segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Alfândega da Fé - Mensagem da Presidente da Câmara

Foto: Arquivo do blogue
Neste final de ano de 2016 estamos na fase de aprovação do Plano e Orçamento, que será enviado à Assembleia Municipal no dia 10 de Dezembro.

Temos um orçamento de cerca de 8 milhões de euros, sensivelmente mais 1 milhão que no ano anterior, e isso significa que finalmente estamos a iniciar a execução do quadro comunitário 2014/2020 que esteve parado durante dois anos.

Prevemos no início do próximo ano reiniciar a reabilitação urbana da vila, candidatura já aprovada, no valor de cerca de 600 mil euros, e que irá continuar no espaço público a intervenção já realizada na zona da Torre do relógio, desta vez, até ao centro da vila.

Na candidatura da reabilitação urbana está incluída numa segunda fase, a iniciar até final de 2017, a reabilitação da casa do arcebispo José de Moura, junto ao Adro da igreja, que será transformada num espaço público, onde existirá uma sala de exposição do património religioso e outra dedicada ao mestre José Rodrigues.

Já aprovamos em reunião de câmara a aquisição do Lagar D’El Rei, espaço já candidatado no Programa “Provere” que permitirá a recuperação do edifício que há muito necessita dessa intervenção.

Temos já aprovada a candidatura de requalificação do espaço junto ao centro de saúde, como base de acolhimento dos GIPs e melhoria do heliporto com licenciamento do mesmo.

Ainda este ano iremos submeter a candidatura para requalificação da escola EB2, cuja intervenção ascenderá a 1 milhão de euros.

Candidatamos o projeto para melhoria do fornecimento de água às aldeias da Ferradosa, Gouveia, Picões, Cabreira e Vilarelhos e estamos a aguardar a aprovação da candidatura, para resolvermos definitivamente o problema da qualidade do abastecimento de água a estas aldeias, que têm vários problemas, há décadas, com a água actual proveniente de furos.

Temos uma pré - candidatura para requalificação da zona industrial e construção de uma incubadora de empresas, para continuarmos a apoiar a criação de empresas e de emprego no concelho. Esta candidatura inclui a beneficiação da entrada sul da vila.

Vamos continuar a apoiar a valorização da zona junto à albufeira do Sabor em parceria com a confraria do santo Antão, estando prevista a construção de uma praia fluvial e um pequeno ancoradouro até Maio/Junho de 2017. Estamos também a desenvolver esforços para melhorar o acesso a partir do IC5, até pela importância desta zona em termos turísticos.

Com esse mesmo objectivo fizemos uma candidatura para valorizar este espaço natural com um projecto de percursos pedestres “Caminhos do Sabor”.

Continuamos a considerar o turismo como uma das potencialidades a desenvolver e neste sentido iremos requalificar o espaço público da aldeia de Felgueiras, onde empresários privados estão a investir mais de 1 milhão de euros em vários projetos turísticos singulares e fortemente atrativos.

Estas são algumas das candidaturas que temos em carteira e em execução em 2017/2018 sem descurar o apoio às freguesias na melhoria das acessibilidades, calcetamentos, etc.

Abre – se assim um novo ciclo de investimento, com o aproveitamento dos fundos comunitários, para o qual a autarquia está melhor preparada, tendo já estabilizado a situação financeira; pagamos a tempo e horas, não temos pagamentos em atraso e estamos a reduzir a dívida gradualmente de acordo com o previsto no Plano de Ajustamento Municipal.

De acordo com o anuário financeiro das autarquias fomos a 5ª melhor autarquia do distrito em termos de gestão financeira em 2015 e em 2016 ainda estaremos melhor.

Quanto caminho já percorrido!

Resolvemos o problema das duas empresas municipais (EDEAF e Alfandegatur) que anualmente davam prejuízos e drenavam recursos do orçamento municipal para cobrir esses prejuízos, que correspondiam a mais de 500 mil euros por ano.

A EDEAF foi extinta sendo os espaços da mesma concessionados a privados e a Alfandegatur vendida a privados que já iniciaram um forte investimento no Hotel Spa que há muito era necessário: desta forma além de libertar a autarquia destes encargos, impulsionamos a iniciativa privada que em nosso entender, deve ser o motor do desenvolvimento do concelho.

Estamos pois mais preparados e menos subjugados pelo peso da dívida que herdamos, que mesmo assim ainda irá pesar durante os próximos anos no orçamento municipal, mas de uma forma mais sustentável.

Felizmente este governo do Partido Socialista está a repor as verbas que foram cortadas do orçamento das autarquias pelo governo anterior e isso permitirá maior investimento e mais desenvolvimento.

Embora tenhamos de pagar a dívida temos de o fazer sem descurar o investimento e a resolução dos problemas do nosso concelho.

Os tempos são pois de esperança e de muito trabalho ao serviço do nosso município e dos nossos munícipes.

Berta Nunes

Presidente da Câmara Municipal de Alfândega da Fé

4 de Dezembro de 2016
           

Sem comentários:

Enviar um comentário