segunda-feira, 14 de março de 2016

Amílcar Paulo homenageado em Freixo de Espada à Cinta



O estudioso do povo judeu em Portugal e no estrangeiro, Amílcar Paulo, foi homenageado no dia 12 de Março num evento inserido no ciclo de conferências “Ilustres Desconhecidos” organizado pela Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta.


Artur Parra, Vice- Presidente da Câmara com o pelouro da Cultura, iniciou a conferência com a apresentação dos convidados e leu, a pedido de Margarida Ferreira, autora da tese de mestrado “Amílcar Paulo, Uma Vida na Defesa de um Povo Proscrito” algumas passagens deste mesmo trabalho que refletem o percurso da vida e obra deste autor, em Portugal e além fronteiras. 

A “luta” de Amílcar Paulo, pela história e importância do povo judeu,  foi lembrada por todos os intervenientes fazendo jus ao reconhecimento merecido desta figura que está incontornavelmente ligada à história de Portugal e das suas gentes.  “Faz parte do nosso governo autárquico organizar estas homenagens que resultam em momentos de partilha com os nossos concidadãos. Ao prestar homenagem, a quem com os seus feitos e percursos ergueu mais alto o nome de Freixo de Espada à Cinta, estamos simultaneamente a evocar a força coletiva de da nossa terra”, lembrou Maria do Céu Quintas, Presidente da Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta.

António Pimenta de Castro, autor de vários trabalhos sobre o percurso dos Judeus, nomeadamente em Lagoaça, referiu também a importância de Amílcar Paulo dizendo ser “um autor  que merece ser lembrado e louvado pela sua obra”. Sendo também um autor que muito aprecia, António Pimenta de Castro referiu-se à temática sobre Guerra Junqueiro e o facto de este, ser ou não de origem judaica, cuja resposta está convencido que seja afirmativa.


Seguidamente interveio Adriano Vasco Rodrigues, figura intrinsecamente ligada aos estudos sobre a cultura e o povo judaicos. Começou por recordar que foi amigo pessoal de Amílcar Paulo e que juntos foram fundadores do Instituto Relações Culturais Portugal-Israel. Já de “kipá”, chapéu utilizado pelos judeus, e desta forma simbolizando o respeito que diz ter por este povo, percorreu resumidamente os marcos históricos ligados ao povo judeu. Louvando a iniciativa do Município de Freixo referiu que  “o interesse de Amílcar Paulo pelo judaísmo manteve acesa uma chama que hoje está irradiando por Portugal” e que “o interesse por este povo deixou profundas raízes culturais e genéticas entre portugueses”. Depois de percorrer uma lista de nomes de origem judaica e um conjunto de curiosidades e termos relacionados com este povo,  terminou de forma minuciosa dizendo “não é, hoje, possível dizer em Portugal “eu não tenho sangue judeu”, e não estamos em má companhia, porque Jesus também era judeu”.

O Vice- Presidente Artur Parra, encerrou os trabalhos agradecendo a presença de todos os intervenientes e do público. 

Gabinete de Comunicação da CM de Freixo de Espada à Cinta
Joana Vargas

Sem comentários:

Enviar um comentário