sexta-feira, 31 de julho de 2015

DISTRITO DE BRAGANÇA - EFEMÉRIDES (31/07)

“Mauser – Vergueiro”.

31.07.1700 – Na reunião da câmara “assentaram, porquanto estão desfeitas as casas do Rossio e está impedido o terreno com a muita terra e Manuel Alves de Sousa está obrigado a entulhar a obra do Lageado e lhe fica mui cómodo o valer-se daquele entulho, assentaram que fosse notificado o dito António Alves que, dentro de 8 dias entulhe o Lageado, para se continuar a obra e querendo valer-se da dita terra o faça, com cominação de ser preso.
31.07.1836 – Eleições gerais. Os deputados eleitos, porém, não chegaram a tomar posse pois, ao abrir a 1ª sessão de tomada de posse, aconteceu a Revolução de Setembro, promovida pelos deputados eleitos pelo círculo eleitoral do Douro.
31.07.1900 – Registo da patente da invenção de um dispositivo na culatra da espingarda Mauser por Alberto José Vergueiro, de Alfândega da Fé. Daí a denominação ainda hoje usada de “Mauser – Vergueiro”.
António Júlio Andrade

3 comentários:

  1. A Mauser-Vergueiro foi uma espingarda de repetição, desenvolvida por José Alberto Vergueiro, oficial de infantaria do Exército Português, a partir da espingarda Mauser 98, adaptando-lhe um novo sistema de culatra desenvolvido por si. A arma substituiu as Kropatschek m/1886 como espingarda padrão de infantaria do Exército Português em 1904.

    A Mauser-Vergueiro utilizava a munição de calibre 6,5 x 58 mm (também chamada 6,5 mm Vergueiro ou 6,5 mm Portuguesa), desenvolvida especialmente para esta arma.

    No Exército Português a arma era oficialmente conhecida por Espingarda 6,5 mm m/1904. Uma versão mais leve e mais curta da arma era designada Carabina 6,5 mm m/904. Além de Portugal, a Mauser-Vergueiro esteve ao serviço do Brasil e da África do Sul. Ao serviço de Portugal e da África do Sul foi utilizada em combate na Primeira Guerra Mundial e em diversas campanhas coloniais. As próprias tropas coloniais da Alemanha utilizaram espingardas Mauser-Vergueiro capturadas às forças aliadas em África durante a Primeira Guerra Mundial, preferindo-as às suas Mauser modelo 1888 (Gewehr 88), de origem alemã.

    Em 1939, já depois do Exército Português ter adoptado a espingarda Mauser 98k de 7,92 x 57 mm, grande parte das Mauser-Vergueiro existentes foi modificada para aquele calibre e redenominadas Espingarda 7,92 mm m/1904/39 (mais tarde, a denominação do modelo modificado foi alterada para Espingarda 7,92 mm m/1904). As Mauser-Vergueiro de 7,92 mm mantiveram-se em serviço em algumas unidades até à década de 1960, numa altura em que as espingardas automáticas já estavam em uso generalizado no Exército Português.

    ResponderEliminar
  2. O Rossio era a actual praça general Claudino, em frente à igreja. Até ao século de 500 seria um espaço ruralizado, tipo lameira e ali haveria um poço com água. Só quando se construiu a igreja aquele espaço começou a ser urbanizado e só no século de 700 se terão derrubado uns balcões e umas casotas (talvez utilizadas para meter os porcos e as galinhas)e alinhado as casas, de modo a formar ali uma praça comercial. Aliás, Moncorvo será um exemplo bem conseguido da cidade - tipo da renascença, com a praça civil, a praça comercial e a praça religiosa bem individualizadas e ligadas por um eixo (a rua das Flores. J. Andrade

    ResponderEliminar