terça-feira, 6 de dezembro de 2016

NORDESTE TRANSMONTANO - EFEMÉRIDES (06/12)

06.12.1891 – Nota publicada no nº 7 de "O Moncorvense desta data, eivada de fortes e irónicas críticas aos líderes progressistas do Nordete Trasmontano:
- (…) Todos os nossos amigos serão contemplados com empregos rendosos nas repartições do Estado.
Os de agronomia e suas múltiplas dependências irão para a Torre do Tombo.
O “Topa-a-tudo” e seu filho loiro ficarão colocados perpetuamente na Caixa Geral de Depósitos.
Mazombo, Mazombinho e Mazombez, na Academia real das sciencias.
Os habilidosos financeiros, mestre Cepeda e Manquitó, no Tribunal de Contas ou na direcção do Banco de Portugal.
O tonsurado de Lamas fica onde está.
Mestre de vallas será nomeado inspector das obras do porto de Lisboa.
O Papinhas de Besuntão, notável escriptor público, irá para o logar de redactor chefe duma das casas do Parlamento, e nos intervalos das sessões desempenhará o cargo de irmão procurador no recolhimento das Trinas.
O doutor Lambôdres, de Vinhais, preceptor no dito recolhimento.
Moncorvo - 1894
O Rato-mor da câmara municipal de Macedo irá para o Terreiro do Trigo, como thesoureiro dos fundos da bolsa dos cereaes.
Todos terão colocação, e em outra carta direi qual. Como te considero como meu filho, deputado és já: assim te podes considerar. – O Grande Dynamite. Adeus querido sobrinho.
- No mesmo jornal se noticia a morte de Francisco António Cardoso, em Torre de Moncorvo, o qual contava 79 anos, bem como da mãe da Dr. Galas. E se escrevia que as dívidas da câmara de Moncorvo ascendiam a 6 ou 7 contos de réis e que o dinheiro estava nas mãos dos grandes contribuintes que não pagavam o que deviam.
António Júlio Andrade

Reedição de posts desde o início do blogue.

5 comentários:

  1. Bem, nessa altura o dinheiro estava na mão dos contribuintes...
    E todos tinham cargos, tachos, ou pelourinhos!
    O Gande Dinamite!
    As dívidas da câmara, então!
    Era assim!
    Obrigada por esta preciosa informaão
    A.A.

    ResponderEliminar
  2. António Espírito Santo ‎......texto delicioso....desse jornal

    ResponderEliminar
  3. Isto é que era pancadaria (verbal, mas não só) no adversário!

    Júlia

    ResponderEliminar
  4. Interessante seria pegar em cada um destes personagens, ver seus registos biográficos, casamentos, empregos, propriedades adquiridas e vendidas... Digo isto porque nas minhas investigações, que têm de ser generalistas, ao levantar a ponta do véu, fico triste por não ter meios nem tempo de estudar este mundo... Era um trabalho fantástico para uma boa equipa que se dispusesse...poderia sair a verdadeira história da região... J. Andrade

    ResponderEliminar
  5. E não há ninguém que "pegue" nesta sugestão do Senhor A.Júlio?

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar