quinta-feira, 30 de outubro de 2014

TORRE DE MONCORVO


(Reedição de posts desde o inicio do blogue)

7 comentários:

  1. Manuela : Imponente, nunca me cansei de olhar para ela, tinha para mim um encanto especial nos finais de dia durante a primavera. Con Faustino comentou a tua ligação.

    ResponderEliminar
  2. Con Justino escreveu:
    "Linda, também, é a vista lá de cima da torre dos sinos."

    ResponderEliminar
  3. Dos jornais:
    São 4,5 milhões de euros para recuperar 33 igrejas românicas em Portugal e Espanha ao longo dos próximos quatro anos. O protocolo entre a Fundação Iberdrola (mecenas do projecto), Junta de Castela e Leão e Ministério da Cultura através da Direcção Regional de Cultura do Norte foi assinado ontem, em Bragança.
    Em Portugal, são 18 as igrejas a intervencionar, nos distritos de Porto (seis), Vila Real (sete) e Bragança (cinco), havendo mais 15 em Espanha, sete na província de Zamora e cinco em Salamanca no Plano de Restauro do Românico Atlântico.
    Doze dos edifícios vão ser restaurados integralmente. Para os restantes 21 será haverá um programa de manutenção, iluminação e controlo. Mas há outras igrejas, como a Sé de Miranda do Douro, que já está incluída na rota das catedrais, ou as de Freixo de Espada à Cinta e Torre de Moncorvo (todas no distrito de Bragança) que estão a ser recuperadas ao abrigo de um outro programa, com a junta de Castela e Leão.

    Segundo Ignácio Galán, presidente da Iberdrola, o Plano de Restauro do Românico Atlântico vai permitir a criação de uma nova rota do Xacobeo, ou seja, um novo Caminho de Santiago, através do interior Norte de Portugal, “que vai criar riqueza e turismo para a região”. “Uma larga maioria das obras de arte do país são de origem religiosa. Valorizando as igrejas, valoriza-se também a sua componente cultural”, sublinhou o Bispo da diocese de Bragança-Miranda, D. António Montes-Moreira, apontando o “reconhecimento da implantação cultural da Igreja ao longo dos séculos”. As obras devem arrancar no início do próximo ano.

    ResponderEliminar
  4. http://www.publico.pt/Cultura/portugal-e-espanha-juntamse-a-iberdrola-para-recuperar-33-igrejas-romanicas_1457437

    ResponderEliminar
  5. São precisos dinheiros de Espanha para cuidar da maior igreja de Portugal.Talvez desta se limpe o adro ,se ponham as colunas nos sítios,se arranje o telhado,se restaure as pinturas...
    Resumindo,que se lhe devolva a dignidade perdida a que chegou com a péssima gestão do IPPAR

    ResponderEliminar
  6. Não podiam entregar a responsabilidade da conservação e gestão à câmara mucipal que tão bem tem gerido os equipamentos culturais?
    A igreja é mais do que um jogo de poder ,manobras de bastidores,corrida a tachos,vaidades pessoais,competição entre técnicos etc...
    A Igreja é dos moncorvenses,é nossa !
    Venha o dinheiro de onde vier mas façam obra ue se veja.Ficamos atentos à espera.
    E eu,nasci em Moncorvo!

    ResponderEliminar
  7. Eu nao nasci lá..vivi lá e amo moncorvo como se fosse a terra onde nasci..fico triste porque quando leio qualquer noticia sobre moncorvo , há sempre queques coisa sobre a igreja, e pelo que entendo nada a seu favor. Estará assim tão mal tratada aquela jóia querida? Nem quero acreditar que assim seja. Os moncorvenses nao são assim..!

    ResponderEliminar