quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Até sempre, amigo António Alberto Barbosa Areosa

Quando passamos por aqui, por este Mundo, aprendemos a realizar três grandes feitos: aprendemos a amar, aprendemos a ensinar e aprendemos a mudar a vida de alguém. A razão de deixares este Mundo tão cedo é que vieste apenas para realizar dois: ensinar a amar e mudar as nossas vidas.Já sabias amar, amavas as pessoas com uma intensidade e facilidade sem igual.

Tinhas um sorriso sempre guardado para qualquer um, independente de como era o teu dia. Lembro-me de um dia ensolarado como o de hoje, como os das muitas caminhadas que fizemos, ouvias os meus problemas e eu os teus, e quando o teu clube perdia, e eu mandava e-mails a “provocar-te,” tinhas sempre uma palavra de elogio para os vencedores e vencidos e dizias que a vida quer-se a dançar, e tu vivias a vida como ninguém, era uma festa contigo. Ensinaste-nos a amar, um amor amigo, que não julga ninguém, afinal nós todos temos um lado de loucura.
Mudaste a vida de todos nós, as pessoas que tiveram o prazer de conviver contigo e sentir a pessoa que eras, que não passasse pelo "efeito beto", era impossível não se sentir bem ao teu lado. Mesmo que o conhecimento passasse por apenas alguns minutos, fazias bem às pessoas.
Sabes, Beto, a maior dor para mim, quando alguém parte, é não saber se e está bem, não poder ligar e dizer: "só liguei para saber como estás, sinto a tua falta". Mas eu sei que contigo eu não preciso  de preocupar-me. Eu sei que estás cercado de amigos, todos "embebecidos" pelo teu único "efeito Beto".
Descansa em paz, amigo, até sempre.



Camané

1 comentário:

  1. Sentimentos para famiria do Antônio albeto barbosa areosa eu prendi mts coisas com ele bjx da Carla Sofia carvalho Nunes

    ResponderEliminar