sexta-feira, 22 de julho de 2016

NORDESTE TRANSMONTANO - EFEMÉRIDES (22/07)

22.07.1302 – Sentença de D. Dinis condenando o concelho de Fozcôa em 60 libras, numa contenda havida com o concelho de Moncorvo por causa da posse da Barca do Douro.
22.07.1671 – Os frades do convento de S. Francisco apresentam queixa ao provedor da comarca contra António de Carvalho de Gamboa, “pessoa poderosa e turbulenta”,por lhe desviar a água que pertence ao convento para regar o pomar que ali tem.
22.07.1888 – O Primeiro de Janeiro noticia o aparecimento do jornal “ALuz” na cidade de Bragança, onde já existiam “O Nordeste” e “O Brigantino”. Informa também que os recrutas de Moncorvo foram á inspecção militar a Bragança “em um carro enfeitado tendo escrito no alto, em gordos caracteres – Recrutas Moncorvenses – e dão vivas à República, nas terras por onde passam”.
22.07.1911 – Lançamento de um jornal humorístico manuscrito na aldeia de Felgar, intitulado “O Foco”.
António Júlio Andrade

7 comentários:

  1. O FOCO, o conteúdo correspondeu ao título?
    Foi, realmente, uma luminusidade de pensamentos e ideias? ou extinguiu-se logo a chama?
    Tininha

    ResponderEliminar
  2. Sairam pelo menos dois números, que eu fotocopiei e que eram propriedade do pai do actual presidente da câmara de Moncorvo, engº Fernando Aires Ferreira. Foram-me emprestados por uma sua prima do Felgar (D. Maria Ferreira) que então trabalhava no Jardim de Infância do Larinho. J. Andrade

    ResponderEliminar
  3. Os frades abandonaram o convento.O edifício passou por vários donos e o Montenegro acabou com ele.Ficou a capela que hoje é uma ofina da câmara.Paz à sua alma. lá está a casa da água que foi durante muito tempo o único depósito que abasteceu a vila.O famoso chafariz da praça estava ligado à nascente por um cano de granito.Daí o nome da rua do Cano à actual rua Visconde de Vila Maior.É o que dizem.
    Leitor

    ResponderEliminar
  4. Estes saberes, cheios de mistério, de magia! uma outra maneira de ensinar e de aprender!E aprende-se! pr gosto, garanto-lhes.Obrigada A. J.Andrade!
    A.Andrés

    ResponderEliminar
  5. Aprendemos uns com os outros e construimos uma fantástica base de saberes para as gerações que se seguirem. Ninguém, nunca mais, poderá escrever uma autêntica monografia de Torre de Moncorvo sem consultar este blog. E se houvesse um pouco mais de empenho de alguma gente que até tem responsabilidades e obrigações na área da dinamização cultural da nossa terra, muito mais se poderia fazer... Aqui fica um apelo a todos os que gostam de estar neste espaço de cultura: - Participem! A participação é muito importante. mesmo quando se dizem asneiras... dá-se oportunidade a que sejam corrigidas e isso também engrandece e cultiva. J. Andrade

    ResponderEliminar
  6. Tem toda a razão o António Júlio Andrade.
    E ainda mais, porque muito tem enriquecido este blog.

    Obrigada ao A.Júlio e obrigada ao Lelo pelo vosso excelente trabalho.
    Júlia

    ResponderEliminar
  7. Esse jornal humorístico, manuscrito, imaginem! que tinha por título "O Foco" devia fazer as delícias dos Felgarenses daquele tempo ....
    Hoje, com tanto aparelho sofisticado a ajudar a comunicação rápida que nem um relâmpago, escasseiam as ideias.

    Júlia Ribeiro

    ResponderEliminar