quinta-feira, 24 de setembro de 2015

NORDESTE TRANSMONTANO - EFEMÉRIDES (24/09)

convento de S. Francisco de Moncorvo
24.09.1652 – Os frades do convento de S. Francisco de Moncorvo escrevem a el-Rei dizendo “que actualmente estão fazendo 3 retábulos para a sua igreja (…) que os vereadores da vila de Mós lhe prometeram 8 mil réis (…) e que a mesma câmara em outra ocasião deu outra esmola de 36 mil réis por tempo de 3 anos (…)pedem a V. Magestade mande passar provisão para que lhe dêem oito mil réis por tempo de 6 anos para continuar e acabar os ditos retábulos”.
24.09.1847Notícia de Mogadouro: - No dia 24 de Agosto vinham de Moncorvo para Bragança alguns negociantes de seda, e no lugar de Santa Comba, concelho de Alfândega da Fé, separando-se um, por alcunha “o presunto”, foi assolado por 12 homens armados que lhe roubaram uma carga de seda, a mula e 40 moedas; conheceu alguns que eram da gente do Marçal de Vila Nova de Fozcôa… Os povos estão por aqui oprimidos com a vara do despotismo das autoridades…
24.09.1888Francisco António Lopes Cardoso faz seu testamento, na cidade do Porto, dispondo do usufruto de sua terça em favor de seus 3 filhos e em propriedade a seus netos legítimos.
24.09.1893 – O nº 102 d´O Moncorvense publicado neste dia dá uma notícia do aparecimento das pederneiras – os isqueiros – dizendo: - Guerra aos phosphoros – Um grande número de fumadores do Porto aboliram quasi completamente o uso dos phosphoros. Só um negociante vendeu lá em um só dia 5 000 pederneiras! Por cá vai acontecendo outro tanto.
24.09.1942 – Ofício do gov. civil de Bragança para o administrador de Moncorvo: - Constando-me que se pensa levar a efeito uma “procissão” ou festa civil dentro em breve na Cardanha, rogo a Vª Exª se digne tomar as necessárias providências para que tal propósito não se execute.
António J. Andrade

2 comentários:

  1. Filomena Esteves disse: adorei. tenho boas recordaçoes desse tempo. que saudades da tia Eliza e do seu tear , reconheço cada canto cada promenor. muitos anos se passaram mas o caldo verde da mae do dr. Praça sabia muito bem.

    ResponderEliminar
  2. OLá, António Júlio:

    24.09.1942 - E quais as razões para tal proibição? Os habitantes da Cardanha faziam a procissão sem o padre? Estavam desavindos?

    Um abraço
    Júlia

    ResponderEliminar