sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Deficiência: Igreja Católica procura ser cada vez mais «inclusiva»

Serviço pastoral do setor tem vindo a sensibilizar dioceses e abrir portas

Lisboa, 03 dez 2015 (Ecclesia) - O Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência (SPPD), organismo católico coordenado pela Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, assume a necessidade de procurar uma Igreja “inclusiva, para todos e com todos”.

“Estas pessoas têm de fazer parte das nossas comunidades, têm de ser acolhidas”, juntamente com as suas famílias, refere Tiago Casaleiro, do SPPD, em entrevista transmitida h
oje no Programa ECCLESIA (RTP2), assinalando o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

Para o responsável, um dos pontos mais “visíveis” das dificuldades está na vivência da Liturgia, com poucos recursos para pessoas cegas ou surdas, para além da falta de acessibilidades.

“A Igreja foca-se nas capacidades, unimo-nos às pessoas com deficiência e olhamos para as suas capacidades”, observa Tiago Casaleiro.


O membro do SPPD recorda a necessidade de um apoio “muito específico”, como o que é oferecido pelas comunidades do movimento ‘Fé e Luz’, prestes a celebrar 40 anos em Portugal; em 2017 vai decorrer uma “peregrinação jubilar” a Fátima para as pessoas com deficiência e suas famílias.

As dioceses mais empenhadas neste serviço, acrescenta Tiago Casaleiro, são as das “periferias”, recordando que o bispo da Diocese de Bragança-Miranda publicou recentemente uma nota pastoral, na qual sublinha que “as pessoas com deficiência continuam a fazer parte dos muitos excluídos da sociedade e de muitos lugares eclesiais”.

Apesar de já se encontrarem “sinais positivos” de mudança, por exemplo quanto ao cuidado com a “acessibilidade” das pessoas com deficiência aos edifícios, monumentos, escolas, transportes públicos ou ao traçado da via pública, D. José Cordeiro frisava que “ainda há muito a fazer”.

O prelado exorta as comunidades católicas da região, nas paróquias, unidades pastorais, movimentos e todas as famílias, a cuidarem “destes irmãos com ternura e inteligência pastoral, nos gestos e nas novas linguagens, na catequese, na liturgia e na caridade”.

HM/OC

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/deficiencia-igreja-catolica-procura-ser-cada-vez-mais-inclusiva/

Sem comentários:

Enviar um comentário