quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nordeste transmontano - EFEMÉRIDES (24/11- Actualização)

24.11.1634 – Alvará régio dirigido ao provedor da comarca de Moncorvo para lançar uma finta no montante de 12 500 cruzados para a obra da ponte de Mirandela sobre o rio Tua.
24.11.1832 – A Câmara de Torre de Moncorvo e os homens da governança ratificam o juramento de fidelidade ao rei D. Miguel, em acto presidido pelo corregedor Manuel José de Oliveira Malafaia e pelo juiz de fora António Pereira da Fonseca. Assinam a acta 88 Moncorvenses.
24.11.1904 – Notícia do semanário “O Trasmontano” sobre a chegada a Torre de Moncorvo do primeiro motociclo, nos seguintes termos:
Bilhete Postal Ilustrado
(Igreja da Misericórdia)
- Esteve aqui na semana passada um empregado de uma fábrica de moagem de Figueira de Castelo Rodrigo que fez a viagem do pocinho para esta vila, montado n´um magnífico motociclo, o primeiro que aqui vimos. Montado no tal corcel, percorreu algumas das nossas ruas, caso este que provocou a admiração de muita gente.
* Outra notícia do mesmo jornal:
- Bilhetes Postais Ilustrados. Tem tido uma venda extraordinária a linda colecção de bilhetes postais ilustrados com excelentes photographias de alguns assumptos desta vila e que o sr. Ernesto Ayres teve a boa lembrança de adquirir para o seu estabelecimento. Por 250 réis, que é quanto custa a colecção de 15 boas photographias, podemos asseverar-vos que é baratíssimo.
* Ainda uma outra notícia deste jornal, mas de nível nacional:
- No primeiro semestre deste ano importámos 17 automóveis, no valor de 84 252$000 réis. Em igual período do ano passado, haviam sido importados 57 automóveis, no valor de 96 655$000 réis.
24.11.1925 – Reunião da comissão política concelhia de Moncorvo do Partido Republicano Democrático, no gabinete do administrador do concelho, com a participação dos elementos da câmara municipal em “congratulação pela vitória alcançada” e para discutir as ocorrências com as eleições, em especial na mesa de voto da Horta da Vilariça onde as actas e os mais documentos da eleição “foram fraudulentamente extraviados”. Mais foi decidido enviar o seguinte telegrama ao ministro do interior, ao Directório do Partido e ao deputado do círculo, Vitorino Guimarães:
- Câmara Municipal Moncorvo vem pedir Vª Exª remoção imediata Comandante Posto GNR por ter levado subordinados votar lista conjugada Câmara Monárquica Nacionalista que ofendeu gravemente crença republicana e regime. Presidente, António Guerra.
Recordemos que o comandante do posto da GNR era o capitão Francisco Marcos que, meses depois, após o golpe militar de 28 de Maio, se apresentaria como o homem forte do novo regime no mesmo concelho.
António Júlio Andrade

Reedição de posts desde o início do blogue

1 comentário:

  1. 24.11.1925 - Quer dizer que os homens do futuro "Novo Regime" já andavam em trabalho de sapa.

    Um abraço para o A.J. Andrade
    Júlia

    ResponderEliminar