sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

TORRE DE MONCORVO (1973)

Click na imagem para aumentar.
Clique na imagem para aumentar ou abra a imagem numa nova janela para poder ampliá-la ainda mais.
(Clique com o botão direito do rato em cima da imagem que pretende ampliar e depois escolha a opção: "Abrir hiperligação numa nova janela", na mesma surge ainda uma lupa com um + para poder ampliar uma segunda vez)



(Reedição de posts desde o início do blogue)

15 comentários:

  1. Carlos Manuel Morais Esteves: aqui nao havia frio

    ResponderEliminar
  2. Fantástica...longe vão os tempos...

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Passagem de nivel nas Aveleiras.

      Eliminar
  4. Esta fotografia histórica foi tirada no cruzamento da Linha com a estrada Moncorvo Pocinho um pouco depois da fonte das amoreiras.
    Havia aí um guarda e em moncorvo esse lugar era conhecido pela caseta.há na loja de produtos regionais ,no largo Genaral Claudino,uma fota tirada do outro ângulo onde se vê a casa.Deviam pedir a foto e publicar aqui no blog.
    Noitibó

    ResponderEliminar
  5. Vilarandelo Umdiaumaimagem: bela imagem!

    ResponderEliminar
  6. Olá, Noitibó:
    Era a passagem de nível da Caseta, sim senhor. Mas não me lembro da Fonte das Amoreiras.

    Júlia

    ResponderEliminar
  7. Ah! Tudo bem : Fonte das Aveleiras conheço. Mas poderia haver também uma Fonte das Amoreiras, ou não?
    Esse "catantcho" é extremamente revelador...

    Júlia

    ResponderEliminar
  8. Magnífica imagem.
    Estou à espera que surja finalmente a associação Sabor a Vapor para dar uma ajuda à revitalização da Linha do Sabor. Gostaria logo à partida de agendar um evento aglomerador de pessoas em vontades em Moncorvo brevemente. O investimento necessário para levar o comboio de volta entre o Pocinho e pelo menos Moncorvo não é nada do outro mundo, mas os seus benefícios seriam por demais bem-vindos!
    Uma concentração na estação de Moncorvo com passeio à linha, para começar, não me parecia mal. Cartazes e uma sessão de esclarecimentos sobre os custos e benefícios do regresso do comboio também não.
    Um abraço trasmontano;
    DC

    ResponderEliminar
  9. Éu sou uma das filhas da D Constanca k era a guarda da passagem de nivel das aveleiras somos 4 qainda vivas andamos a estudar em Moncorvo e hoje eu Manuela jorge vivo em Lisboa mas tenho muitas saudades de ver passar o comboio a minha porta pois cresci com o barulho dele todos os dias .....belos tempos

    Ass: Manuela Jorge

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é...e Eu Sou Uma das Primas Que Ía Passar as Ferias Com Vocês...

      Eliminar
    2. pois e eu tambem acompanhava a minha mae Alice Estacio a passagem de nivel quando a sra Cosnstancia entrava de ferias

      FERNANDO ESTACIO

      Eliminar
  10. Eu sou outra das filhas da Constanca da passagem de nivel das aveleiras soua mais nova a sao jorge. conceicao jorge

    ResponderEliminar
  11. Esta fotografia fez-me recordar a viagem que fiz com os meus pais e irmãos a Miranda do Douro, no Natal de 1977, de comboio, igual ao da fotografia...lembro-me como se fosse hoje e...deixa-me emocionado e triste com a destruição deste maravilhoso país, cada dia que passa.
    É bom recordar fotografias antigas, e verificar que nem tudo evoluiu com o avançar dos anos...
    Pedro Ventura

    ResponderEliminar