quarta-feira, 16 de setembro de 2015

I Jornadas de Escolas Promotoras de Saúde do Nordeste Transmontano

A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste vai realizar, através da Unidade de Saúde Pública, as I Jornadas de Escolas Promotoras de Saúde do Nordeste Transmontano. Este evento, destinado a professores, educadores, profissionais de saúde, associações de pais e encarregados de educação, alunos, autarquias e comunidade em geral, e cujas inscrições já se encontram abertas, irá decorrer nos dias 9 e 10 de outubro, no auditório Alcínio Miguel, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Bragança.
Com a realização destas Jornadas pretende-se, segundo a Comissão Organizadora, promover a adesão dos estabelecimentos de ensino da região à filosofia das Escolas Promotoras de Saúde, assim como contribuir para um debate crítico aprofundado sobre as temáticas que constituem este projeto educativo.
Durante os dois dias das Jornadas vão estar em debate temas como a Promoção da Saúde da Criança, Ambientes Seguros e Saudáveis, Comportamentos não Saudáveis, Promoção da Alimentação Saudável, Sexualidade e Afetos e Família – Escola – Sociedade.
As Jornadas de Escolas Promotoras da Saúde são acreditadas pelo CCPFC para Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.


Abordagem integral da escola
As Escolas Promotoras de Saúde decorrem das diretivas da Organização Mundial de Saúde (OMS) no que concerne à Promoção e Educação para a Saúde, nomeadamente “qualquer combinação de experiências de aprendizagem que tenha por objetivo ajudar os indivíduos e as comunidades a melhorar a sua saúde, através do aumento dos conhecimentos ou influenciando as suas atitudes” (OMS, 1998). A Carta de Ottawa (1986) na sua operacionalização do conceito de Promoção de Saúde, diz: “o processo que visa aumentar a capacidade dos indivíduos e das comunidades para controlarem a sua saúde, no sentido de a melhorar”.
No seguimento destes conceitos da Promoção e Educação para a Saúde, surge a Rede Europeia de Escolas Promotoras de Saúde (SHE), sobre os auspícios da Comissão Europeia, do Conselho da Europa e do Gabinete Regional da OMS para a Europa . 
“A Escola Promotora de Saúde (EPS) é, nesta perspetiva, uma escola que fortalece sistematicamente a sua capacidade de criar um ambiente saudável para a aprendizagem. A EPS é, assim, um espaço em que todos os membros da comunidade escolar trabalham em conjunto para proporcionar aos alunos, professores e funcionários, experiências e estruturas integradas e positivas que promovam e protejam a saúde. Nesta abordagem, a classificação de EPS não pode ser atribuída, como frequentemente é entendido, em função de um projeto com início e fim, do desenvolvimento de atividades específicas ou por apresentar caraterísticas físicas particulares. Uma EPS carateriza-se por uma abordagem integral e plena de toda a escola, ao nível da sua cultura, política e prática, o que determina a forma como vê o aluno e a comunidade educativa. 

Envolver a comunidade
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma EPS: i) fomenta a saúde e a aprendizagem com todas as medidas ao seu alcance; ii) implica os setores da saúde e educação: professores, alunos, funcionários, pais (e encarregados de educação), profissionais de saúde e líderes comunitários (autarcas) esforçam-se por tornar a escola um lugar saudável; iii) proporciona um ambiente seguro e saudável e, em parceria com os serviços de saúde e comunidade escolar, cria oportunidades de promoção da saúde mental, apoio social, aconselhamento, alimentação saudável e atividade física; iv) implementa políticas e práticas que respeitam o bem-estar e a dignidade do indivíduo, fornecem múltiplas oportunidades para o sucesso, reconhecem os esforços, bem como as realizações pessoais; v) esforçam-se por melhorar a saúde dos alunos, da equipa educativa, das famílias e membros da comunidade e trabalha com as autoridades locais ajudando-as a entender de que forma a comunidade pode contribuir para a melhoria da saúde e educação” .
No âmbito do projeto da Rede Europeia das Escolas Promotoras de Saúde, a ULS Nordeste / Unidade de Saúde Pública vai levar à prática a concretização dos grandes objetivos constantes dos documentos expressos. Assim, dando continuidade ao trabalho exercido pelas equipas de saúde escolar da ULS Nordeste e dos Agrupamentos de Escolas do distrito de Bragança, as presentes Jornadas almejam a efetivação dos projetos das Escolas Promotoras de Saúde em todos os Agrupamentos de Escolas.
O evento irá contar com a presença e patrocínio da Direção Geral da Saúde (DGS), professores universitários em várias especialidades, Agrupamentos de Escolas, Câmaras Municipais do distrito e Equipas de Saúde Escolar da ULS Nordeste.

Promoção da Saúde
Observando os documentos da OMS, das EPS, esta iniciativa da ULS Nordeste vai de encontro às diretivas nacionais da DGS, nomeadamente na Promoção e Educação para a Saúde nas Escolas e Comunidades.
“A Escola, ao constituir-se como um espaço seguro e saudável, está a facilitar a adopção de comportamentos favoráveis à saúde, encontrando-se, por isso, numa posição ideal para promover e manter a saúde na comunidade educativa, assim como na comunidade envolvente. 
A primeira escola da criança é a família, constituindo por isso, um elemento preponderante na atenuação das fragilidades inerentes ao binómio saúde-doença e na potenciação dos comportamentos salutogénicos. Melhorar a saúde implica uma co-responsabilização social, em que todos os setores devem estar envolvidos quando as suas actividades têm impacto sobre a saúde dos indivíduos e dos grupos.
As autarquias, a Segurança Social, as organizações não governamentais e todos os setores da sociedade que trabalham com crianças e jovens são indispensáveis na advocacia de um trabalho em rede, com equipas multiprofissionais e intersetoriais, onde a preocupação subjacente seja o bem-estar, numa escola que se quer, cada vez mais, promotora da saúde” .


Unidade de Saúde Pública da ULS do Nordeste

Sem comentários:

Enviar um comentário