terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Douro afirma-se como destino turístico para a passagem de ano

Praia da Congida . Freixo de Espada à Cinta
 Turistas procuram cada vez mais unidades de enoturismo. Por Lusa O Douro é cada vez mais procurado para a passagem de ano e possui propostas que vão desde o 'réveillon' em hotéis de luxo ou mais intimista em quintas aos cruzeiros pelo rio e festas de rua gratuitas. "O Douro está a afirmar-se de ano para ano como um como um destino turístico para a passagem de ano", afirmou esta segunda-feira à agência Lusa José António Fernandes, presidente da Associação de Empresários de Hotelaria e Turismo do Douro (HTDouro). O responsável garantiu que o Património Mundial da Humanidade é "cada vez mais procurado para a passagem de ano", numa tendência que contraria a época baixa e de menor procura que se verifica no inverno. O turismo no Douro é ainda um destino turístico muito sazonal, com uma época alta no verão que se prolonga até às vindimas mas, depois, esvazia-se novamente de visitantes. Hotéis cheios na passagem de ano "Não tenho dúvida de que as unidades vão estar cheias para esta passagem de ano", referiu José António Fernandes. Pelo território espalham-se cerca de 2.500 camas nas mais variadas unidades hoteleiras. A oferta no Douro é variada, para todas as carteiras e idades e vai desde as viagens de duas a três noites nos cruzeiros que sobem o rio, aos hotéis de luxo que preparam jantares de gala, quintas com provas vínicas e festas mais intimistas e à lareira, animação de rua ou bares e discotecas com animação noturna. Procura por unidades de enoturismo "E há cada vez mais pessoas a quererem festejar a passagem de ano nestas pequenas unidades de enoturismo, com poucos quartos, em que se cria alguma intimidade entre os hóspedes e os proprietários e a festa é mais privada e familiar", salientou. Esta é, na sua opinião, uma oferta recente que está a atrair os visitantes. No entanto, o responsável ressalvou que as unidades hoteleiras ainda estão a ultimar os pacotes para a passagem de ano e que as reservas são, em muitos casos, também feitas mais próximas do 'réveillon'. José António Fernandes disse ainda que o Douro não é só rio e vindima e possui muito para ver e saborear nesta época, como o património, a cultura, as vinhas pintadas de várias cores, a gastronomia regional e as provas de vinhos. Não deixe de nos seguir no Facebook. 

Sem comentários:

Enviar um comentário