segunda-feira, 27 de maio de 2013

Debate* “Douro: Uma Boa Região para Investir”

Foto A.F.F.M.
PRÉMIO DOURO EMPREENDEDOR: VENCEDORES SÃO CONHECIDOS DIA 31 DE MAIOPor: mi / Secção: Negócios & Empresas 

Gala de entrega de prémios no Teatro de Vila Real
A gala de entrega dos Prémios Douro Empreendedor inicia dia 31 pelas 17h00 com o debate* “Douro: Uma Boa Região para Investir”, que contará com as presenças de Daniel Bessa (diretor geral da COTEC Portugal – Associação Empresarial para a Inovação), Bianchi de Aguiar (coordenador da Candidatura do Douro a Património Mundial), Sérgio Figueiredo (administrador da EDP/Fundação EDP) e Jorge Dias (diretor geral da Gran Cruz). O debate terá moderação de Paulo Baldaia, diretor da TSF, e será transmitido em direto por esta estação de rádio. Após um momento cultural, a cerimónia de entrega dos prémios encerrará com a distinção “Personalidade do Douro” a entregar pelo Primeiro Ministro. A finalizar, Vila Real mostrará um pouco da revolução cultural que está a ser levada a cabo pelo Conservatório Regional de Música de Vila Real, com a orquestra de cordas desta instituição. O “Prémio Douro Empreendedor” registou um total de 69 candidaturas, um número que superou as expectativas da Rede EmpreenDouro, entidade organizadora que envolve 26 instituições públicas e privadas e conta com o envolvimento direto da Estrutura de Missão Douro/Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Ao todo, as empresas em concurso gerem uma carteira de negócios de cerca de 55 milhões de euros, em áreas diversificadas, provando que o Douro tem recursos que podem potenciar novas oportunidades de negócio. Para cada uma das três categorias do Prémio (“Empresas que fazem o Douro”, “Douro uma boa região para investir” e “Novas empresas”) foram eleitos seis finalistas de cada área a concurso e no próximo dia 31 de maio, vão ser divulgados os vencedores do Prémio. Nesta gala será também conhecida a “Personalidade do Douro”.
Eis as 18 empresas finalistas que concorrem agora à fase final:

