segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

RETORNADOS E ENGANADOS


Adérito Valverde, 78 anos , natural de Vales ,concelho de Alfândega da Fé, embarcou para Angola em 1953.Empregado e mais tarde patrão de uma cantina/restaurante em Cazombe, Quanza Sul. Regressou em 1975, trazendo dentro da mala alguma roupa e 400 contos, resultado de 23 anos de trabalho. Em Lisboa disseram-lhe que o dinheiro não valia nada, e o IARN deu-lhe 5 contos para regressar a casa. Trabalhou como empregado na Pastelaria Domus, em Bragança,durante 21 anos .Vive em Vales . aldeia com 78 habitantes.

Reedição de posts desde o início do blogue

3 comentários:

  1. Os governos dessa época eram iguais aos de hoje.Gatunos, como dizem os cartazes dos indignados nas manifs.

    ResponderEliminar
  2. Ao cambio de hoje quanto valiam 400 contos?

    ResponderEliminar
  3. "Os homens também querem arranjar trabalho para mostrar aos mangonheiros da metrópole de que massa os retornados são feitos, se conseguimos construir terras como as que fomos obrigados a deixar também conseguimos mudar o atraso de vida que a metrópole é.Os de cá gostam cada vez menos de nós, andámos lá a explorar os pretos e agora queremos roubar-lhes os empregos além de estarmos a destruir-lhes os hotéis, a destruir a linda metrópole que nunca mais vai ser a mesma."

    In "O retorno",de Dulce Maria Cardoso

    ResponderEliminar