quarta-feira, 20 de julho de 2016

Nordeste transmontano com 3,2 milhões para melhorar tratamento do lixo

Financiamento comunitário visa melhor eficácia do sistema Resíduos do Nordeste, que abrange 13 municípios.

O Nordeste Transmontano vai ser alvo de um investimento superior a 3,2 milhões de euros para melhorar a recolha e tratamento dos resíduos, que inclui a recolha selectiva porta a porta, divulgou esta terça-feira a empresa  Resíduos do Nordeste, que cobre os 12 concelhos do distrito de Bragança mais Vila Nova de Foz Côa, na Guarda. O investimento tem uma taxa de cofinanciamento de 85%".

Financiado pelo POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência do Uso dos Recursos, o investimento será feito no âmbito do ""Projecto Integrado de Recolha Selectiva Multimaterial no Nordeste Transmontano" e procura  "aumentar a quantidade e qualidade da reciclagem dos vários materiais, contribuindo também para a redução dos resíduos tratados indiferenciadamente, sendo que engloba recolha selectiva porta a porta, optimização e reforço da recolha selectiva, centr
o de triagem, sensibilização, publicidade e comunicação".

Segundo as metas estabelecidas no Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos 2020, este sistema está obrigado a aumentar para 80% a quantidade de resíduos urbanos que seguem para reutilização e reciclagem e poderá depositar em aterro apenas 10% do lixo produzido pelos seus 140 mil habitantes.


A Resíduos do Nordeste é responsável por cerca de 200 postos de trabalho e gere uma rede de 14 ecocentros e 616 ecopontos espalhados pela região. Com este investimento vai adquirir novas viaturas e contentores, ecopontos, um ecocentro móvel e uma solução inteligente de gestão de resíduos, medidas que visam "a melhoria da acessibilidade dos cidadãos à rede de recolha selectiva". A solução de gestão dos resíduos é, segundo a empresa, um "projeto-piloto para detecção, monitorização, identificação alerta e registo nos ecopontos. 

As verbas contemplam ainda a sensibilização, publicidade e comunicação com ações de sensibilização ambiental, entre outras.


A Resíduos do Nordeste nasceu da articulação de 13 municípios, que aproveitaram como solução comum para tratamento dos resíduos, o aterro sanitário de Urjais, em Mirandela. A empresa constituída há 13 anos já investiu mais de 20 milhões de euros naquele Parque Ambiental que inclui unidades de triagem, de produção de composto e valorização energética de resíduos. Com Lusa

Fonte: https://www.publico.pt/local/noticia/nordeste-transmontano-com-32-milhoes-para-melhorar-tratamento-do-lixo-1738785

Sem comentários:

Enviar um comentário