  • Categoria “Empresas que fazem o Douro” (empresas com mais de dois anos, que representam o melhor da região em “inovação” e “internacionalização”):
  1. Douro Boys - Grupo de cooperação de cinco produtores de vinhos do Douro, DOC e Porto, com vista à sua promoção. Em 2002, os cinco membros dos Douro Boys eram relativamente iguais em tamanho e produção de vinhos. Nos últimos anos, em conjunto, fizeram aumentar a área de vinha de 240 para 526 hectares (aumento de 119%) e valorizar os respetivos produtos de forma considerável.
  2. Duorum Vinhos – Produção de vinhos comuns e licorosos. O projeto inserido em Paisagem UNESCO, no Parque Arqueológico Vale do Côa e em Rede Natura 2000, representa as melhores práticas de desenvolvimento rural sustentável, com projeção internacional, assente nos recursos endógenos locais naturais e culturais. A empresa está sediada em Vila Nova de Foz Côa, com um investimento de 3, 8 milhões de euros.
  3. Geodouro – Fundada em 2000 e sediada em Lamego, é uma empresa de engenharia especializada nas áreas da topografia, cartografia, cadastro, sistemas de informação geográfica (SIG’s), projetos de desenvolvimento rural, expropriações e serviços fundiários. Credenciada pelo IGP para o exercício de atividades cartográficas e cadastro predial; é certificada pela SGS, em qualidade e ambiente desde 2009 e 2010 e foi distinguida em 2011 e 2012 pelo IAPMEI com os estatutos de PME Líder e PME Excelência.
  4. Restaurante DOC – Aberto desde 2007, está instalado num edifício de linhas contemporâneas situado no cais da Folgosa, na estrada que margeia o rio Douro entre a Régua e o Pinhão, o troço emblemático do Douro. É a principal sala de visitas do Douro, um espaço de harmonização entre a comida, os vinhos e a paisagem. Sediado em Armamar, envolveu um investimento de 200 mil euros.
  5. SOLICEL – Empresa de Vila Nova de Foz Côa, que desde os anos 90 exerce a sua atividade na área da exploração do xisto. De destacar, o investimento que tem feito ao longo dos últimos anos para transformar uma laboração predominantemente artesanal numa laboração moderna através da aquisição de maquinaria. A introdução de máquinas de monofio permitiu um salto na tecnologia de corte e nas dinâmicas de investimento das pedreiras. Prevê investir em 2013 cerca de 776 mil euros.
  6. Quinta da Avessada – A Enoteca Douro constitui um museu interativo alusivo à história e cultura da vinha e do vinho na Região do Alto Douro. Trata-se da primeira Enoteca Interativa da Europa, dotada de um sofisticado sistema de multimédia e audiovisuais que, conjugado com o movimento das diferentes representações etnográficas existentes ao longo da visita, transportam o visitante para uma época ancestral. Através do estímulo dos sentidos, dá a conhecer a quem a visita o singular “modus vivendis” das gentes do Douro. Está sediada em Alijó (Favaios) e correspondeu a um investimento de 1, 5 milhões de euros.
  • Categoria “Douro uma boa região para investir” (distingue investimentos no Douro, protagonizados por pessoas de outras regiões):
  1. Bairro do Casal - O projeto teve por base o investimento económico na recuperação da arquitetura rural tradicional salvaguardando integralmente a sua traça, utilizando técnicas e materiais originais, para perpetuar o pouco que resta da arquitetura tradicional local, com o objetivo de desenvolver o turismo cultural e paisagístico da região. Situa-se em Murça do Douro, concelho de Vila Nova de Foz Côa, com um investimento de 362 mil euros.
  2. João Brito & Cunha / Quinta de S. José – É uma proposta familiar que começou com a compra de toda a vinha da Quinta de S. José, localizada em S. João da Pesqueira. Uma aquisição que permitiu a promoção e comercialização de vinho com a marca da própria vinha. Há dois anos este projeto estendeu-se ao turismo, passando esta propriedade a dispor de quatro casas de hóspedes totalmente recuperadas. A empresa quer agora reforçar o investimento na produção de vinhos, assim como fidelizar os visitantes.
