sexta-feira, 24 de abril de 2015

TORRE DE MONCORVO - FUTURO














Click nas imagens para aumentar

Reedição de posts desde o início do blogue

5 comentários:

  1. Domingo, 3 de Outubro de 2010
    Eólicas pagam recuperação da vila de Torre de Moncorvo
    A Câmara de Moncorvo aguarda a instalação do maior parque eólico transmontano para fazer investimentos na vila, que passa pela recuperação e criação de novos equipamentos, entre os quais um Centro de Artes e Eventos e a regeneração urbana da vila.


    O maior parque eólico do Nordeste Transmontano vai ser instalado no concelho de Torre de Moncorvo. O prazo para a consulta pública ao documento do Estudo de Impacte Ambiental terminou esta semana.


    O projecto prevê a instalação de torres em várias freguesias, nomeadamente em Felgar e Felgueiras. O presidente da Câmara, Aires Ferreira, considera que se trata de “um grande investimento” que poderá beneficiar o concelho e até financiar novos equipamentos, nomeadamente a construção de um pavilhão multiusos, para funcionar como Centro de Artes e Eventos. “Parte desse equipamento poderá ser custeado pelas contrapartidas das eólicas, vamos aguardar a conclusão do processo- a fase de consulta ambiental chegou ao fim- porque também é importante para a viabilização do Centro de Artes e Eventos”, explicou o edil.


    O parque eólico é aguardado no concelho por se tratar de um investimento avultado, por ter uma potência superior aos 50 MW. Sobre a mesa estão duas hipóteses, uma prevê a instalação de 29 aerogeradores e a outra 27. Para o município, representa um negócio com a perspectiva de arrecadar milhões de euros.


    “Se o projecto for aprovado em 2012 garantirá financiamento para várias obras, onde se incliu a do Centro de Artes e Eventos”, referiu o autarca. Em 2008, a Câmara de Moncorvo lançou um concurso para a exploração de 50MW de potência, desde então o processo tem estado em marcha, mas já tem alguns meses de atraso.


    A construção do Centro de Artes e Eventos está incluída numa mega operação de regeneração urbana na vila de Moncorvo, designada “Viver Moncorvo”, já com vários financiamentos aprovados, com várias operações individuais, cujos contratos foram assinados ontem como a Comissão de Coordenação e Desenvoloviento do Norte. Para além da requalificação de ruas e largos está também prevista a criação de dois novos espaços museológicos, o Museu de Arte Sacra na Igreja da Misericórdia e o Museu do Castelo.


    Jornal de Notícias
    2010-10-01

    ResponderEliminar
  2. Se o projecto for aprovado deverá entrar em funcionamento no início de 2012
    O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do Parque Eólico de Torre de Moncorvo está em fase de consulta pública até dia 29 corrente mês. O projecto localiza-se nas freguesias de Açoreira, Torre de Moncorvo, Felgueiras, Maçores e Larinho, na Serra do Reboredo. O EIA, incluindo o respectivo resumo não técnico, está disponível para consulta na Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, no Porto, e na Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em Lisboa. O resumo não técnico pode ainda ser consultado nas sedes das juntas de freguesia envolvidas no projecto ou no site da APA (www.apambiente.pt). Está previsto que a Declaração de Impacto Ambiental seja emitida até 22 de Dezembro deste ano. O licenciamento depende de parecer favorável, ou favorável com condicionantes, dessa Declaração. Segundo o resumo não técnico, no âmbito do projecto está prevista a instalação de 27 ou 29 aerogeradores. A instalação do parque decorrerá durante o próximo ano, prevendo-se que, no início de 2012 possa entrar em funcionamento. O período de vida deste sistema é de 20 anos. A energia produzida no parque será lançada na rede eléctrica nacional a partir da subestação do Pocinho. O EIA aponta que os principais impactos a registar são ao nível da fauna, sobretudo para as aves e morcegos, e ao nível da qualidade da paisagem. Por esse motivo aponta medidas minimizadoras de impactos e criação de um plano de monitorização sonoro e da fauna. Como impactos positivos aponta a contribuição para o cumprimento das metas estabelecidas para a diminuição de gases com efeito de estufa, melhoria da qualidade do ar, geração de receitas a nível local, através do pagamento de contrapartidas à autarquias e pagamentos pelo arrendamento dos terrenos.

    ResponderEliminar
  3. Parque Eólico de Torre de Moncorvo Union Fenosa Renovables, SA ECOSSISTEMA-Consultores em Engenharia do Ambiente, Lda. Indústria do sector da energia Torre de Moncorvo 08-02-2010

    ResponderEliminar
  4. Seis Quintas Martue SA
    Avenida Amendoeiras 6,1º-D, Torre Moncorvo
    5160-304 TORRE DE MONCORVO
    Telefone
    Tel:279 254 205Actividade: Vinhos - Produtores
    Classifique GuardarJosé J Olazabal Albuquerque
    Avenida Jorge L Borges 29, Torre Moncorvo
    5160-220 TORRE DE MONCORVO

    ResponderEliminar
  5. Viaz-Produção e Comercialização de Vinhos e Azeites Lda
    Quinta Carvalhal , Horta Vilariça
    5160-101 HORTA DA VILARIÇA
    José J Olazabal Albuquerque
    Avenida Jorge L Borges 29, Torre Moncorvo
    5160-220 TORRE DE MONCORVO
    Telefone
    Tel:279 258 135Actividade: Vinhos - Produtores

    ResponderEliminar