sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

DISTRITO DE BRAGANÇA - EFEMÉRIDES (09 e10/02)


Adriano Abílio de Sá
09.02.1860 – Nascimento do general Adriano Abílio de Sá. Foi comandante da Região Militar de Lisboa e deixou o nome ligado a grandes obras de engenharia como fossem pontes metálicas e ferrovias.
09.02.1912 – Correspondência enviada de Ligares, concelho de Freixo de Espada à Cinta e publicada no jornal República deste dia: - “Já há alguns dias que a rapaziada principiou com o abuzinamento, velha usança das proximidades do Carnaval, que consiste em dizer o que se quer, em voz disfarçada, estando já iminente por isso alguns conflitos”.
 Recordo-me que na aldeia de Larinho ainda este costume continuava nos fins da década de 1970. Os rapazes disfarçavam a voz usando um funil muito grande, de lata.
 09.02.1927 – Telegrama enviado pelo câmara de Moncorvo ao ministro da guerra: - Comissão administrativa minha presidência saúda Vª Exª o exército português, heróico libertador cidade Porto e segura garantia tranquilidade pública. Emílio Barreiras.

09.02.1931 – Alguém pegou no retrato do Presidente da República que estava na exposto no edifício da câmara e o atirou para o depósito de água que abastecia a retrete do mesmo edifício. 
09.02.1933 – Acta da reunião da câmara: - Presente um requerimento da comissão encarregada da construção do edifício do Teatro municipal desta vila, em que pede licença para a referida construção ser feita no lado sul do jardim 28 de Maio e bem assim para aproveitar alguns materiais que se encontram depositados no largo do Rossio desta vila, para início das respectivas obras. Deliberado autorizar a construção do referido Teatro no jardim 28 de Maio e quanto à cedência dos materiais, resolvem estudar o assunto oportunamente.
09.02.1942 –Telegrama enviado pela câmara de Moncorvo:- Eleito general Carmona 149 votos. Pontes.

10.02.1612António Fernandes, “arquitecto” de Torre de Moncorvo, arremata por 12 000 cruzados a construção da ponte de Longroiva sobre o rio Côa.
10.02.1677 – Provisão régia para que cada morador do concelho de Torre de Moncorvo faça plantar 2 pés de amoreiras em terreno seu ou, se o não tiver, em terreno baldio que seja próprio para isso.
10.02.1863 – Relatório do administrador de Moncorvo para o delegado de saúde pública do distrito referente à povoação de Larinho:
Topografia – é o solo desta freguesia arenoso de cor pardacenta, abundante de águas que lhe flúem das fraldas do monte Reboredo, sendo por isso abundante de ervas. Produz cereais e batatas e em suas canadas vinhas, oliveiras e amendoeiras. A água de que esta freguesia faz uso é salobra e é nascida na mesma e tem fontes bem reparadas. Tem também zimbrais e pinheiros que a natureza produz.
Meteorologia – temperatura no Verão ardente, devido ao solo arenoso. No Inverno é muito húmido e a atmosfera temperada. De ordinário reinam nela ventos norte e sul, sendo a freguesia anexa a névoas e nevoeiros.
Higiene dos habitantes – habitações mal reparadas, baixas e com pouca capacidade e por isso sem ventilação. Pouca limpeza nelas e má passadio a seus habitantes por ordinariamente o maior número deles se sustenta a pão e migas por não terem meios para alimentos mais subidos. Assim mesmo são robustos. Quase todos vestem burel merino e alguma Saragoça. São também laboriosos e se ocupam no serviço da lavoura único meio que os sustenta. O estado geral da população na actualidade é bom, tendo aparecido nesta estação algumas moléstias das usuais. Patologia ordinária da sociedade susceptível a sezões no Verão e no Inverno a catarros, pleurisias e constipações, não tendo sido anexa a epidemias e não há memória de que sofresse outra igual à do ano passado.
Larinho 2009
Estatística – tem a freguesia 171 fogos, tendo 228 habitantes do sexo masculino e 327 do feminino, que são 655 de todas as idades. Calcula-se haver 60 pessoas superiores à idade de 50 anos; 320 de 20 a 50; 275 até 20 anos, isto de ambos os sexos. Regula a sua mortandade por 14 pessoas anuais, 15 a 18 nascimentos e 10 casamentos.
10.02.1943 – O governador civil Pedro Morais Campilho publicou um edital cujos primeiros artigos diziam o seguinte:
1 - Em todo o distrito de Bragança os folguedos de Entrudo durante os dias 7, 8 e 9 de Março próximo só serão permitidos em recintos fechados.
2 – Ficam igualmente proibidas as exibições tradicionais representando a MORTE e o DIABO que em quarta-feira de cinzas é costume realizar-se em alguns concelhos deste distrito…
António Júlio Andrade


Reedição de posts desde o início do blogue

3 comentários:

  1. Segundo a "História do Poder Local Democrático em Torre de Moncorvo no Último Quartel do Século XX",de Virgílio Tavares,a população do Larinho, em 1930, era de 725 habitantes;e em 2001,de 439. Quantos serão hoje?

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  2. Vilarandelo Umdiaumaimagem :a notícia de 1943 é bastante interessante... abs

    ResponderEliminar
  3. Resposta a "Uma Moncorvense":
    Em 2011 eram 365 habitantes
    Fontes de Cavalho

    ResponderEliminar