sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A Eucaristia faz a Igreja - Nota à edição portuguesa


No mistério de Cristo, a natureza da Eucaristia está intimamente unida à natureza da Igreja: «A Liturgia, pela qual, especialmente no sacrifício eucarístico, “se opera o fruto da nossa Redenção”, contribui em sumo grau para que os fiéis exprimam na vida e manifestem aos outros o mistério de Cristo e a autêntica natureza da verdadeira Igreja» (SC 2). É evidente a importância da liturgia eucarística como lugar privilegiado da redenção, do mistério de Cristo e da genuína natureza da verdadeira Igreja, como recentemente afirmou o Papa Francisco: «A Eucaristia tem o lugar central na Igreja porque é a Eucaristia a “fazer a Igreja”».

A publicação em língua portuguesa do breve estudo do liturgista beneditino Ildebrando Scicolone, professor emérito do Pontifício Instituto Litúrgico em Roma acerca da Eucaristia – l’Eucaristia fa la Chiesa – resultado do convénio diocesano de Roma, realizado em 2010, é uma preciosa ocasião de permanente formação litúrgica.

Educar para a participação no mistério da fé não é só uma questão de animação litúrgica, mas uma verdadeira pastoral litúrgica, no sentido de uma ciência e uma arte que valorizam a potencialidade comunicativa dos sinais da Liturgia (ritos e orações) e se tornam momento de reflexão sistemática sobre a actividade litúrgica da Igreja na vida da comunidade.

A participação activa dos fiéis é um facto teológico, em razão do Baptismo e da natureza da Liturgia. Não é um elemento secundário, para ser deixado às iniciativas pastorais, mas um aspecto que goza de plena dignidade teológica: um elemento constitutivo da própria natureza da Eucaristia. Por isso, a participação activa dos fiéis deve ser a primeira preocupação do pastor. E o sacramento é constituído para ser frutuoso, não para ser um fim em si mesmo. Isto não significa que sem participação activa dos fiéis o sacramento não seja frutuoso, mas só que a participação activa dos fiéis é o modo ordinário e normal para dar fruto.

Na excelente comunicação litúrgico-pastoral do Padre Scicolone aparece o vínculo entre a lex credendi (norma da Fé) e a lex orandi (norma da Liturgia), manifestando a mistagogia da Eucaristia que faz a Igreja, antes que seja a Igreja a fazer a Eucaristia, porque a Eucaristia é sacramento que forma o corpo eclesial na fé e é «fonte e centro de toda a vida cristã» (LG 11).

José Manuel Garcia Cordeiro

Bispo de Bragança-Miranda


Presidente da Comissão Episcopal da Liturgia e Espiritualidade

Sem comentários:

Enviar um comentário