quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Miranda do Douro - Exposição de fotografia "Gente Daqui"



Em "Giente d’eiqui”, Carlos Lopes Franco apresenta um conjunto de fotografias em que mais do que o retrato das pessoas, retrata uma realidade bem enraizada na memória coletiva e individual das gentes da Terra de Miranda. A (teórica) ausência de cor funciona como um poderoso filtro de toda a distração que a cor provoca ao observador destacando assim as sensações que são transmitidas através da sensibilidade do artista em interpretar aqueles instantes da realidade e não apenas em retratá-los.

Nesta seleção de fotografias, há estórias, memórias, diversos e diferentes sentimentos contidos em cada uma delas que Carlos Lopes Franco apresenta através de elementos harmonicamente contextualizados em cuidadas composições magistralmente enquadradas. Ao longo desta seleção de fotografias é possível observar essa forte carga emocional expressa na delicada utilização da luz, no dinamismo dos contrastes, nas expressivas tonalidades e, sobretudo, essencialmente nas pessoas! Para o autor, fotografar alguém é entrar no seu mundo, ouvir a sua história, conhecer a sua vida, e ter a habilidade de ser simples, contudo deixa também espaço a que o observador construa a sua palete de cores mental num processo interpretativo pessoal que faz com que a fotografia transcenda o simples conceito da imagem. 

Fotografando a singularidade das pessoas na Terra de Miranda apresenta, pela primeira vez, um conjunto de imagens que retratam algumas das atividades mais emblemáticas de uma comunidade, também ela, singular. Delas constam elementos basilares do património cultural mirandês como os pauliteiros, o burro mirandês ou a gaita de fole que ainda é presença assídua nas manifestações culturais mirandesas. Em destaque está também a fogueira do galo que continua a ser uma das tradições mais mobilizadoras da comunidade mirandesa.


Realizada desde tempos imemoriáveis, apenas por rapazes solteiros, é uma tradição que se constitui como uma referência incontornável da identidade e memória coletivas. Estas atividades refletem também a cristalização e marginalização temporal vivenciada pela Terra de Miranda por longos períodos da sua história e que aqui marcam presença através da dimensão atemporal que a ausência de cor indicia. É da cumplicidade que o autor consegue com as pessoas retratadas que sobressai a imensa beleza do simples alcançando, com o uso de preto e branco, registos limpos, fortes, incisivos e plenos de personalidade. 

Assim, entre fotos provocantes, afetivas, impactantes, humanas, impulsivas, belas e profundas fica a certeza de que cada observador terá uma viagem única e pessoal pelo caminho das memórias, dos sentimentos e das emoções a percorrer em cada uma das fotografias exibidas em "Giente d’eiqui” no Museu da Terra de Miranda.

Carlos Lopes Franco (Barras – Mafra, 1953).

A sua formação académica como engenheiro mecânico e investigador na área da eficiência energética e ambiente, contribui em muito para a harmonia e perfeito enquadramento dos elementos que fotografa. O seu percurso pelo mundo da fotografia inicia-se aos 28 anos e após um interregno de 25 anos regressa em 2007 à sua paixão pela oitava arte sendo atualmente considerado um dos mais destacados fotógrafos amadores portugueses contemporâneos. Enquanto autodidata o seu aperfeiçoamento técnico-teórico é conseguido através da experimentação fotográfica bem como da observação e estudo de fotógrafos conceituados. 

Autor de dois livros editados, "Nós, os outros”, 2012 e "5 dias em Paris”, 2014, conta também com publicações em revistas e outros meios da especialidade de âmbito nacional e internacional tais como "Phocal Photovisions”, "DNG Photo Magazine”, "Visão”, "Camerapixo Independent Photography Magazine”, "B&W Soul Vision – Photography Group” em janeiro de 2015 e convidado da semana do programa "Fotografia Total” da TVI24 em julho de 2015.

Premiado em vários concursos fotográficos nacionais, são contudo de destacar a distinção de fotografia vencedora do mês de abril de 2015 na categoria de Saúde outorgado pelo Parlamento Europeu, autor do mês de fevereiro de 2015 na revista "SHOT Magazine”, bem como as 3 distinções como autor do mês conferidas pelo conceituado e respeitado site nacional de fotografia "Olhares.com”.

Tendo exposto individualmente em diferentes pontos do país regressa ao Museu da Terra de Miranda, 14 anos após "Contrastes e Testemunhos da Vida Rural”, contando com um percurso consolidado e reconhecido artisticamente fruto de uma forte perspetiva pessoal assente na abnegada dedicação à arte de eternizar situações da vida real. 

Fonte: http://culturanorte.pt/pt/noticias/exposicao-de-fotografia-gente-daqui/

Sem comentários:

Enviar um comentário