sexta-feira, 1 de julho de 2016

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (01/07)

Monumento ao Bombeiro
(Camané)
01.07.1796 – Nomeação do dr. José Pedro Soares dos Reis e Vasconcelos para o lugar de corregedor da comarca de Moncorvo.
01.07.1902Antero Augusto Silva nomeado secretário da Administração do concelho de Moncorvo, por aposentação de Manuel António da Silva.
01.07.1911 – Acta da reunião da câmara municipal de Moncorvo:
- Foi em seguida lembrada a conveniência de se adquirir uma bomba de incêndios e organizar um corpo de bombeiros voluntários, atendendo às péssimas condições em que se encontra a vila para a extinção de um incêndio, se bem que da parte dos habitantes se tenha evidenciado o pronto socorro e mais louváveis esforços…

António Júlio Andrade


4 comentários:

  1. Como seriam os incêndios nesse tempo?Como se apagava o fogo nas serras -Reboredo,Urros ...Que equipamentos tinham?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nessse tempo as serras não ardiam e, nas aldeias os incendios eram apagados por todos os populares, pois bastava o sino tocar para as pessoas se juntarem.Tempos duros é certo mas havia união e inter ajuda.

      Eliminar
  2. Monumento ao bombeiro?Parece uma àrvore chamuscada depois de um incêndio no Reboredo.Se pintarem de vermelho os ferros fica a imagem do inferno da inquisição.Que coisa tão feia.Botem lá um monumento que seja de facto uma homenagem ao bombeiro voluntário.São os nossos heróis.Sacrificam até a vida pelo bem comum.BEM AJAM.
    Tenho na minha familia alguns .Têm que divulgar aqui o livro dedicado aos nossos bombeiros.
    Leitor

    ResponderEliminar
  3. Os ferros representam isso mesmo "o Inferno do fogo" e se repararem em torno dele estão os bombeiros, de mão dada, voluntariamente unidos no seu combate. Uma peça escultórica bela e bem representativa da homenagem que é aos nossos Heróis com "alma de ferro".
    Bird.

    ResponderEliminar