  3. Néctar de Sabedoria / Quinta de Foz Torto – Criada por Abílio Tavares da Silva, ex-informático que decidiu vender as empresas de Call Center que liderava em Lisboa (uma delas, a Plurimarketing) e rumar com a família ao Alto Douro para concretizar um velho sonho: produzir vinhos nesta região. Situada na marginal entre a Régua e o Pinhão, na confluência dos rios Torto e Douro, em pleno coração da Região Demarcada do Douro, a propriedade tem uma exposição privilegiada para a produção de vinhos: sul e poente. Foi adquirida em 2005 e após elevados investimentos na replantação das vinhas e na reabilitação de 3 hectares de socalcos com vinhas velhas, Foz Torto está a renascer transformada num dos mais belos “spots” da região: uma quinta boutique com vistas fantásticas, onde vai ser possível degustar os vinhos, sentir a natureza, fruir da paisagem e degustar os produtos cultivados em pequenas hortas. Os primeiros vinhos com a marca Foz Torto acabam de sair para o mercado: um tinto 2010 e um Reserva branco 2011. A Quinta de Foz Torto está sediada em S. João da Pesqueira e envolve um investimento de 2 milhões de euros.
  4. Quinta do Pessegueiro - Empresa de turismo rural e de produção de vinho. A Quinta do Pessegueiro é propriedade de Roger Zannier (Groupe Zannier é o líder mundial da moda infantil) que em 1991 adquiriu esta propriedade. Ao longo dos anos foi adquirindo outras propriedades que constituem atualmente o espólio da Quinta do Pessegueiro. Sediada em Tabuaço e com um investimento de 10 milhões de euros.
  5. Traga-Mundos – A Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, tem como atividade principal uma livraria, especializada na temática do Douro. Como atividade secundária a venda de vinhos, mercearia fina, artesanato, informação turística e a organização de eventos. Na livraria, situada no centro histórico de Vila Real, tem à venda cerca de cinco centenas de títulos, que ditam 40 por cento do volume de negócios. Investimento de 15 mil euros.
  6. William Smith & Lima /Quinta de Covela – A Quinta de Covela, debruçada sobre o rio Douro nas terras graníticas do Entre Douro e Minho, está a viver um novo fôlego, alimentado pela paixão de dois investidores estrangeiros: o brasileiro Marcelo Lima e o inglês Tony Smith. Em julho de 2011, os dois amigos compraram a Quinta de Covela, situada em Baião, por cerca de 3 milhões de euros. Depois de uma série de investimentos, os novos proprietários já fizeram a primeira vindima e acabam de lançar os primeiros vinhos, o Covela Escolha branco 2012 e o Covela Edição Nacional branco 2012, este uma inovação: trata-se do primeiro vinho verde da propriedade.
  • Categoria “Novas empresas” (premeia projetos empresariais em criação ou empresas constituídas com menos de dois anos de existência e distingue a melhor “ideia de negócio” e “empresa inovadora”):
  1. Cachicos - Pequena unidade industrial, cuja atividade é desenvolvida na transformação de frutas e legumes em produtos com valor acrescentado. Ainda na fase de processo de laboração parcial e de teste de produtos, a Cachiço prevê comercializar produtos como tomate seco, tomate aromatizado em conserva de azeite, uvas-passas cobertas com chocolate preto a 70%, maçãs secas e também cobertas com chocolate, cerejas e ginjas secas, citrinos secos e bolachas. Tem como principal objetivo utilizar matéria-prima proveniente essencialmente de produção familiar e de pequenos produtores do concelho de Miranda do Douro. O investimento previsto é de 20 mil euros.
  2. Douro Skincare – Destina-se a atuar na área da cosmética seletiva, através da conceção, desenvolvimento e comercialização dos seus próprios produtos e marcas, destinada à exportação e ao mercado nacional de nicho. Valoriza os recursos endógenos, a proximidade à região do Douro e a acessibilidade a produtos únicos no mundo como o Vinho do Porto, para criar a primeira gama de vinoterapia portuguesa dirigida à exportação, num segmento premium para nichos de mercado. Efetuou um investimento de 294 mil euros.
  3. Douro Natur Equus Resort – A Mogaequestre – serviços hípicos e turísticos, lda – foi criada em 2009, com o intuito de dotar a região onde se irá inserir funcionalmente de um conjunto de infraestruturas turísticas únicas, de qualidade superior, que integra alojamento turístico (aldeamento e unidade hoteleira, ambos com classificação de 4 estrelas superior), um equipamento de restauração, um biocampus (sala de atividades e oficinas/laboratórios) e equipamentos de animação turística, que incluem centro hípico, escola de equitação, spa, piscina exterior e interior, parque infantil e minigolfe. Situada em Mogadouro, envolveu um investimento de cerca de 8 mil euros.
