrés

Reedição de posts desde o início do blogue

5 comentários:

  1. cibinho... cacha... migalho... Palavras cheias de ruralidade trasmontana! Bonito! Há muitos dicionários de falares mas... só no contexto as palavras adquirem todo o sabor!... J. Andrade

    ResponderEliminar
  2. Olá, Tininha!

    Já cá fazia falta. Por onde tem andado? Acachadinha por causa da chuva e do frio? E ainda ele não chegou a sério.

    Um beijinho
    Júlia

    ResponderEliminar
  3. Bonito,Tininha!Não se deixe ficar engrunhida por causa do frio e dê-nos mais poeminhas como este,que nos aquecem a alma.
    Beijinho.

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  4. Ireninha (Urros) disse...
    Parabens Tininha!Gostei muito Continua e nao fiques acachadinha no cantinho do borralho.Beijinhos. Ireniha (Urros)

    ResponderEliminar
  5. Obrigada a todos os meus amigos!
    Mesmo engranhada, à moda de Urros, prometo desafiar todos os ventos e vendavais e transformá-los em brisas matinais.
    (Até rima...)
    Beijinho, muito amigo, para todos.

    ResponderEliminar