domingo, 26 de março de 2017

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (26/03)


Chafariz da Praça
26.03.1677 -D. Afonso VI assina um documento dirimindo uma questão surgida entre os frades do convento de S. Francisco e o fidalgo António de Carvalho sobre a utilização da água da nascente do Roboredo que alimentava também os chafarizes de S. António e o da Praça.26.03.1870 – Veja-se o que o administrador de Moncorvo escreveu para o gov. civil acerca da povoação da Foz do Sabor: - “ … Achando-se em princípio, dá esperanças de em breves anos ascender a uma das primeiras que talvez venha a ter o concelho, pelo grande comércio de importação e exportação que já ali aflui…”
26.03.1915 – Carta do administrador de Moncorvo: - “De todos os estabelecimentos de beneficência existentes no concelho só a Cooperativa Moncorvense gasta açúcar em grandes quantidades. Consome a Cooperativa, anualmente 4500 Kg de açúcar refinado de 1ª; 1200 de pilé e 600 de mascadado. Carece já de 375 Kg de açúcar refinado, 100 de pilé e 100 de mascadado. O preço actual é de 4$80 cada Kg de refinado, 5$10 de pilé…”
26.03.1923 - “Roubo” de 202 cabeças de gado lanígero da Quinta do vale da Pia, por gente de Felgueiras. O gado era de Adriano Emílio Fernandes. Acácio Diogo foi o principal arguido. Na verdade, tratou-se de uma forma de assegurar alguma compensação pelos prejuízos derivados da falência da agência bancária de Fernandes e Marrana, amigos, aliás, de Acácio Diogo. A questão acabou por se resolver de forma amigável.
António Júlio Andrade


Reedição de posts desde o início do blogue

2 comentários:

  1. Os Marranas e os Fernandes tinham um banco?

    ResponderEliminar
  2. Não seria um banco mas uma agência bancária... Mas na linguagem do povo era o que constava. De concreto não sei os contornos do caso. Os filhos são vivos e eles poderão definir os contornos da empresa que, parece, se estendia por muitas áreas, mesmo na agro-pecuária. J. Andrade

    ResponderEliminar