  4. Low Cost Douro Tours – Empresa que organiza e executa excursões turísticas de baixo custo, com guia, com a duração de um dia, entre o Porto e a Região do Alto Douro, por via terrestre e orientadas a turistas e estudantes estrangeiros de orçamento médio/baixo. Investimento realizado no valor de 50 mil euros.
  5. Lusa Saudade - Posiciona-se no mercado de objetos de merchandising turístico, recordações de viagens, momentos e aventuras vividas no Douro. Os objetos são inspirados em temáticas e ícones da região do Alto Douro vinhateiro, como as gravuras rupestres do vale do Côa, os azulejos da Estação do Pinhão, o brasão dos Távoras, socalcos, ondulações da paisagem e do rio. Com uma linguagem corporativa coerente que representa a região duriense, a Lusa Saudades comercializa os seus produtos em Vila Real, Salzedas (Tarouca), Lamego, Miranda do Douro e Vila Nova de Foz Côa. Apresenta um investimento de 5 mil euros.
  6. TeaPort – Este projeto consiste no desenvolvimento de um chá que inclua o grande produto endógeno da região do Douro - o Vinho do Porto. O produto é inovador e único e é baseado em nano e microtecnologias recorrendo a materiais de origem biodegradável. A empresa, sediada em Moimenta da Beira, encontra-se em fase de pedido provisório de patente e envolve um investimento de 73 mil euros.
O “Prémio Douro Empreendedor” visa mostrar que o Douro é uma boa região para investir e vai premiar projetos inovadores de cariz empresarial que valorizem os produtos endógenos, contribuam para a competitividade da região e promovam o desenvolvimento integrado e sustentável da mesma. “Ficou demonstrado com a diversidade de áreas de negócio que pretendem emergir na região que existem oportunidades que merecem ser apoiadas e valorizadas”, sublinha Fontaínhas Fernandes, coordenador do projeto Rede EmpreenDouro. Lançado a 4 de dezembro de 2012, o concurso conta com o patrocínio da EDP, sendo que o vencedor de cada categoria receberá um prémio de 5 mil euros. Ao Júri de Premiação, constituído por elementos da UTAD, IPB, CCDRN/Estrutura de Missão do Douro, EDP e um jornalista do jornal Público, cabe ainda eleger uma personalidade emblemática do Douro, que não será sujeita a concurso. Além de um incentivo monetário, os vencedores de cada categoria usufruirão do seguinte: • Acompanhamento e consultadoria gratuita das estruturas de apoio ao empreendedorismo da UTAD ou IPB; • Acompanhamento de proximidade dos processos pelas entidades da Rede EmpreenDouro solicitadas; • Participação em possíveis suplementos a publicar nos órgãos de comunicação social a definir pela rede; • Participação das empresas em campanhas alusivas ao investimento na região do Douro a promover pela Rede EmpreenDouro.
Com este prémio, a Rede EmpreenDouro pretende motivar ainda mais o desenvolvimento de projetos inovadores de elevado potencial nacional e internacional, com especial interesse para a região do Douro. A Rede EmpreenDouro está assim apostada em dar um forte impulso na criação de novas empresas e investimentos na região duriense.

1 comentário:

  1. É para passar., pf

    Fiquem atentos nos próximos dias!



    Não abram nenhuma mensagem e/ou arquivo que fale mal de José Sócrates

    com o nome " PORTUGUES IDIOTA", Independente de quem a enviou.·

    é um vírus que 'abre' uma tocha olímpica que 'queima' todo o Disco rígido

    do computador.

    Este vírus virá de uma pessoa conhecida que tem o seu nome na sua Lista

    de endereços.

    Por isso você deve enviar esta mensagem a todos Os seus contactos.·

    É preferível receber 25 vezes esta mensagem, do que receber o vírus e

    abri-lo..

    Se receber a mensagem chamada "PORTUGUES

    IDIOTA" não a abra e apague-a do seu computador imediatamente!·

    É o pior vírus Anunciado pela CNN e classificado pela Microsoft Como o

    mais destrutivo que já existiu .

    Ele foi descoberto ontem à tarde pela McKafee e não existe Anti-vírus

    para ele.·

    O vírus destrói o Sector Zero do Disco Rígido, onde as

    informaões Vitais do seu funcionamento são guardadas.·


    ENVIE ESTA MENSAGEM A TODOS OS CONTACTOS QUE VOCÊ CONHECE

    ResponderEliminar